terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Parabéns a Paulo Futre pelo 51º aniversário!

...,Maradona e Futre foram até hoje os jogadores que mais me encantaram. 
Não faço ideia do que valeria Paulo Futre se tivesse aparecido no futebol de hoje em dia, mas não era só para 50 ou 60 milhões de euros em valor de mercado.

Terça-feira de Carnaval

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Fez faísca no Bessa

Não foi boa a actuação de Fábio Veríssimo, ontem, no Bessa.



Parece que pegou de moda as entradas assassinas por trás dos laterais esquerdos, Alex Telles na quarta-feira e Talocha, ontem. Ambas deveriam ter sido punidas com cartão vermelho no mesmo instante, mas é a tal coisa - os árbitros assistentes parece que estão dormindo na forma. Estes dois lances a que me refiro são pertíssimos do árbitro assistente e do 4º árbitro. Nem os estrangeiros nem os portugueses conseguiram 'ver'...
 
Também pegou de moda os cruzamentos para a área, os 'abraços' e as quedas.
 
Uns aguentam-se de pé, outros caiem. Vai do critério dos árbitros e quase sempre favorecendo os grandes - Soares e Mitroglou não tem muitas razões de queixa.
 
Enfim...jogo quizilento, com períodos de bom futebol e com os portistas com mais razões de queixa dos homens do apito.
 
Ainda bem que conseguiram os três pontos, se assim não tivesse acontecido estava o diabo nas couves.
 
A arbitragem portuguesa atravessa um mau momento, a qualidade ainda não está ao nível de outros tempos e esta malta necessita de crescer. Uma coisa é certa, a maior parte dos erros são erros de televisão, algo que os árbitros não tem para decidir, mas 'nós' temos para lhes atirar com todas as pedras que temos na mão.


domingo, 26 de fevereiro de 2017

Aguardando pelo Derby da Invicta

«Estórias da bola»



A estória que se segue refere-se ao conflito entre Octávio Machado (adjunto na altura do treinador Ivic) e Delane Vieira, pessoa próxima do F.C.Porto, empresário para uns, manager para outros, parapsicólogo, enfim...até de bruxo o apelidaram) que não era bem vindo junto do grupo de atletas que Octávio queria preservar. Tudo isto se passou no Bessa.

Depois do jogo que o FC Porto venceu por 1-0, mais problemas. Numa das portas de acesso ao balneário, estou eu à conversa com Amândio Alves, jornalista da A Bola. 

Para grande surpresa minha, vejo aproximar-se o Delane Vieira, preparando-se para entrar no balneário. Não me contive, disse ao Delane:
«Não arranjes problemas, vai embora, o balneário é um templo sagrado, aqui dentro poucos são aqueles que têm o privilégio de usufruir deste espaço e tu não és um deles». 
O Delane obedeceu, foi embora.

Passados uns minutos, por uma outra porta que dava acesso ao túnel de entrada no estádio, surgiu o Pinto da Costa, que se pôs à conversa com o Luís César. Logo de seguida, pela mesma porta, entrou todo pimpão, o Delane Vieira.

Abri os olhos desmesuradamente e cravei-os no Delane, fitei-o durante algum tempo sem pestanejar. Perante o meu ar ameaçador, o Delane, com a língua expedita, disse ao Pinto da Costa: 

«Presidente, temos de resolver isto.»
Não me tive em mim, à frente dos jogadores e demais responsáveis do FC Porto, ferrei uma estalada tal nas bochechas do Delane que este caiu redondo no chão.
Não admitia que fosse desautorizado, amesquinhado perante os jogadores.

(...) Quando o Delane, embaraçado, se tentou levantar, pus-lhe um pé em cima, sentei-o outra vez e atalhei conversa:
«Eu avisei-te para não te meteres comigo, disse-te que no dia em que te metesses comigo eu fazia-te a folha. Tu a mim não metes medo.
E se começas a miar muito ainda te faço pior.» O Delane ficou-se.


Octávio Machado no seu livro - Vocês sabem do que estou a falar, pág.106 e 107.


O Derby da Invicta

Hoje, é dia de derby na cidade do Porto.
Dirão alguns - mas já não tem a mesma alma de outros tempos. Talvez, mas com o Boavista na I Liga é sempre um jogo apaixonante, independentemente do lugar que ocupam na tabela classificativa.

Em baixo, resumo e reportagem do primeiro derby que assisti entre os dois clubes. Vale a pena recordar, no tempo em que ainda havia a chamada 'reportagem de cabine.'

.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Jogo 1000 de Don Carlo Ancelotti

...e logo com uma vitória por 8-0 frente ao Hamburgo!

Curiosidades: a meio da época Carlo Ancelotti ficou sem o seu adjunto Paul Clement que partiu para o Swansea, sendo agora também coadjuvado pelo filho David Ancelotti.




Os ratos do fanatismo...

...voltaram a desaparecer das redes sociais e da blogosfera, agora, foram os afectos ao Benfica e que na semana passada muito criticaram os erros de arbitragem no dragão.

Ok, aos 5/6 minutos um jogador do Chaves deveria ter sido expulso e não foi.

Mas daí em diante, em caso de dúvida, o árbitro errou muitas mais vezes a favor dos encarnados.

Custa assim tanto perceber que os 'ditos clubes grandes' são sempre mais beneficiados em relação aos clubes mais pequenos?!...

adiante,...

o Benfica venceu por 3-1 ao Chaves e logo mais temos um Estoril - Sporting e amanhã o sempre escaldante derby da cidade invicta.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Os bananas da nossa praça e seus seguidores...



Ponto prévio: nunca simpatizei com o futebol de Ranieri nem sou seu fã, apenas não entro no 'bota abaixo' sem razão aparente.


Os mesmos que defendem esta saída esquecem-se que o homem não precisou de tempo para consolidar processos (palavras tão na moda e tão bonitas) para ganhar uma Premier League, logo no primeiro ano à frente do...Leicester!...


como provavelmente,

acontecerá com António Conte, logo no primeiro ano à frente do Chelsea.

Aos melhores treinadores do mundo exige-se tempo na Premier League e blá, blá, blá...como o futebol fosse uma ciência exacta.

Esquecem-se que a Ranieri, de nada serviu ser campeão, estar neste momento com um pé nos 1/4 da Champions (estava), e tentando a 13 jornadas do fim inverter o rumo no campeonato para se manter na Premier League.

A esses, a porta da rua foi a melhor medida que os dirigentes do Leicester tomaram.
Pergunto, porquê?!...se o homem estava apenas treinando 'um Leicester', que não é colosso nenhum do futebol europeu.

Enfim...só uns bananas da nossa praça e seus seguidores, que analisam jogos com imagens paradas quando as equipas não estão posicionadas depois de criarem dinâmicas ofensivas (normal, leva segundos após se perder a posse de bola voltar à posição de origem, e nesse instante, capta-se a imagem para se fazer dela o que se quiser ) não percebem que era complicado a este Leicester, com um plantel com limitações, brilhar novamente na Premier League e estar ainda a um golinho sem sofrer nenhum para se apurar para os 1/4 de final da Champions League.

Muita prosaica, é giro mandar uns bitaites com palavras bonitas sobre futebol, quando verdadeiramente, sabem muito de bola mas não percebem nada de futebol!
Comigo isso não pega, eu não como gelados com a testa!...

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Aguardando pelo debate na Sporting TV

Hoje há debate na Sporting TV...

...e pressinto um debate 'acalorado.' 

E, quais são as minhas dúvidas?... 

...é quanto tempo vai demorar Bruno de Carvalho a partir para o insulto?! 

E quanto tempo vai demorar Madeira Rodrigues até responder se é ou não o City Lion do blogue Camarote Leonino?!..., é que isto de ser católico, de ir todos os domingos à missa, como o faz Madeira Rodrigues e, depois, praticar a 'mentira' é pecado?!...


   

Foi mau demais...

...o que se passou ontem à noite no dragão. Uma precipitação de Alex Telles poderá ter 'ditado' a sorte do FC Porto nesta edição da Champions League. 

Só uma noite igual àquela em Roma na pré-eliminatória desta Champions League poderá 'salvar' este FC Porto . 

Achei a substituição de Rúben Neves por Corona um enorme atrevimento do técnico portista quando o resultado ainda estava em branco, embora me pareça injusto deixá-lo ligado a esta derrota por essa substituição. Mas o certo é que ela aconteceu e desta vez não resultou!

 

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Quando Trapattoni derrotou o FC Porto...

...e não só. A arbitragem dessa final da extinta Taça das Taças foi prejudicial para o FC Porto, como era normal com as equipas portuguesas.
 
O futebol português na altura não era tão respeitado como o é hoje em dia.
 
Também a ausência de José Maria Pedroto, já vitima de doença, facilitou a estratégia do técnico italiano para essa final.
 
O administrador deste blogue tinha oito anos quando o FC Porto disputou essa final e foi sem dúvida alguma o primeiro jogo que vi do principio ao fim e logo como uma enorme desilusão - a derrota de uma equipa portuguesa numa final europeia jamais se esquece.
 
Separando algumas rivalidades clubísticas e respeitando a instituição FC Porto,  espero e desejo melhor sorte aos azuis e brancos para esta eliminatória que arranca hoje no estádio Dragão frente aos italianos.

JOGO COMPLETO:


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Quando Veloso e André se despediram dos relvados

Quando a rivalidade entre FC Porto e Benfica ainda era mais agressiva do que é hoje em dia e não havia redes sociais. 

Enquanto alguns 'palhaços' se insultavam entre si por dá cá aquela palha, o meu é maior que o teu e vice-versa, nos bastidores do futebol os atletas eram amigos entre si. 

Aqui fica uma reportagem entre veteranos do Benfica e do FC Porto da altura, ambos os jogadores tinham deixado de jogar há meia dúzia de meses. 

Aprendam..., pelo menos com algumas imagens do passado, porque se hoje em dia tivessem acesso a alguns jantares e visitas dos atletas dos 'três grandes clubes' cá do burgo em suas casas, não faziam as figurinhas que fazem nas redes sociais. 

Aliás, é entre jogadores dos três grandes e, não só, que as amizades continuam...

 

Pinto da Costa está-se borrifando para o microfone

A primeira liga está de regresso, hoje, com um FC Porto - Tondela.




A norte e não só as atenções estão mais 'viradas' para os 'fait-divers' que foram o roubo do microfone da CMTV por parte do líder da claque super dragões, realmente, um momento para a malta se divertir nas redes sociais.
 
Não entendo é que o 'alarido' por parte da direcção do CM seja mais do que quando Ronaldo mandou semelhante objecto para o lago no último europeu.
 
Quem se deve estar 'borrifando' para o microfone é Pinto da Costa, que prefere logo à noite somar os três pontos e continuar na luta pelo primeiro lugar do campeonato.

Adiante,

jogo interessante para assistir no Dragão e perceber se um FC Porto com posse de bola consegue ser tão eficaz como o foi nos últimos jogos sem a 'dita' em sua posse.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Jogo muito sofrido mas vitória inteiramente merecida



O Benfica venceu esta noite os alemães do Borussia de Dortmund por 1-0 e vai para a segunda mão com as portas abertas para atingir os quartos de final da champions league, pelo segundo ano consecutivo.

É importante o Benfica marcar na Alemanha porque vai ser um jogo 'deveras' complicado e não me parece que este Borussia fique novamente em branco. Oxalá, fique, mas não me parece.

Saber defender também é uma arte e este Benfica hoje demonstrou isso mesmo.
Excelente exibição de Ederson. O que fica para a história é que o Benfica fez um golo e os alemães nenhum.

«Onze e sistema oficial do Benfica para hoje»

Surpreender o Dortmund onde eles menos esperam..

Leva o bom senso que não se deve alterar um sistema de jogo mantendo o mesmo modelo num jogo importante, mas, por vezes, não basta só ter uma estratégia de jogo diferente, há que mudar para surpreender também no sistema.

Hoje, perante um Borússia de Dortmund com um meio campo forte, creio que Rui Vitória poderia povoar o 'miolo' do terreno com mais um homem e jogando noutro sistema e com homens rápidos nas alas.

Haveria mais profundidade pelas flancos e o miolo do terreno ficaria sempre menos exposto às dinâmicas do sistema anterior (4-1-3-2) aquando da perca da bola.

Ela vai à Luz e não janta com o Leãozinho...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

E assim foi ontem em Moreira de Cónegos...

...e sem muitas 'ondas' nas redes sociais e 'afins'...em relação a quem deu a vitória ao Sporting - Adrien. Se Adrien tivesse sido expulso como deveria, já lá não estava ao minuto 73' para fazer o terceiro golo do Sporting. 
E tão fácil criticar quando são prejudicados e pôr o rabo entre as pernas e desaparecer quando são beneficiados.


 

domingo, 12 de fevereiro de 2017

«Um FC Porto à italiana»



O FC Porto venceu ontem em Guimarães o Vitória local em mais um jogo com enorme eficácia. Afinal, o que conta, é chegar ao final de um jogo e ter mais golos marcados que o adversário.


Se já com o Sporting se tinha notado que o FC Porto actualmente tem menos posse de bola (estratégia propositada do seu técnico) do que tinha na primeira volta do campeonato, ontem voltou-se a perceber que a estratégia do treinador portista é continuar a ter solidez defensiva e chegar rápido à baliza adversária.


O FC Porto que gostava de ter bola neste momento não existe e também não interessa. Até agora, está resultando em pleno. Esta mudança de 'paradigma' poderá ter a ver com os adversários que defrontou nas últimas duas jornadas do campeonato e que virá a defrontar na Champions - a Juventus!


Se a intenção também era aproveitar para criar rotinas para o jogo com os italianos, a tarefa está cumprida. Não poderiam ter tido melhores adversários que o Sporting em casa e o Vitória de Guimarães fora.


A eliminatória com a Juventus poderá ser muito equilibrada, os italianos não estão habituados a uma equipa que lhes faça frente com os mesmos argumentos - solidez defensiva e saídas rápidas em contra ataque com a bola a chegar aos homens da frente em 2/3 passes.


sábado, 11 de fevereiro de 2017

Ela adora jogos na cidade berço

Um Guimarães - FC Porto é sempre um clássico

Um Guimarães - FC Porto é sempre um clássico do futebol português, embora os adeptos vimaranenses não gostem que se trate o seu clube por Guimarães, mas sim por Vitória Sport Club.
Eu, peço desculpa, mas não consigo, para mim será o sempre o Vitória de Guimarães.

adiante,

O Vitória continua a ser um adversário complicado apesar de ter perdido alguns jogadores no mercado de Janeiro,...e vai tentar somar pontos frente ao FC Porto e continuar na luta pela Europa. Pedro Martins está fazendo um excelente trabalho em Guimarães e é sempre difícil passar lá.

É bom ter em conta que este FC Porto tem a melhor defesa dos campeonatos europeus com maior visibilidade - 11 golos sofridos, de seguida vem a defesa do Bayern de Munique e do Benfica com 12 golos sofridos cada uma.

Se até meados de Janeiro o FC Porto não vinha convencendo muito em termos ofensivos, a colocação de Brahimi e Corona nas alas como titulares ajudou e muito. E agora com a chegada de Soares para jogar ao lado de André Silva foi a cereja no topo do bolo. Exemplo disso foi o último clássico com o Sporting.

Alterar isto, poderá ser 'inventar e prejudicar' o rendimento da equipa.

Para os saudosistas, aqui fica um clássico na cidade berço.

Foi um bom teste para o Benfica

O Benfica abriu a jornada 21 com uma vitória frente ao Arouca por 3-0.

Um jogo bem realizado pelos encarnados com momentos de pura nota artística. O Benfica já ganhava por 2-0 quando ao minuto 41' deu-se a expulsão do guarda-redes Ederson. Com 10 em campo e ainda com muito tempo para jogar, as águias conseguiram gerir o resultado e aumentar para 3-0 por Carrillo. Finalmente, viu-se o peruano a 'brilhar' pelos encarnados.

Como escrevo no título do post, foi um bom teste para o Benfica, antes de receber o Borussia Dortmund para o jogo da primeira mão dos 1/8 final da Champions na próxima terça-feira.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

OS ALTOS E BAIXOS DA RELAÇÃO ENTRE JORGE JESUS E INÁCIO

Após duas décadas de alta tensão, dá-se o reencontro em campo de dois históricos do futebol português

Os altos e baixos da relação entre Jorge Jesus e Inácio
Cresceram juntos de leão ao peito, nunca morreram de amores um pelo outro mas foram amigos. Até ao dia em que o estilo irascível de Jorge Jesus chocou com a bonomia de Augusto Inácio. Foram precisas duas décadas para sarar as feridas. Uma ‘boca’ aqui, um ‘recado’ ali, não se falaram durante quase duas décadas e quando se entenderam já a força da zanga tinha sido suficiente para que Bruno de Carvalho aceitasse abdicar de quem o defendeu desde a primeira aparição pública.
"Passei-me da cabeça!"
Em fevereiro de 1997, Inácio aceita um convite do Marítimo e deixa o Felgueiras. O duriães estão a 4 pontos da subida com 14 jornadas por disputar quando Jesus regressa ao clube para render o amigo. O resto da história contou-a o próprio Inácio em entrevista a Record tempos depois. "Quando chegou, a equipa estava a escassos pontos da subida. Ele [JJ] perde com Beira-Mar e Académica e falha o objetivo. Sabe o que é que foi dizer para os jornais? Que se ele tivesse entrado mais cedo, teriam subido facilmente. Passei-me da cabeça. Ele só podia estar a gozar!" Estava o caldo entornado...
O manhoso, os artistas e... o mestre da tática

Passam-se anos. A cada duelo, uma farpa. Na primeira vez que se defrontam depois do corte de relações, estava Jesus no Estrela e Inácio no Sporting. O que se ouviu, não foi bonito... O Sporting chega à Reboleira lançado por 10 vitórias nas 11 jornadas anteriores. Está a 2 pontos do líder FC Porto. A vitória daria liderança, mas os leões deixam-se enredar na teia de JJ.
"A tática sobrepôs-se à técnica", resumiu Jesus, depois de um jogo de muita luta e pouca qualidade. Os treinadores não perdiam a oportunidade de trocar recados. Inácio, que não gostara de ouvir Jesus chamar "manhoso" a Acosta na antevisão do jogo, retorquiu depois do mesmo. 

"Afinal o Estrela é que tem muitos jogadores manhosos…", denunciou. "Quando disse que o Acosta era manhoso, era elogio! Jogadores ingénuos, nem eu nem o Inácio os queremos…", ironizou Jesus. Confrontado com o conflito, Beto, um dos capitães leoninos, preferiu apelidar os jogadores do Estrela de… "artistas". Jesus não se ficou. "São uns artistas, são… O Beto podia aprender com eles para saber o que fazer quando jogar com Benfica e FC Porto", disparou.
O livro e o plágio

Anos mais tarde, novo episódio rocambolesco. Na ponta final de 2004/05 já estavam praticamente ‘condenados’ à descida quando o Beira-Mar de Inácio foi empatar a casa do Moreirense de Jesus. Estalou o verniz. "Deixei um livro no balneário sobre a marcação de bolas paradas porque o que ele (JJ) fez hoje foi copiar o que eu faço!", lamentou Inácio. Jesus, que já tinha falado aos jornalistas, voltou à sala com o troco. "Isso é conversa da treta! Este problema envolve terceiros, pessoas de quem não quero falar. Remonta ao ano passado quando fui substituir esse senhor (Inácio) no V. Guimarães."
Quando Jesus dispensou Inácio
A 4 de junho de 2015, Bruno de Carvalho anuncia a contratação de Jesus. O treinador aceita ‘trocar’ o Benfica pelo Sporting mas impõe condições. Uma delas passa pela ‘dispensa’ de Inácio. 
O presidente aceita. E deixa cair o homem que o acompanhou desde a primeira hora, desde a sua primeira aparição pública enquanto candidato à presidência do Sporting. Inácio deixa de ser diretor desportivo para assumir o pelouro das relações internacionais do clube...
O cachimbo da paz

A reconciliação leva-nos a Ortigosa, Leiria, a 13 novembro de 2015. São os famosos ‘Rugidos de Leão’ e Inácio recebe o seu com… 15 anos de atraso. Por motivo de força maior, não pudera marcar presença na gala de 2000, onde a organização lhe preparara homenagem pela conquista do título e o final de um jejum de 18 anos. Pior: o ‘Rugido’ de Inácio extraviara-se pelo caminho… Quinze anos depois, a justiça. "Este prémio já vem com uns bons anos de atraso…", brincou Inácio. 


"Espero que ‘Rugido de Leão’ do próximo ano possa ser entregue ao treinador campeão. 
E que esse seja Jesus!", disparou, levando mais de 1.500 sportinguistas ao rubro. O acordo de paz foi assinado com um caloroso abraço a Jesus.
Venha de lá esse abraço!
Agora, encontram-se o Moreirense de Inácio e o Sporting de Jesus. Um ‘passou-bem’ entre ambos pareceria simples formalidade, não fosse ser o primeiro selado em campo ao final de 20 anos. As relações estão agora ‘normalizadas’, deixando para trás anos e anos de trocas de mimos e acusações. Domingo, venha de lá esse abraço!

'MADE IN' ALVALADE

JUNIORES LEONINOS. Inácio e Jesus eram juniores do Sporting em 1972/73. Um ano mais velho que o colega, Jesus subiu a sénior no ano seguinte, mas foi cedido ao Peniche, então na Zona Sul da 2.ª Divisão.

REENCONTRO. Só voltaram a jogar juntos em 1975/76, já Inácio somava 28 presenças na equipa principal do Sporting, enquanto Jesus voltava do Olhanense com 29 jogos e 5 golos na 1.ª Divisão.

SEPARAÇÃO. Jesus deixou o Sporting na época seguinte e só voltou como treinador; Inácio sairia em 1982/83 para o... FC Porto pendurando as botas de azul e branco em 1988/89, um ano ante de JJ terminar a carreira no Almancilense

MAU. Fizeram 10 jogos juntos pelo Sporting, todos em 1975/76, época de má memória para os leões de Juca, 5.º classificado no campeonato

JESUS NA FRENTE. Enquanto treinadores, defrontaram-se 8 vezes, com saldo favorável a JJ: 3 vitórias contra apenas 1 de Inácio

A PRIMEIRA VEZ… O primeiro desafio deu-se a 24 de setembro de 1995, quando Inácio rendeu Bobby Robson, então a recuperar de doença. Deu empate, mas sobressaiu JJ que empatou o FC Porto pelo Felgueiras

Concordamos… em discordar


Liga 1999/2000, 21ª jornada

E. Amadora-Sporting, 0-0
Os leões não vão além de um empate num jogo de muita luta e pouco futebol. Jesus regozija-se por ter travado o adversário, enquanto Inácio lamenta o excesso de faltas dos jogadores rivais

JESUS: "A tática sobrepôs-se à técnica"

INÁCIO: "Afinal o Estrela é que tem muitos jogadores manhosos…"

Liga 2001/02, 12ª jornada
V. Guimarães-V. Setúbal, 0-0
Neste duelo de Vitórias, ninguém leva a melhor mas ambos reclamam ter estado por cima… Inácio acusou Jesus de jogar para o ponto mas este refutou o argumento por completo



INÁCIO: "A haver um vencedor teria de ser o V. Guimarães porque o adversário desejou sempre o empate"

JESUS: "Fomos uma equipa de risco! Se alguém tentou e procurou ganhar taticamente este jogo, foi o V. Setúbal"

Liga 2003/04, 22ª jornada
V. Guimarães- Belenenses, 0-1
Os vimaranenses de Jesus jogam mais futebol mas são os azuis de Inácio que levam a melhor, afundando o Vitória no penúltimo lugar da classificação

JESUS: "O Belenenses nada fez para ganhar!"

INÁCIO: "Fomos impecáveis taticamente! A nossa vitória é incontestável"

Liga 2004/05, 31ª jornada
Moreirense-Beira-Mar, 0-0
Os velhos rivais defrontam-se com a ‘corda na garganta’. Empatam e apertam o nó um do outro rumo à descida de divisão. Pelo caminho tornam a trocar acusações…

INÁCIO: "O que ele fez hoje foi copiar o que eu faço!"

JESUS: "Isso é conversa da treta! É fácil de ver quem plagia quem…"

Liga 2009/10, 10ª jornada
Benfica-Naval, 1-0
Jesus precisou de esperar pelo minuto 89 para levar a melhor sobre o velho rival Inácio. Javi García salvou as águias depois de um jogo com mais transpiração do que inspiração

JESUS: "Dada a qualidade que apresentámos, era injusto não ganharmos. Este jogo só teve um sentido"

INÁCIO: "O Benfica tem uma grande equipa e mereceu vencer, mas não foi melhor do que a Naval"

Liga 2009/10, 25ª jornada
Naval-Benfica, 2-4
Os figueirenses pregam valente susto nas águias, que já estavam a perder por dois aos… 12 minutos deste jogo. Tanto que pela primeira vez em largos anos ouviu-se um… elogio de Jesus

JESUS: "O Benfica é um justo vencedor, mas quero sublinhar que a Naval é uma equipa muito boa que conseguiu confundir o Benfica nos minutos iniciais"

INÁCIO: "Foi pena mas quero registar que a Naval não precisa de autocarros. Até parece que é a única equipa em Portugal que joga de uma forma defensiva"

Liga 2012/13, 30ª jornada
Benfica-Moreirense, 3-1
Jesus volta a bater Inácio. As conferências são de cortar à faca mas as guerras são outras… Jesus acabara de perder campeonato e Liga Europa na mesma semana; Inácio despedia-se rumo ao Sporting… com uma descida de divisão

JESUS: "O Benfica não morreu na praia. Há muitos que morrem afogados a meio da prova e nem à praia chegam. O FC Porto ganhou uma competição enquanto o Benfica esteve em todas as frentes até ao fim"

INÁCIO: "Há clubes com ordenados em atraso, mas os jogadores assinam papéis a dizer que não. E desce um clube que não deve nada a ninguém. O campeonato não é sério…"
daqui


Aguardando pelo Benfica - Arouca

O Sporting não está afastado do título



Esta manhã dei comigo a 'estudar' os adversários dos três grandes até ao final do campeonato e, não me parece, que a luta para se encontrar o próximo campeão nacional, seja decidida só entre FC Porto e Benfica como muito boa gente quer fazer crer. 

E, não, não acredito no Pai Natal como alguns podem pensar e muito menos sou sportinguista, apenas tento ver isto de outra maneira.

O Sporting, na minha modesta opinião, tem uma palavra muito importante a dizer. Não liguem ao discurso de Jorge Jesus e Bruno Carvalho para a opinião pública, eles dentro de portas tem outro discurso. É normal nestas circustâncias, e subscrevo inteiramente.
O que interessa neste mau momento é 'tirar' a pressão feita por parte de alguma comunicação social de cima dos jogadores, para não haver mais dramas. Para desgraças, já chega!

Se Bruno Carvalho e Nuno Saraiva pararem de 'disparar' em quase todas as direcções ou dispararem menos, deixarem Jorge Jesus fazer o que tem que ser feito, o Sporting pode ainda lutar pelo título.

Ainda há muito campeonato, Benfica e FC Porto não estão assim tão bem em termos de futebol jogado, apenas tem mais pontos.

Este campeonato tem tudo para ser um campeonato atípico a todos os níveis...

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

O melhor médio defensivo do planeta

Uma reportagem sobre um dos melhores 'médios defensivos' do planeta, que de defensivo tinha pouco.

Mas que grande ideia teve Carlo Ancelotti em convencê-lo a jogar a 'médio defensivo'...
Na minha opinião pessoal, foi o melhor de todos o tempos nessa posição.

Nem quero imaginar o que teria sido do 'grande' Barcelona em 2010, caso o italiano tivesse aceite o convite de Guardiola, quando este o quis juntar a Iniesta e Xavi para formar o tri do meio campo catalão.

Pirlo ainda 'mexe', mas o futebol já chora por ele.

Aqui fica uma reportagem de pura magia!


«Estórias da Bola»




Para preparar um jogo com o Benfica, o presidente deu-me a oportunidade de levar os jogadores para uma pequena praia onde costumávamos treinar e descansar.
Na sexta-feira antes do jogo, José informou-me: "Bobby, o presidente quer vir até cá para falar com os jogadores".
Quando ele chegou, fez um discurso espalhafatoso e empolgado, cheio de paixão e com muitos gestos.
Eu não percebi uma única palavra do que ele estava a dizer ao meu plantel.
Depois, tomou um café e foi-se embora.
"O que se passou"?, perguntei ao José. "Bem", disse ele, "o presidente veio oferecer um prémio de jogo extra aos jogadores".
Cintra tinha acabado de duplicar o prémio de jogo especial que o Sporting pagava aos jogadores sempre que ganhavam ao FC Porto ou ao Benfica. Os jogadores estavam compreensivelmente motivados.
Logo aos 12 segundos de jogo, Balakov, que era um grande jogador - tão bom como Figo - , já tinha marcado um golão, com um remate ao ângulo da baliza do Benfica, desferido a mais de 35 metros.
12 segundos de jogo contra o Benfica e estávamos a ganhar 1-0.
Pouco tempo depois, Stan Valckx, o meu fiável defesa central, levou uma cotovelada na cara.
(...) Ao intervalo, quando estávamos a tentar resolver o problema de Stan, o presidente entra de rompante no balneário, a esbracejar, aos gritos, incentivando os jogadores a acabar com o nosso velho inimigo. Os jogadores respondiam na mesma moeda.

"Bora lá! Vamos a eles!", gritavam.
(...) No meio daquela loucura desgarrada, com aquele maluco à solta, eu não consegui perceber uma única palavra do que ele disse. "Ele voltou a duplicar o prémio de jogo", explicou-me o José. "Outravez?"
Ganhámos 2-0 e Stan Valckx jogou até ao fim. 
Ficha do jogo, aqui

RESUMO DO JOGO:

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

A viagem de avião do FC Porto campeão europeu



CHAMPS

O convite era irrecusável:
- Queres passar três dias com o Futebol Clube do Porto em Gelsenkirschen, na Alemanha, por ocasião da final da Liga dos Campeões 2004?
- Quero sim, meu querido e estimado chefe de frota. Mas poderia fornecer mais detalhes sobre a operação, por favor?
- Eu explico. O Futebol Clube do Porto vai agora à Alemanha jogar a final da Champions League e o senhor Pinto da Costa fretou um dos nossos aviões (Airbus A340) para transportar a equipa técnica, dirigentes, jogadores, jornalistas, adeptos e convidados, cerca de 270 pessoas no total. O avião aterra em Munster, que tem uma pista com um comprimento razoável e ali permanece estacionado até ao vosso regresso.
- Parece-me bem. Três dias de férias pagas na Alemanha não é coisa que se recuse. Mas que fiz eu para merecer tanto?
- É simples. Nasceste no Porto e consta que até foste sócio do clube. Além disso tens-te portado bem ultimamente…"
- Ultimamente, pois claro.
- Mas há um detalhe importante que também tem a ver contigo.
Comecei a ficar intrigado.
- E qual é esse detalhe?
- Há vários anos que o FC do Porto não freta aviões à TAP. Houve uma operação que não correu lá muito bem, o senhor Pinto da Costa ficou zangado e cortou relações connosco. Uma pena, porque era um bom cliente.
- Muito bem. Mas que tenho eu a ver com isso?
- Tens tudo. És do Porto, já foste sócio do clube e tens talento para operações de charme. Queremos que o FC do Porto tenha uma viagem inesquecível. É um desafio e uma grande responsabilidade. Continuas interessado?
- Claro que sim. Eu gosto dessas coisas.
Mal eu imaginava que o FC do Porto teria mesmo uma viagem inesquecível, mas seria por outras e bem mais importantes razões.
No dia programado, 24 de Maio de 2004, encontrei-me com a tripulação no despacho operacional da TAP no aeroporto de Lisboa e durante o "briefing" fui alertando os tripulantes para as circunstâncias especiais da nossa missão. O avião iria vazio até ao Porto e só depois começava de facto a nossa viagem. Entretanto, em tom de brincadeira, lá fui perguntando a cada um a sua filiação clubista. Para minha surpresa, ou talvez não, ou eram neutros (sem clube) ou eram fervorosos adeptos do FCP. A chefia do pessoal de bordo fez bem o seu trabalho, como se esperava. Mas como o mundo não é perfeito, quando chegou a vez do copiloto Pedro Agostinho se pronunciar saiu qualquer coisa como
 
"… eu sou do Sporting".
Bolas. Isto estava a correr tão bem. Onde terá falhado o filtro?
- Mas levas o futebol muito a sério?, indaguei.
- Nada. Não se preocupe, Comandante, que ninguém vai dar por mim. Também com 270 dragões a bordo só se fosse maluco iria armar-me em quinta coluna. Nem pensar.
- Ufff! Sendo assim respiro de alívio.
Passámos então à fase seguinte. Depois de conferirmos as habituais informações sobre meteorologia, planos de voo, catering, etc, procedemos à análise da operação no aeroporto de Munster, uma estreia para qualquer de nós. Dotado de excelentes serviços e apoios à navegação (estamos na Alemanha, já se sabe) tinha porém apenas uma pista e se esta já não era muito comprida (2,170 metros) no sentido 07 / 25 ainda o era menos no sentido inverso devido a um "displaced threshold", jargão aeronáutico que significa que uma parte do asfalto não pode ser utilizada para fins operacionais. Claro que ao dizer que a pista não era muito comprida estou a pensar em aviões do tipo do A340, já que para aviões de médio porte como os B737 e A320 aqueles cerca de dois mil metros chegam e sobram. Mas após a consulta das tabelas respectivas chegámos à conclusão que mesmo no sentido mais limitado (25) a operação podia ser feita com toda a segurança, sendo que para isso muito contribuía o facto de o nosso avião transportar nas asas menos de um terço do combustível que precisaria para uma viagem até ao Brasil, por exemplo. Assim, apesar dos 270 passageiros podia dizer-se que o A340 iria operar relativamente "leve" e por isso não necessitava de pistas muito compridas para aterrar e descolar.
Chegados ao Porto o embarque da comitiva não demorou a ter início. Fiquei vigilante e logo que me apercebi que o casal presidencial se preparava para embarcar saí do cockpit, vesti o casaco do uniforme e fui recebê-lo à porta. Beijei a mão de Carolina Salgado e cumprimentei Pinto da Costa desejando boa viagem formulando votos que pudéssemos trazer a Taça connosco. A avaliar pelos sorrisos de ambos o gesto terá sido bem recebido, o que me enchia de esperança em relação ao sucesso da nossa operação. Abro aqui um parêntesis para dizer que não conhecia Carolina Salgado senão dos jornais desportivos. Sobre ela corriam vários rumores que eu sempre descartei atribuindo essas insinuações às rivalidades que sempre existem entre clubes de futebol. Tudo isto para dizer que quando a vi à minha frente, bem vestida e maquilhada, não pude deixar de pensar que se tratava de uma mulher interessante em qualquer parte do mundo. O que ela possa ter feito antes ou depois não me interessa rigorosamente nada.
Terminado o embarque fechámos as portas do avião e fomos completar os preparativos para a viagem. Havia um enorme optimismo no ar e até a TAP entrou na onda ao fazer embarcar umas dezenas de garrafas de champanhe para os festejos do regresso. A vitória era coisa de que ninguém parecia duvidar.
A descolagem fez-se para norte o que me permitiu uma vez mais contemplar Vila do Conde, a cidade onde passei a minha infância e juventude, um lugar que me traz belas memórias e onde volto sempre com imensa ternura e nostalgia. É lá que tenho as minhas raízes e felizmente isso é coisa que nunca se perde por muitas voltas que se dê ao mundo.
Perto do final da subida para a altitude de cruzeiro decidi então saudar os passageiros com o habitual discurso de boas vindas, mas dadas as especiais circunstâncias era bom que desta vez saísse algo bem mais criativo que o habitual. E saiu, claro:
"Bom dia, senhores passageiros. Daqui fala o Comandante do avião que, por acaso, é também o sócio nº 25990 do Futebol Clube do Porto, embora com quotas em atraso, etc, etc".
Na altura só não mencionei que o atraso nas quotas já ia em mais de trinta anos, ou seja, desde os tempos em que por razões de ordem profissional vim morar para o concelho de de Cascais e comecei a desinteressar-me do futebol. De facto, nesses mais de trinta anos apenas terei entrado uma meia dúzia de vezes em estádios de futebol e dessas pelo menos metade terá sido para assistir a concertos de rock & roll.
Como se esperava a mensagem foi muito bem recebida e de repente os passageiros passaram a sentir-se em casa. Bebiam, fumavam, usavam os microfones de bordo para entoarem os seus cânticos, batiam palmas, enfim, um verdadeiro pandemónio, só que um pandemónio azul-e-branco. Lembro-me do Supervisor de Cabina entrar no cockpit onde já o Miguel Sousa Tavares e outros fumavam e dizer-me com ar preocupado:
- Oh Comandante, metade dos passageiros da cabina de turística está a fumar. Que fazemos?
- Que fazemos? Manda o mais elementar bom senso que não façamos absolutamente nada. Este é um voo muito especial em que as regras são ditadas pelo fretador, o FC do Porto. Se não houver qualquer reclamação iremos continuar com este ambiente de festa durante toda a viagem. Só não queremos que os passageiros fumem nos WC. De resto, haja alegria e que todos se sintam felizes, são os meus desejos.
Pelo cockpit passava toda a espécie de visitantes ilustres, fumadores ou não. Lembro-me por exemplo de um conhecido clérigo de Gaia, figura lendária de adepto do FCP que gostava de contar anedotas "picantes", como ele lhes chamava. Perguntava ele dirigindo-se a um conhecido dirigente desportivo:
- Oh doutor, sabe qual é a diferença entre um pecado e um milagre?
- Não, senhor abade, respondeu o inquirido.
- Então lá vai. Se eu der uma queca é pecado, se for você é milagre!
O clérigo riu exuberantemente com a expressão de espanto do visado e logo depois retirou-se para saborear com outro público o sucesso da graçola.
A viagem lá decorreu em ambiente festivo e mais nada de especial haveria para registar se não fosse o simpático gesto de António Lobo Xavier, na altura membro dos corpos dirigentes do FCP, que decidiu oferecer meia dúzia de bilhetes para que uma parte da tripulação pudesse assistir à grande final no Estádio do Schalke 04.
No dia do jogo pedi ao Copiloto (ninguém lhe mandou ser adepto do Sporting…) e a mais uns quantos membros da tripulação para tratarem dos preparativos da viagem enquanto uma meia dúzia de privilegiados (eu incluído) iria assistir ao jogo. Nada de novo aqui. Duas décadas antes foi a minha vez de ser "despachado" para o aeroporto enquanto que o meu Comandante da altura assistia a um jogo europeu do Sporting disputado em Sevilha. Portanto, Pedro Agostinho, hoje que és Comandante espero que em circunstâncias semelhantes faças com os teus Copilotos exactamente o mesmo que eu fiz contigo e que antes disso outros fizeram comigo. Sim, vida de Copiloto é tramada mas ao fim de alguns anos isso passa.
O espectáculo dentro do Estádio do Schalke 04 era deslumbrante. Nunca tinha visto nada parecido. As cores, os cânticos, as bandeiras, as tarjas, o imenso entusiasmo das claques, enfim, tudo aquilo me ia distraindo do essencial e mal me dei conta que ao intervalo o FC do Porto já vencia por dois a zero. Foi então que me surgiu a primeira ideia. Peguei no telefone e liguei para o meu saudoso amigo Nelson Augusto, também Comandante da frota A340 e elemento preponderante da Direcção de Operações de Voo conhecido pela sua total e absoluta dedicação à TAP, disponível 24 horas / dia:
- Alô, Nelson. Isto está no papo. O FC do Porto vai ser campeão europeu.
- Sim? Boas notícias. Precisas de alguma coisa?
- Preciso. Agradecia que entrasses em contacto com o ATC (Controle de Tráfego Aéreo) e pedisses para eles alterarem o "call sign" do voo de regresso. Em vez de TP8725 dizes que queremos ser CHAMPS, de champions.
- Zé Guedes, tu estás bom da cabeça?
- Estou muito bem, obrigado, Faz lá esse favorzinho.
E assim foi. Horas depois, consumada a vitória, pela primeira vez na história da aviação comercial um avião cruzou os céus da velha Europa identificado pela sigla CHAMPS. Era ouvir os controladores europeus e não só:
- CHAMPS, climb to flight level three five zero
- CHAMPS, you may proceed direct to NTS.
- Switch to control frequency 123.45. Goodbye, CHAMPS
- Well done, CHAMPS. Congratulations. Aqui era um avião da Lufthansa, depois outro da British. Da Alitalia também. Uma verdadeira festa nos céus.
- CHAMPS, I have a message for you: from the entire staff on duty at Eurocontrol, please accept our sincere congratulations!!!
No interior do nosso Airbus a festa era indescritível. Cantava-se, bebia-se champanhe como se fosse água, faziam-se discursos, tiravam-se fotografias com a Taça, trocavam-se abraços, faziam-se juras de amor clubista, enfim, chamar a isto ambiente de euforia seria algo bem redutor. Era muito mais que isso. Apenas uma dúzia de pessoas mantinha um prudente recato: os tripulantes do avião e um senhor chamado José Mourinho que parecia nada ter a ver com a festa. Sabendo que trazia consigo a família (mulher e duas crianças pequenas) fui pessoalmente oferecer-lhe o pequeno compartimento situado por trás do cockpit onde existem dois beliches para descanso dos pilotos em viagens de muito longa duração. Recusou, agradeceu discretamente e continuou a fingir que dormia. Sim, quem é que dorme depois de ter conquistado a sua primeira Champions?
Uma hora antes da nossa chegada ao Porto tive outra ideia. Pedi a Reinaldo Teles que viesse ao cockpit e disse-lhe algo como isto:
- Por enquanto a noite está límpida mas ao amanhecer, hora da nossa chegada, poderá haver algum nevoeiro em Pedras Rubras. Se as condições se mantiverem como estão acha que seria interessante fazermos uma passagem a baixa altitude sobre o Estádio do Dragão onde estão concentrados os adeptos à espera da equipa?
- Grande ideia, Comandante! O pessoal ia adorar. Mas acha que isso é seguro?
- Claro que sim. Iremos manter a altitude de segurança que consta das cartas de navegação, tudo isto previamente autorizado e coordenado pelo Controle de Tráfego Aéreo.
- Vai ser uma loucura no Dragão, tenho a certeza.
- Também acho, mas vou precisar de uma ajuda. Como vamos chegar ao amanhecer dava-me jeito ter uma referência visual para "apontar" ao estádio. Será possível pedir para acenderem as luzes?
- Nada mais fácil. Tem aqui este número de telefone, peça a alguém que entre em contacto e diga que vai da minha parte. Diga também para acenderem as luzes das torres de iluminação. Vai ser lindo!
Estava então tudo preparado para a grande festa e a minha missão aproximava-se do fim. Depois de tanto "charme" derramado para conquistar de volta o FC do Porto só um coração empedernido não ficaria sensibilizado com tanta dedicação, como de facto não ficou. Momentos antes da descida para Pedras Rubras o senhor Pinto da Costa entrou no cockpit para agradecer o nosso empenho e aproveitou para pedir o meu velho cartão de sócio do FCP. Fiquei embaraçado devido às quotas em atraso mas lá o entreguei. Pensei que só o quisesse conferir, mas não: quando dei por mim o Presidente do Futebol Clube do Porto tinha guardado o cartão no bolso do casaco. Um par de meses mais tarde viria a receber em minha casa um novo exemplar, com número de sócio actualizado e quotas em dia. Muito obrigado, senhor Pinto da Costa.
Mas estava escrito que a nossa chegada ao Porto não seria o mar-de-rosas que tínhamos planeado. O voo tinha saído com um atraso considerável de Munster devido aos festejos e à euforia reinante que era transversal a toda a comitiva e isso foi empurrando a estimativa de aterragem na Invicta para o amanhecer, o período mais crítico para a formação de bancos de nevoeiro, fenómeno frequente em toda a região a norte da cidade em determinadas épocas do ano. E assim foi. À medida que nos aproximávamos do nosso destino as informações meteorológicas eram cada vez mais preocupantes: havia formação de nevoeiro sobre o aeroporto e a visibilidade degradava-se a olhos vistos, curiosa expressão se utilizada para avaliar aquilo que se vê. Como se tal não bastasse era na cabeceira da pista em uso (17) que se encontrava a zona de nevoeiro mais denso. Bonito serviço. Nestas condições ficava fora de questão a hipótese de sobrevoo do Estádio do Dragão e instalava-se uma nova e bem maior preocupação: e se eu não consigo aterrar no Porto? De facto as condições meteorológicas pioravam a cada instante e os sistemas de aproximação de precisão (Instrument Landing System, ILS) instalados na pista não eram da última geração pelo que exigiam um determinado valor de tecto e visibilidade para se poder consumar a aterragem em total segurança. Foi então que fiquei verdadeiramente preocupado. Imaginem que devido ao nevoeiro eu não conseguia aterrar no Porto e, sacrilégio dos sacrilégios, levava a taça e os novos Campeões Europeus para … Lisboa!!! Ficaria com a cabeça a prémio, seguramente, ainda por cima na minha cidade natal.
Mas os anjos do futebol resolveram dar uma ajuda e a aterragem realizou-se sem dificuldades de maior graças ao perfeito trabalho de cockpit (obrigado, Pedro Agostinho) e ao excelente avião que, sem dúvida, é o Airbus A340. Todos respirámos de alívio no momento em que os passageiros desembarcaram e a nossa missão foi dada como terminada. Pela minha parte fiquei com a sensação que as relações entre a TAP e o FC do Porto teriam ficado normalizadas a partir de então e que a tripulação deste serviço terá dado um contributo decisivo para que tal viesse a acontecer.
Infelizmente quando uma equipa portuguesa voltar a jogar uma final da Champions League já não serei eu a pilotar o avião mas podem ter a certeza que esteja onde estiver vou fazer muita força para que a Taça volte para Portugal e que o voo de regresso tenha o melhor e mais criativo "call sign" da história da aviação comercial portuguesa: CHAMPS.

Post daqui

Guerra de nervos


Chegados a este momento, já todos percebemos muito bem que o combate pelo título na Liga 2016/17 está circunscrito a Benfica e FC Porto, que, nesta fase, estão separados por um insignificante ponto, quando ainda há 14 jornadas pela frente e um duelo direto no Estádio da Luz. Já todos percebemos igualmente que a guerra de nervos vai fazer regra e quem for capaz de lidar melhor com essa vertente emocional acabará por recolher os respetivos dividendos. Noutros tempos, esta capacidade de fazer a diferença em tempos críticos, como é o caso, chamava-se estofo de campeão e tornou-se um mito do futebol português. E a pergunta seguinte é esta: quem, por agora, revela essa qualidade?
O Benfica tem do seu lado a motivação decorrente do objetivo histórico da primeira conquista do tetracampeonato, para além de ser líder com mais um ponto. A equipa de Rui Vitória foi dominadora até há bem pouco tempo, mas agora está a sentir os efeitos da pressão esgrimida por Espírito Santo. O treinador do Benfica está obrigado a fazer um diagnóstico imediato da quebra para repor a normalidade e garantir a competitividade na Liga dos Campeões, uma prova onde há pergaminhos a defender, e que pela forma como a equipa responder, será determinante para o rumo da própria Liga interna. O FC Porto, por sua vez, tem a legítima ambição do título depois de três anos negros, e chega a esta altura da época na situação em que desejava estar, ou seja, a depender apenas de si para ser campeão.
Esta semana, Espírito Santo vai sentir o reverso da medalha da pressão que tem lançado sobre o Benfica, pois joga no dia seguinte ao seu rival, e frente a um adversário sempre complicado, como é o caso do V. Guimarães. A verdadeira pressão para os dragões reside no facto de terem de subir o seu rendimento fora de casa, deixando de desperdiçar pontos sem a mínima explicação. O estofo de campeão passa por nivelar o rendimento por cima e sem os altos e baixos que, por vezes, tem revelado e que nem sempre Casillas consegue disfarçar. Ao estar à frente, o Benfica terá sempre a primeira palavra e é nesse conforto que Rui Vitória deve colocar novamente a águia a voar alto.
Jorge Barbosa no Jornal Record

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Jonas está com sede de golos...

...e o Benfica agradece.

Hoje, na Luz, o Benfica voltou à liderança do campeonato num jogo nem sempre bem jogado. Mas isso, agora, poucas vezes vai interessar.

A partir de agora é jogar para somar os três pontos. O Benfica e, o FC Porto.

A diferença pontual é mínima e ninguém quer perder o comboio da liderança.


Sporting dominou mas o Porto foi mais eficaz

Caros leitores, este post demorou um pouco mais a sair porque eu quis ver novamente o jogo de ontem, esta manhã, com mais calma e para me certificar de algumas declarações dos intervenientes ontem após o apito final. Por vezes, no directo, há coisas que nos escapam, tanto dentro das quatro linhas como fora delas.

Se dúvidas houvesse, elas ontem ficaram mais uma vez dissipadas. Ter o domínio do jogo em quase todos os 'itens' de nada serve se não houver eficácia na hora da finalização (ver quadro em baixo).

Foi o que aconteceu ao Sporting, ontem, no dragão.

O FC Porto foi mais eficaz na concretização das oportunidades criadas e o sector defensivo do FC Porto esteve muito bem. Mais uma vez, Iker Casillas demonstrou que ainda está aí para as curvas. Vitória justa do FC Porto, quem marca mais golos que o adversário vence sempre. Como diz o 'outro', elas contam é lá dentro. E, Soares, que jogador com garra e persistência?!...

O que não gostei, foi das declarações do treinador do sporting sobre o jovem Palhinha, este rapaz não merecia tamanha injustiça. Mas isto já não é novidade para ninguém, já o era assim no Benfica!


Os erros corrigem-se é dentro de portas. Em público fica para os 'analistas' e para os adeptos.


sábado, 4 de fevereiro de 2017

Árbitro do FC Porto - Sporting tem o facebook suspenso

A página pessoal do árbitro Hugo Miguel foi suspensa nas últimas 24 horas, claro que até poderá ter sido o próprio a fazê-lo para evitar mais polémica à sua volta.

Em baixo, um vídeo do programa de ontem Liga d'Ouro da CMTV, onde a partir do minuto 9.40' pode-se assistir a uma escuta onde Pinto de Sousa fala a Pinto da Costa sobre o árbitro de Lisboa. Esta escuta refere-se ao tal post que fiz ontem, aqui.

Para que fique claro, neste post de ontem, não pus em questão a idoneidade de Hugo Miguel nem de árbitro algum, apenas não concordo com os critérios de nomeação.

Continuo a afirmar, este árbitro não deveria ter sido nomeado para o clássico de hoje e, pelos vistos, a pressão tem sido muita.


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Onzes e sistemas de FC Porto e Sporting?!...

...e se amanhã ambos os técnicos introduzissem umas surpresas no onze/sistema de jogo inicial?!...

 

Era um homem bom...

...o 'Ti Amândio', como carinhosamente lhe chamavam os amigos mais próximos.




Com quem ele privou, afirma que era um homem bom e generoso, que dava o que tinha quando a FPF não tinha o que tem hoje. Odiado por uns, mas amado por muitos mais, Amândio de Carvalho foi dirigente da FPF durante muitos anos. Que descanse em Paz!, senhor Amândio.

Jorge Simão anda perdido

Atenção, antes de analisar a situação do Braga, propriamente dita, convém esclarecer o seguinte:
 - não sou defensor de José Peseiro nem contra Jorge Simão ou o vice-versa.

Apenas analisar a realidade nua e crua, tal como ela é!

Quando fiz este post, na altura do despedimento de José Peseiro, afirmei:
Mas lembra a alguém despedir um treinador, orientando um clube como o Braga, quando este estava a 6 pontos do líder do campeonato, a 1 ponto do terceiro e a 2 dois pontos do segundo?!...

O resultado está á vista, o Braga vai de mau a pior, até o futebol praticado que tinha alguma nota artística com José Peseiro desapareceu...

1) José Peseiro é um treinador com pé frio? Os resultados (poucos títulos conquistados) assim o indicam.
Peseiro é culpado porque por vezes toma decisões mais com o coração do que com a cabeça, como foi o caso de ter aceite o convite do FC Porto quando a matéria prima andava toda remendada.
Mas que é bom treinador, é!


2) Jorge Simão deveria ter aceite o convite do Braga abandonando o Chaves?

Decisão difícil, mas respeitável, Jorge Simão afirmou, por outras palavras, é certo, que oportunidades dessas não aparecem sempre.

Eu não aceitaria, Jorge Simão se sabe da sua qualidade deveria ter terminado o excelente trabalho que estava a efectuar em Chaves e as oportunidades apareceriam naturalmente.

Aliás, eu próprio tenho acompanhado a carreira  de Jorge Simão com algum interesse, mas o homem neste momento está perdido no seu labirinto.

Vê-lo ontem menosprezar o Rio Ave refugiando-se na arbitragem foi mau demais. Jorge Simão não deveria entrar no caminho daqueles que tudo fazem para se manter no 'pelouro'.
O Rio Ave ontem jogou melhor, teve mais posse de bola, mais oportunidades, mais eficácia...enfim, quase tudo mais! O Braga não está jogando 'a ponta de um corno'...essa é que é essa!

Jorge Simão resolveu 'abanar' com o Braga a meio de uma época e isso quase nunca resulta!
'Mandar a jogo' no onze inicial três jogadores do mercado de Janeiro tem os seus custos, e mais ainda quando me parece que  o balneário estava como José Peseiro e não aceitou muito bem esta mudança!

O discurso de Jorge Simão neste momento 'é uma mão cheia de nada' e eu tenho pena que assim seja, volto a afirmar, simpatizava com este treinador. Estaria errado?!


Só o futuro o dirá, mas a comunicação de Jorge Simão neste momento é má de mais, será só isso?!...