sábado, 11 de março de 2017

DO QUE A ESTRUTURA NÃO TEM CULPA

artigo de opinião de André Pipa n' A Bola:
NO RESCALDO da vitória arrasadora de Bruno de Carvalho e de mais um resultado decepcionante da equipa de futebol, ficámos a saber por Jorge Jesus que falta de estrutura [do Sporting] foi responsável pela não conquista do campeonato da época passada. Eu pensava que tinham sido aqueles dois jogos seguidos que o Sporting não conseguiu ganhar apesar de ter sido muito superior em qualquer deles (em Guimarães: 0-0; com o Benfica em Alvalade: 0-1).

Do ponto de vista factual – matemático, se preferirem - foi esse duplo tropeção que esteve na origem da perda da liderança do campeonato (não mais recuperada) para o Benfica. Causa-me alguma perplexidade ver Jesus insistir na [falta de] estrutura do Sporting sabendo que os meios que esta direcção lhe pôs à disposição são infinitamente superiores aos que foram servidos aos treinadores anteriores, Leonardo Jardim e Marco Silva – sendo que nenhum deles se lembrou de comparar a estrutura do Sporting com a dos rivais para justificar insucessos.

Mais. Na condição de treinador com poderes de verdadeiro manager, Jesus talvez devesse ser mais parcimonioso na maneira como se refere à estrutura do Sporting: é que ele faz parte dela e numa posição deveras cimeira! [quanto à estrutura do Benfica, lembro-me de Jorge Jesus ter dito que se resumia a Rui Costa e pouco mais…].

Também não creio que a estrutura do Sporting seja responsável pelo falhanço na larga maioria das contratações; pelo continuado cinzentismo exibicional da equipa e por umas quantas experiências, apostas… e insistências no minimo discutíveis; e pelo fracasso em todas as frentes competitivas. Jesus sabe muito de futebol, é óptimo no treino e tem um excelente currículo doméstico; mas talvez não fosse má ideia voltar à Terra e ver a realidade como ela é.

Ele foi muito feliz na estreia com o Sporting – ganhou a Supertaça ao Benfica – mas entretanto passaram 87 jogos e quanto a títulos: bola.


Sem comentários: