quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

O bate boca entre Jorge Jesus e Rui Vitória

Com um novo ano a se aproximar, espero bem que estas cenas deixem de existir de uma vez por todas. 

Foi um ano excelente a todos os níveis para o futebol português, os treinadores e os dirigentes que se dêem ao respeito a partir do novo ano. 


quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

3 dias para finalizar 2016

Esta gente jogava muito!...

...se bem que, eu simpatizasse mais com o Milan de Arrigo Sachi.
Nesta final da 'Champions', apresentou-se sem os dois centrais de raíz, nem mais nem menos do que os 'enormes' Baresi e Costacurta!
Vencer por 4-0 ao grande Barcelona de Johan Cruyff, foi obra!!!

Ficha do jogo, aqui.

  

Mais uma 'vaporada' de Bruno de Carvalho?!...

Nada disso, apenas e só - Love.
Foi só uma 'troca de miminhos' na festa do 20.º aniversário da Clínica Milénio, que se realizou no Casino Estoril. Quem nunca esteve apaixonado, que atire a primeira pedra para o ar...

Melissa, a mulher que lesionou Boateng a fazer sexo




Foi a própria modelo a admitir que Kevin-Prince Boateng sofreu uma rotura muscular em 2012. 

Percorra a galeria, no Jornal O Jogo, aqui

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Entrevista a Pedro Madeira Rodrigues (vídeo)

Este, sabe-se de onde vem...

Ainda não tenho uma opinião muito bem formada sobre o primeiro candidato às eleições do próximo mês de Março no Sporting Clube de Portugal. 

Mas, uma coisa é certa: este, sabe-se de onde vem, o perfil é de considerar e é respeitado por muita boa gente deste País.

 

(Foto do jogo Belenenses 0-1 Sporting)


Algumas curiosidades sobre o perfil deste candidato: 

Pedro Madeira Rodrigues jogou nas camadas jovens do Sporting entre 1982 e 1985 e isso naqueles tempos não era para qualquer um. 

É o autor do musical "Sporting 1906" e foi distinguido com um prémio Stromp em 2012. 

- Pedro Madeira Rodrigues, 45 anos, casado e pai de cinco filhos, é sócio do Sporting desde 1981. 

- É licenciado em Gestão e Administração. 

- Foi chefe de gabinete de Álvaro Barreto, no Ministério da Economia, no início da década nos Governos do PSD/CDS. 

- Tem passagens pelos recursos humanos de várias empresas, tendo abandonado, recentemente, o cargo de secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa.

Quem o conhece, diz-me que não ganha as eleições no Sporting - é bom demais!
Será mesmo assim?!...
Acho que é prematuro tirar conclusões precipitadas, é necessário conhecer o projecto e a procissão ainda vai no adro..., mas, repito, este, sabe-se de onde vem e isso já é muito, muito importante para os sportinguistas.

Entrevista completa com o treinador do ano (vídeo)



 Entrevista à CMTV

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Os melhores de 2016 no campeonato português

Esta, foi a selecção do blogue Futebol Total de jogadores portugueses que mais se destacaram no campeonato português, no ano civil de 2016, sem médios defensivos de raiz. 

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Sporting. Mais uma prenda de Bas Dost

Nos últimos três 1-0 do Sporting, o herói é invariavelmente o holandês (Bessa, Bonfim e Restelo). Num jogo insonso, às vezes sem ponta por onde se pegue, o golo sai aos 90'+3



Pela cara, Bas Dost está quase quase quase a fazer o 1-0 nos descontos
MANUEL DE ALMEIDA/LUSA
Where’s the bottle? Where’s the bonbon? Where’s the whiskey? Where’s the bottle? Where’s the bonbon? Where’s the whiskey? Where’s the bottle? Where’s the bonbon? Where’s the whiskey? Where’s the bottle? Where’s the bonbon? Where’s the whiskey? Where’s the bottle? Where’s the bonbon? Where’s the whiskey? Where’s the bottle? Where’s the bonbon? Where’s the whiskey? Where’s the bottle? Where’s the bonbon? Where’s the whiskey? Where’s the bottle? Where’s the bonbon? Where’s the whiskey?
Atenção, isto não está escrito a giz por Bart Simpson. Na filmagens do filme “Quanto Mais Quente Melhor” (1959), a escultural Marilyn Monroe demora 59 takes para acertar na frase “Where’s the bourbon?”. Simples mais simples é impossível, só que Marilyn está num dia assim-assim a atirar para o não e está armado o trinta-e-um. Ligeiramente parecido com o Sporting no Restelo, primeiro apático, depois simpático, finalmente certeiro. Só ao fim do 93.º take é que a bola sai redonda para a baliza de Joel, cortesia Bas-pois-claro-Dost. Nos últimos três 1-0, o holandês é invariavelmente o herói (Bessa, Bonfim e Restelo). Respira aliviado o Sporting, por manter os oito pontos de atraso sobre o líder Benfica e ainda o quarto lugar do campeonato na viragem do ano.
Jesus promove uma semi-revolução com cinco alterações, quatro das quais na defesa. Só Coates continua firme e hirto. O resto é substituído, por lesão ou opção: Beto por Patrício, Esgaio por João Pereira, Douglas por Rúben e Jefferson por Zeegelaar. No ataque, Alan junta-se a Bryan num mundo de Ruiz e sem Bruno César metido ao barulho. A súbita mudança de meia-equipa resulta em nada por incapacidade do Sporting em criar perigo nas bolas paradas. Um dois três quatro cinco seis sete oito cantos na primeira parte e nem um serve para criar perigo às redes de Joel. Aliás, o único digno de registo é proporcionado pelo Belenenses, curiosamente na ressaca de um canto do Sporting. O capitão Adrien demora a libertar a bola e Sturgeon parte para o contra-ataque. No três-para-um, os belenenses atrapalham-se todos e Beto defende bem o desajeitado remate à queima-roupa de Sturgeon (39′). Quando Tiago Martins apita para o fim, há 0-0 em tudo: emoção, futebol e criatividade.
A segunda parte evidencia um Sporting menos adormecido. Alan testa os reflexos de Joel, aos 47′, e Campbell (entrado para o lugar do apagado Bryan) semeia o pânico com um cruzamento venenoso a que Bas Dost chega tarde, aos 61′. Cinco minutos depois, uma falta de Gonçalo Silva sobre Campbell resulta num livre à entrada da área. Adrien atira forte, Joel defende com a ponta dos dedos e a bola embate na trave antes de sair da área. Espantosamente, é o canto do cisne do Sporting. A partir daqui, o Belenenses assume o jogo e começa a espantar a bola para a baliza de Beto. Aos 73′, Sturgeon recebe e atira ao poste. No quadradinho seguinte (76′), João Diogo aproveita uma auto-estrada de Jefferson para obrigar Beto a defesa com as pernas. A pobreza franciscana é por demais evidente e o Sporting limita-se a controlar sem incomodar Joel. O número de cantos amontoa-se a torto e a direito. Só. Zero de perigo.
Quando o Belenenses sonha com o pontinho e perde tempo num lançamento lateral por Camará, o Sporting ganha uma bola no meio-campo por Bas Dost e lança-se ao ataque com fervor. Descaído sobre a esquerda, Campbell cruza para o segundo poste, onde surge repentinamente Bas Dost a selar a vitória. Até ao fim, o Belenenses ainda atira outra vez à baliza, num cabeceamento de Tiago Caeiro para defesa segura de Beto sobre a linha de golo. O um-zero está mais que garantido. Tiago Martins apita e há um adepto sportinguista a invadir o campo para pedir a camisola de Castaignos. A intervenção policial é imediata, tal como a de Jesus. Se os seguranças separam o adepto do jogador, o treinador une-os com um dois três quatro berros audíveis até na Almirante Reis. A saga do “where’s the bourbon?” continua só para o ano, no dia 8 Janeiro.
Estádio do Restelo, em Lisboa
Árbitro: Tiago Martins
BELENENSES: Joel Pereira; João Diogo, Gonçalo Silva, Gonçalo Brandão, Florent; André Sousa, Yebda (Mica Pinto, 84′) e Vítor Gomes; Sturgeon (Tiago Caeiro, 90′), Camará e Benny (Gerso, 73′)
Treinador: Quim Machado (português)
SPORTING: Beto; Esgaio, Coates, Douglas e Jefferson; Willliam (Bruno César, 83′) e Adrien; Gelson, Bryan (Campbell, 58′) e Alan (Castaignos, 73′); Bas Dost
Treinador: Jorge Jesus (português)
Marcador: 0-1, Bas Dost (90’+3)
Rui Miguel Tovar, aqui

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

O QUE FAZER COM ESTA ARBITRAGEM?



O jogo de ontem no Dragão foi apenas mais um em que presenciámos um erro grosseiro com clara influência no resultado. Sem alinhar pelos 15 penáltis pedidos por Pinto da Costa, penso que é necessário admitir que os dragões têm razões de queixa de várias arbitragens esta época. Felizmente chegaram à vitória frente ao Chaves sem precisarem do golo anulado a André Silva. Seria mais um a causar descrédito numa prova e desporto que todos amamos mas cuja credibilidade anda pelas ruas da amargura. Basta ler os comentários dos leitores, o que se diz nos cafés, as barbaridades que se escrevem nas redes sociais para entender que os únicos satisfeitos são os que vão na frente. Não é de hoje, é coisa antiga. Toni, até ele, um símbolo do Benfica e que merece enorme respeito foi atacado apenas por ter sido intelectualmente honesto e ter dito algo muito simples: o árbitro do dérbi acabou por ter influência. Não disse que a águia foi levada ao colo nem colocou em causa a honestidade de Jorge Sousa. Num Mundo normal seria compreendido por todos, mesmo os que não concordam. Mas não, nos tempos que correm quem não alinhar na carneirada e debitar o discurso oficial não cabe na simples nomenclatura de bom adepto. É um inimigo. Até quem deu parte da vida pelo Benfica. Será possível? 
 
 

São mesmo muitos os erros. Não vale a pena escondê-lo. A Liga da Verdade de Record é apenas uma ferramenta simples para perceber que algo vai mal. O problema é que o diagnóstico está feito há muito. A cura para a maleita é que se antevê complicada. Ninguém assume quando é beneficiado. Os discursos dos técnicos e dirigentes são do mais hipócrita quando isso acontece. E como melhorar a arbitragem se a ideia de quase todos é sim controlá-la? É verdade que isto está mau. E não vai melhorar.

Bernardo Ribeiro no Jornal Record

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Ela simpatiza com o FC Porto

Acontece de tudo a este Sporting


(Foto do Jornal Record)


Um amigo meu esta manhã 'espetou-me' com esta frase em cima - sem dúvida um bom título para este post.
Eu comentei que sim, e que quem acompanhava o meu blogue sabia o que eu pensava sobre toda esta situação no Sporting, isto tudo começou na época passada quando estavam com 7 pontos de vantagem para o segundo.

O problema do Sporting é da estrutura, um presidente que lidera o clube como líder de claque, que passa a vida mais preocupado com o rival da segunda circular do que com o clube que preside.


Bruno Carvalho só está bem 'arranjando sarilho' para entreter a nação sportinguista e se manter no pelouro. Até o director de comunicação que iniciou funções esta época segue-lhe o rasto nas guerras contra comentadores encarnados.
Mas lembra a alguém, que quem preside uma instituição como o Sporting passe a vida a comentar 'comentadores?'
Isso nem lembra ao 'diabo', os comentadores que se entretenham entre eles...

Se Jorge Jesus também é culpado?
Sim, também!,...o técnico do Sporting tem tido alguns erros em virtude do seu ego, mas é um bom treinador.

Teimosia também tem alguma, ontem, 'ficou nas entrelinhas' que esta equipa estava cansada em virtude do jogo a meio da semana para a taça de Portugal.

Antes, eram as competições europeias, agora, também, a taça de Portugal!

Enfim, o problema é quando tem o microfone na frente e lhe dão tempo de antena - isso já acontecia no Benfica, mas aí a estrutura era mais forte. De resto, não deixa de ser um bom treinador!

As derrotas em campo é apenas o culminar de tudo isso, para cúmulo, ontem, o treinador do Braga era um técnico que foi 'escorraçado de Alvalade' e o marcador do único golo do encontro um jogador que também levou guia de marcha desta direcção leonina.

E, os erros de arbitragem não justificam tudo, esta crise é mais profunda do que possa parecer a muita boa gente!

Para tragédia total, só falta perder pontos no Restelo e o Guimarães não os perder em Arouca. Acabar o ano em 5º lugar era mau demais!...

P.S. Eu, ao contrário de muitos outros, não afasto o Sporting na corrida ao título, 8 pontos à 14ª jornada não é nada se tivermos em linha de conta que este campeonato ainda nem a metade chegou. Para isso não acontecer, é necessário que Bruno de Carvalho e o director Saraiva deixem o plantel do Sporting e a sua equipa técnica em paz, deixem essa gente trabalhar em sossego.

domingo, 18 de dezembro de 2016

Já ferve o clássico em Alvalade



Hoje, é dia de clássico em Alvalade, sim, clássico!, o Sporting a jogar com o Braga é considerado por este amante e consumidor de futebol como um clássico!
Expectativas altas em ver como este Braga se apresenta em Alvalade sem José Peseiro.
Mas lembra a alguém despedir um treinador, orientando um clube como o Braga, quando este estava a 6 pontos do líder do campeonato, a 1 ponto do terceiro e a 2 dois pontos do segundo?!...

Sinceramente..., António Salvador tem muito que amadurecer como presidente deste enorme clube que é o Braga.

O substituto é Jorge Simão e começa amanhã a trabalhar na cidades dos Arcebispos, a fasquia está alta para o jovem técnico português. É um bom treinador, não há dúvidas, está fazendo o seu caminho e com bons trabalhos na I Liga. Vamos esperar para ver se terá sucesso no Minho!

Em relação ao Sporting, só a vitória interessa e acho que Jorge Jesus a partir de hoje lançará  de vez no 'onze base' Campbell como médio ala esquerdo.
Bryan Ruiz ou Bruno César, um cairá do onze titular.

CR7 e mais dez



Já me perdi nos títulos que este homem já conquistou, tanto individuais como colectivos.

Hoje, mais um hat trick na final do Mundial de Clubes, num jogo difícil, só decidido no prolongamento. 

Contra factos, não há argumentos...sólidos, o resto é poeira para enganar pacóvios.

Penalty mal assinalado no Estoril



Detesto começar um post com arbitragens, mas, mais uma vez, lances de bola na mão ou mão na bola voltam a estar presentes num jogo dos candidatos ao título.

Ontem, aos 60 minutos, Bruno Paixão no penalty assinalado contra o Estoril foi perentório, mandou logo para a marca. Ele não teve dúvidas.

Com Bruno Paixão a apitar o Benfica, é como Carlos Xistra ou Hugo Miguel apitando o Sporting - em caso de dúvida, não hesitam em 'quem ajudar'.

Enfim...tenho de ser coerente com a minha opinião sobre esses lances - quando não há movimento deliberado da mão ou braço (intencional, para melhor entendimento) em direcção à bola, não é penalty, é deixar seguir - assim dita por outras palavras a lei 12.

Aos 51 minutos, sim, há um penalty que não foi assinalado contra o Estoril. O que fica para a história é que o Benfica passou por muitas dificuldades para somar os 3 pontos no António Coimbra da Mota.

Se Bruno Paixão teve influência directa no resultado?
Para mim, não!, errou no lance que assinalou penalty mas falhou antes noutro que era penalty nítido.


sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

A final da Champions mais emocionante de sempre

Bruno de Carvalho, um Presidente que faz bem ao Benfica



Bruno de Carvalho. Basta ficar 5 minutos a analisar-lhe as expressões para perceber que há ali qualquer coisa que não bate bem - quer dizer, o senhor não joga com o baralho todo. De olhos esbugalhados, discurso arrogante e sem nexo, o peculiar Presidente do Sporting vai alimentando a fogueira com a acendalha que o elevou e o mantém no poder: o anti-Benfica.

Nessa sua saga infernal de explorar o mais forte fraquinho dos sportinguistas, não vê limites nas palavras e nas acções: tanto pode mentir descaradamente aos sócios sobre um determinado assunto e logo depois defender o seu contrário; enviar cães de fila para denegrir o treinador da equipa de futebol, criando um ambiente pavoroso entre técnico e jogadores; colocar em causa a idade e honra de um miúdo de 18 anos que joga no rival; entrar no Sporting com a promessa de ter garantido uma parceria com um fundo, depois inventar uma perseguição  aos fundos que acabou na obrigatoriedade de tirar mais de 20 milhões de euros às já muito frágeis contas do clube, e logo a seguir anunciar mais uma parceria com um... fundo.

Bruno de Carvalho segue em frente, sempre em frente. Por mais ridicularizado que seja pela realidade, por mais derrotas nos tribunais, nos campos de futebol, na comunicação, de Carvalho vai em fuga permanente até ao abismo final. Leva nas mãos a bandeira do anti-Benfica mas ela já não convence todos os sportinguistas que começam a compreender a manobra de diversão. 

Ao Benfica já nem interessa responder. Se eu fosse Director de Comunicação do Glorioso, mandaria calar todos os papagaios Guerras, Gomes da Silva,  Venturas e quejandos. A melhor coisa para queimar Bruno de Carvalho é Bruno de Carvalho. Com a sua arrogância, com a sua desesperada sede de protagonismo, com a falta de dignidade, a pobreza de espírito, a boçalidade, o tipo dá tiros nos pés a cada intervenção aos microfones, a cada post no facebook.

É deixá-lo arder sozinho. E agradecer-lhe a saga paranóica que teve para evitar que o Benfica dobrasse o Sporting em campeonatos nacionais. Não só ninguém foi atrás da burla dos 4 campeonatos como ainda recebemos mais 3 Taças de Portugal para o nosso palmarés sem mexermos uma palha. Já merece um espaço no Cosme Damião.

Dragões ainda se assustaram

O FC Porto venceu ontem o Marítimo por 2-1 mas ainda apanhou um susto quando os 'madeirenses' reduziram aos 85 minutos. Jogando melhor e vencendo com todo o mérito, o final do jogo poderia ter sido mais complicado. Era uma injustiça para o FCP, mas há que evitar esses momentos com mais criatividade e concentração.


Порту - Маритиму (Обзор матча) "MyFootball.ws" от MyFootball.ws - Футбол онлайн на Rutube.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Uma vergonha, este Pedro Guerra

além do tom irritante e de estar de papo cheio,...de futebol, percebe - 'bola'...


Por anda Jorge Nuno Pinto da Costa?!...

Não pretendendo ser mauzinho, mas é que não foi a vitória sobre o Braga nos descontos, depois de estar a jogar contra 10 durante uma hora, nem a vitória contra o Leicester B (apenas actuaram de início 1 titular do 'onze base', o outro, entrou ao intervalo), nem novamente na Feira contra 10 jogadores do Feirense desde os primeiros minutos que este FC Porto me convenceu.
 
Hoje, contra o marítimo e, caso jogue em igualdade de circunstâncias, é que quero ver se temos candidato ou não ao título.
 
Por onde anda o FC Porto de Vítor Baía, João Pinto, Aloísio, F. Couto, André e tantos outros?!...
 
Um FC Porto que encantava pela garra, vontade, crença e tudo mais...
Por anda Jorge Nuno Pinto da Costa, o presidente que bastava dar um berro no balneário para toda a gente ficar em sentido?...
 
Tem o cú preso a empresários e chantagistas?

Entrevista completa de Bruno de Carvalho

Espero que este seja o último post do ano sobre Bruno de Carvalho, afinal, não é o presidente do meu clube e continua por aí muita boa gente que gosta de ser enganada. 
Tenho pena pelos meu amigos sportinguistas. Enfim...como diz o outro - siga para bingo... 

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Este Bruno de Carvalho envergonha o Sporting

Aqui ficam alguns momentos da entrevista de Bruno de Carvalho, aproveitem, porque isto deve estar dando as últimas, Março está perto. 

Nem chamaria a isto entrevista, isto mais parece um 'prisioneiro no corredor da morte' com receio de aparecer alguém que o faça perder as próximas eleições no Sporting.

Como é que é possível uma instituição como o Sporting ser representada por outro tanto?!...
Até percebo, afinal houve eleições e o 'homem' conseguiu enganar muito boa gente!

'Chamar' os sem abrigos para exemplificar algo, só mesmo este 'artista'. Nem comento o tom da entrevista, isto é o desespero total para se aguentar no pelouro. 

Algo me diz que isto não dura muito, não tenho os sportinguistas por gente que se deixe enganar por muito mais tempo.

 

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Os erros nos golos do derby

Há lances para todos os gostos, eu prefiro analisar o jogo jogado (no último post já escrevi sobre arbitragem), por isso, aqui fica o vídeo com os golos e os erros do último derby.



1º golo do Benfica: Saída em contra ataque dos encarnados, médios leoninos mal posicionados (normal, tinham ido com 'tudo' para o ataque à baliza encarnada 6/7 jogadores) e João Pereira também não estava bem posicionado.

Caro leitor, repare no segundo 0,16'. William Carvalho pode anular o lance, tenta dominar a bola numa zona desprotegida e esta bate-lhe no joelho e vai para Gonçalo Guedes que a entrega a Rafa e este cruza para Sálvio efectuar o 1-0.
Por vezes, há que jogar forte e feio, William deveria ter dado um chuto para qualquer sítio, tentar dominar a bola naquela zona sem ter cobertura eficiente é que não.

2º golo do Benfica: Jogada normal, Zeegelaar não aborda o lance como deveria, Sálvio mete-lhe a bola entre as pernas e Nelson Semedo efectua o cruzamento. João Pereira desconcentrado deixa-se antecipar. Bem Jiménez, mal João Pereira!

Golo do Sporting: Uma excelente jogada e cruzamento de Campbell, Lindelof falha na marcação e Bas Dost faz o que melhor sabe, cabeceia para golo.

Como podem verificar, uma equipa marca quando a outra falha. A beleza do futebol é isto!

Um verdadeiro artista

JOSÉ EDUARDO: «TUDO O QUE DISSE SOBRE MARCO SILVA FOI-ME TRANSMITIDO PELA ADMINISTRAÇÃO»
Antigo jogador falou em tribunal sobre as acusações feitas ao ex-treinador



Esta notícia em baixo do Jornal Record não me surpreende. O homem apertado em tribunal já disse que foi a administração, se 'apertarem' mais um bocadinho ele chama os 'bois pelos nomes'. Uma autêntica 'figurinha' que só sabe 'andar atrás' de mama. E Viva aos 'croquetes'...
José Eduardo garante que as acusações que fez a Marco Silva, numa entrevista à RTP há cerca de dois anos, foi com base em informações que recebeu de dentro do Sporting. "Tudo o que disse foi-me transmitido pela administração do Sporting", garantiu em tribunal, no último dia em que foram ouvidas testemunhas no processo interposto pelo antigo treinador dos leões à antiga glória leonina.
O empresário explicou que se sentiu "atingido pelo comportamento de Marco Silva". "Tudo o que disse foi o que ouvi nos corredores de Alvalade. A entrevista à RTP não foi encomendada, eles é que quiseram falar comigo e eu estava a caminho de Berlim", contou, acrescentando que "não disse tudo" o que ouviu.
"Não disse que Marco Silva não colaborava com as ações de solidariedade do Sporting e que deixou de colaborar com o projeto Balneário Sporting. Revela bem o carácter de Marco Silva. Estive dois anos calados e finalmente tenho liberdade para dizer estas coisas", acrescentou.
José Eduardo sublinhou ainda que o treinador "estava contra os interesses do Sporting, não se identificou com o Sporting, tal como não se identificou com os do Olympiacos". "É reincidente, foi a segunda vez, vamos ver se não haverá uma terceira", anunciou.
Também Virgílio Lopes e Augusto Inácio prestaram declarações, ambos arrolados como testemunhas por José Eduardo. Do lado de Marco Silva, João Coimbra, seu antigo jogador no Estoril, foi ouvido pelo juiz. O testemunho Rui Patrício, que tinha audiência marcada para hoje, foi prescindido.
O julgamento termina na próxima terça-feira, dia 20, quando forem feitas as alegações finais por parte dos dois advogados.

O Derby foi complicadinho...

Desde já, pedir desculpas aos leitores por esta ausência de quase dois dias,...e ainda por cima sem um post sobre o último derby.


Adiante, o fanatismo voltou no seu melhor às redes sociais em virtude de dois lances de possível mão na bola e não bola na mão.
 
Quem por aqui passa, sabe qual a minha opinião sobre esses lances, (...) basta consultar os regulamentos e tentar perceber o que é bola na mão e mão na bola.
 
Mas enfim...quando os ex-árbitros tem opiniões diferentes (imagem em cima), não se pode exigir muito mais dos que sofrem de clubite aguda.
 
Eu prefiro ir ao jogo jogado e aí, não há dúvidas, foi provavelmente um dos melhores jogos da época, o Sporting tentando controlar o jogo como tanto gosta, o Benfica, durante algum tempo, usando uma estratégia de ir jogando no erro do adversário e...conseguiu! Marcou 2 golos e o Sporting apenas um, e isto é que fica para a história.
 
Em relação aos treinadores, gostei da aposta em Rafa por parte de Rui Vitória, não gostei das substituições do técnico encarnado, muito menos da última substituição de JJ.
 
Tirar Bas Dost, uma referência para os centrais do Benfica e para os próprios colegas, nos últimos minutos?,...precisando de marcar pelo menos o golo do empate?!...
 
Não lembra ao diabo, pior do que isso só em Madrid quando tirou Adrien e Gelson.
Bom treinador, mas com umas 'pancadas' que não se admite em alguém com tantos anos de futebol.

domingo, 11 de dezembro de 2016

«Onzes e sistemas oficiais de Benfica e Sporting»

Esperando pelo Derby

Sporting com ligeira vantagem

O derby de hoje poderá ser decidido de várias maneiras, mas aquela que me parece mais decisiva será a da luta no 'miolo do terreno'. Como poderão ver na imagem e, caso sejam estes os escolhidos para esse sector, o Sporting leva vantagem.

Claro que tudo isto é muito subjectivo, as dinâmicas exigidas fazem toda a diferença. Só que, não vejo neste momento os alas encarnados a fecharem no meio como é exigido em algumas fases do jogo, nem o dito segundo avançado a recuar para igualar o tridente leonino.

Por isso, se Rui Vitória não encontrar solução para anular o tridente leonino, tem o jogo perdido. 3 homens são sempre mais que 2 naquele sector do meio campo.
Jorge Jesus já aprendeu, quem não se lembra da teimosia de jogar contra o FC Porto só com 2 homens no miolo?
Quase sempre perdia, era ver Fernando, Lucho e Moutinho dominarem por completo aquele sector do meio campo do Benfica de JJ só com 2 homens.

«Onzes e sistemas prováveis de Benfica e Sporting»

sábado, 10 de dezembro de 2016

O HOMEM QUE ADIVINHA OS ONZES

Jorge Sousa estuda as equipas ao pormenor e confessa que gosta de “grandes ambientes”



Se, hoje, quem estiver a preparar uma projeção do dérbi Benfica-Sporting tiver muitas dúvidas, tem sempre uma solução: pedir ao árbitro nomeado para o jogo, Jorge Sousa, para lhe dizer os onzes. Por norma, o árbitro de 41 anos natural de Lordelo acerta em cheio nas projeções que faz. Jorge Sousa há muitos anos faz ‘scouting’ das equipas que arbitra, reunindo toda a informação necessária e não apenas em suporte digital através de vídeos. O dossiê que elabora para cada jogo que apita, garante quem a ele já teve acesso, é altamente detalhado.
Numa palestra a jovens árbitros, no Porto, em 2013, Jorge Sousa levantou um pouco do véu sobre os seus relatórios (e não só), quando se referiu a um encontro entre o Gil Vicente e o Sporting. Nesse jogo, acertou no onze leonino. "Se nos documentarmos desta maneira, dificilmente vamos ser surpreendidos pelo jogo", justificou a sua metodologia. Para ele, é importante "entrar preparado para acompanhar o ritmo do jogo", com a consciência de que em Portugal normalmente esse ritmo é baixo mas com exceções. Como aconteceu nessa partida. "O jogo quando começou não ia no primeiro minuto; já ia, para nós, nos 50 ou 60 minutos", recordou quem normalmente nestes jogos tenta "passar a mensagem de que as faltas pequeninas não irão acontecer", ou seja, com critério largo.
Jorge Sousa explicou também como funciona em termos disciplinar. "Amarelo ou nada é nada, amarelo ou vermelho é vermelho", precisou. Quanto às faltas ocorridas no limite da área, o árbitro que chegou à 1ª categoria em 2003 teve uma abordagem no mínimo curiosa: "Para mim é sempre para a pinta, ou seja, para penálti, mas nesses casos fico sempre com a decisão técnica de apurar se foi falta ou não enquanto o meu assistente mais próximo, normalmente mais bem colocado, fica com o local, focando-se nos pés dos jogadores", detalhou. "Não posso estar a olhar para a porta mas sim para a fechadura", precisou ainda.
Patrão desde 2004, quando montou uma fábrica de tratamento de toros de madeira em Frazão, Paços de Ferreira, Jorge Sousa chegou à arbitragem com 18 anos, por convite de um amigo. Hoje, está cada vez mais próximo do fim da carreira mas ainda aspira chegar à elite da arbitragem europeia e mundial. Está a um curto passo.
Esta semana, foi nomeado para mais um jogo da Champions, o Basileia-Arsenal, e encontrou um daqueles ambientes de que mais gosto, isto é, um estádio cheio. "Adoro apitar em estádios com as bancadas repletas e confesso que gosto muito de atuar no Estádio da Luz", revelou numa entrevista à Vale do Sousa TV quem pensa que o melhor árbitro "não é o que não falha mas o que falha menos". O árbitro do dérbi de amanhã vai desde já tentar não falhar nos onzes. Será sempre um bom pontapé de saída.
Um dia tranquilo com reuniões de preparação
Não muda muito o dia de Jorge Sousa quando tem pela frente um jogo grande, neste caso um dérbi com a importância deste. O trio viaja de véspera do Norte do país – os assistentes são os habituais Álvaro Mesquita e Nuno Manso –, e o quarto árbitro, neste caso Bruno Esteves, viaja de Setúbal apenas na manhã do encontro.
O quarteto desloca-se ao estádio para a reunião preparatória com os responsáveis de segurança. De regresso ao hotel, é tempo de um encontro a quatro para conversar sobre os jogadores que estarão em campo; com a lição bem estudada, Jorge Sousa encontra com os companheiros de equipa a melhor estratégia de arbitragem para fazer face ao encontro.
Com o jogo marcado para as 18 horas, o tempo de descanso depois do almoço é um pouco menor. É que o árbitro gosta de chegar ao local do encontro duas horas e meia antes do apito inicial. Neste caso, a partida será às 15h30.
Em quinto lugar no top da época
Jorge Sousa está de regresso à boa forma física. E o facto é que não se tem cansado de dirigir jogos esta temporada. Nas competições nacionais pode não estar no primeiro lugar, mas, somando as provas internacionais, aparece no quinto lugar de uma lista que regista apenas árbitros internacionais nos primeiros oito classificados.
O árbitro do dérbi deste domingo dirigiu já cinco partidas da Liga NOS, quatro da 2ª Liga e um da Taça de Portugal. No que diz respeito ao escalão principal, apitou duas vezes o Benfica, o V. Guimarães e o Tondela; e uma vez o FC Porto, Sporting, Sp. Braga, Rio Ave, Belenenses, Moreirense, Boavista e V. Setúbal.
Lá fora soma dois jogos qualificação para o Mundial’2018, um da 3ª pré-eliminatória da Liga Campeões e três da fase de grupos da prova milionária.

O Derby eterno

Aqui ficam algumas reportagens e resumos de jogos entre os dois maiores rivais da capital no estádio da da Luz. No primeiro vídeo, vitória do Sporting na penúltima jornada, 'entregando o campeonato' ao FC Porto que com esse título participou na taça dos campeões europeus da época seguinte, vencendo a mesma em Viena.  No segundo vídeo, jogo do título encarnado com vitória do Benfica na Luz.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Jesus perdeu por culpa própria e sabe disso!

Uma vez mais, como já fez no Benfica, o agora treinador do Sporting abdicou da UEFA para apostar tudo em ser campeão nacional
Legia-Sporting-03Jorge Jesus surpreendeu tudo e todos ao apostar numa estratégia no mínimo estranha, esta quarta-feira, num jogo em que precisava de empatar para continuar na Liga Europa , frente ao modesto Légia que já havia perdido no primeiro jogo desta fase de grupos da Liga dos Campeões quando visitou o Estádio de Alvalade, e que tinha apenas um ponto conseguido num surpreendente empate garantido perante o Real Madrid (3-3).


Com uma equipa nada condicente com aquilo que já apresentara esta época, Jesus permitiu espaço ao Legia para se adiantar no marcador e só quando a turma de Alvalade já estava a perder, com o golo à meia-hora do brasileiro Guilherme, é que o técnico dos "leões" tentou emendar a mão para que a sua equipa pudesse correr atrás do prejuízo. É certo que não teve a sorte do jogo, viu mesmo os seus pupilos falharem golos de baliza escancarada, como aconteceu como André Filipe na segunda metade da partida, mas também é verdade que valeu ao Sporting o guarda-redes Rui Patrício para impedir o Legia de conseguir uma vitória mais volumosa. O Sporting ficou pelo caminho das competições europeias e a culpa, ou pelo menos parte dela, tem que ser apontada a quem a teve: Jorge Jesus.
E sejamos claros... ver Jorge Jesus abdicar das provas da UEFA não é novidade nenhuma e nem surpreende da parte de um treinador que, já ao serviço do Benfica, teve iguais prestações, ele que apenas por uma vez, na época 2013-2014, conseguiu unir um título a uma boa prestação europeia, e mesmo assim caindo da Liga dos Campeões para a Liga Europa. Nas demais épocas em que o Benfica foi campeão com Jorge Jesus o agora treinador do Sporting ficou sempre eliminado das provas da UEFA nas respectivas fases de grupos, ou nem a estas chegou.
Perante isto, a eliminatória do Sporting na presente temporada das provas da UEFA, estando Jorge Jesus empenhado como está na conquista do campeonato, ainda mais depois da distância para o Benfica ter ficado mais curta na Liga NOS após a derrota dos "encarnados" na Madeira, foi mais do que previsível.
“Ver Jorge Jesus abdicar das provas da UEFA não é novidade nenhuma e nem surpreende da parte de um treinador que, já ao serviço do Benfica, teve iguais prestações...”
Num treinador que já no passado mostrou a sua convicção de que nenhuma equipa portuguesa tem capacidade de chegar longe nas provas europeias, nomeadamente na Champions, e que abdicou sempre desta competição para poder depois apostar nas provas caseiras, pouco mais se poderia esperar. O jogo desta quarta-feira, frente ao Legia de Varsóvia, equipa cuja última vitória nas provas da UEFA acontecera a 18 de Outubro de 1995, há 21 anos, por 1-0 sobre o Blackburn Rovers, implicava para o Sporting a obrigação de vencer, mesmo sabendo que só precisava de jogar para o empate. A estratégia foi apostar nos serviços mínimos, procurando garantir o empate, e no fim saiu a fava aos "leões" descoberta no golo do brasileiro Guilherme.
Jorge Jesus aposta todas as fichas no campeonato português, tem toda a legitimidade para o fazer, nomeadamente se os dirigentes do clube que o empregarem pactuarem com esta estratégia, e tem também todas as condições para o conseguir, nomeadamente agora que até poderá vencer já no próximo domingo frente ao rival Benfica e passar para a frente do campeonato, algo que levará rapidamente os adeptos leoninos a esquecerem em absoluto o desaire de hoje. Porém, uma equipa que se quer grande, em Portugal mas também no Mundo do futebol, como é o Sporting, precisa de um treinador mais ambicioso e com mais e melhores resultados nas provas da UEFA.
Ser finalista da Liga Europa é bom, sem qualquer dúvida, e nem todos se podem gabar de o serem por duas vezes como Jesus o foi ao serviço do Benfica, o seu anterior clube. Contudo, a Liga Europa, como no passado a Taça UEFA, continuar a ser sempre a "segunda linha" das competições europeias atrás da milionária "Champions League".
Num outro patamar estarão sempre aqueles que levam as suas equipas, seja uma vez ou mais do que isso, a estarem entre os 16 melhores após a fase de grupos da "UEFA Champions League"ou para além disso, e será bom que alguém lembre isso mesmo a Jorge Jesus.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Uma quarta-feira europeia com sabor agridoce



O FC Porto segue em frente na champions league e ainda bem para o futebol português e para os portistas em particular.

Cilindrou o campeão inglês por 5-0, mas atenção, o Leicester apresentou-se praticamente com a equipa B, os dinamarqueses do Copenhaga é que não devem ter achado muita graça, mas ninguém pode garantir se com os pesos pesados o Leicester também não perderia no Dragão. O FC Porto segue em frente com todo o mérito, o contrário é que era mau demais num grupo destes.

Se já no dia anterior os benfiquistas deveriam agradecer ao Dinamo de Kiev, também ontem o FC Porto pode de alguma maneira agradecer a Ranieri e seus 'muchachos'.


Em relação ao jogo do Sporting?
Nem sei o que diga, quando vi uma defesa a três (nada contra) com Bruno César a 'falso' lateral direito não agourei nada de bom. Bruno César chegou várias vezes à linha de fundo, mas sem pé direito fica complicado, era constantemente obrigado a passar para o lado ou para trás. Uma má opção de Jorge Jesus que tirou a profundidade necessária ao flanco direito, só normalizou quando Gelson Martins ocupou aquela ala.

Os leões podem-se queixar de um penalty por assinalar, mas ninguém garante que penalty assinalado seja golo concretizado. Não foi por aí e muito menos pelo falhanço de André de baliza aberta que o Sporting ficou pelo caminho.

O Sporting fica pelo caminho porque o seu treinador não encarou este jogo como deveria ter encarado, ou seja, com o mesmo sistema de jogo e com a mesma motivação dos jogos com o Real Madrid!

E, desculpem-me os sportinguistas, Jorge Jesus não ficou nada chateado de ter sido posto fora da Liga Europa, acreditem! Quem ficou chateado foi Bruno Carvalho e, com razão.

Segundo o jornal record, o presidente nem ao balneário foi!

Curiosidade: a defesa do Sporting foi a melhor do seu grupo, mas o Sporting foi eliminado das competições europeias por uma equipa que não vencia nesta prova desde 1995, a mesma equipa que sofreu 24 golos nesta fase de grupos,...não lembra ao diabo!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Há que tê-los no sítio...

...e Rui Vitória já demonstrou por diversas vezes que 'os tinha'.



Quem assistiu aos últimos dois jogos do Benfica, confirmou que há vários jogadores com baixo rendimento - Luisão, Lindelof e Gonçalo Guedes, principalmente estes três, não estão bem, há outros, mas estes tem dado mais nas vistas pela negativa nos últimos dois jogos.

Os benfiquistas questionam-se com algum receio do que poderá acontecer no próximo domingo.

Parece-me que Rui Vitória vai ter de alterar, se correr bem, não lhe faltarão elogios pela coragem demonstrada em retirar alguém que vinha fazendo uma boa época até há 2/3 semanas sensivelmente.

Se muda e corre mal, também poderão acusá-lo de lançar num derby dois 'novos centrais' com pouco ritmo. Sim, porque, pressinto que no lugar de Gonçalo Guedes, Rafa vai desempenhar bem o seu papel caso seja o escolhido.

Há ainda a hipótese de manter os mesmos, 'trabalhando' o aspecto psicológico, a concentração,  e mesmo assim vencer!

Enfim...a vida de treinador por vezes é 'complicada!'

domingo, 4 de dezembro de 2016

E EIS QUE A LUTA VOLTA A SER A TRÊS



O Benfica parecia imparável e capaz de ultrapassar todos os obstáculos com maior ou menor dificuldade. Errado. Caiu na Madeira com estrondo, Rui Vitória não resistiu a falar do árbitro e eis que as vitórias de Sporting e FC Porto relançam a prova que mais apaixona os portugueses. Uma jornada repleta de peripécias e que deixa um claro amargo de boca ao campeão.
Parece óbvio que os 6-0 do jogo da Taça de Portugal não fizeram bem à equipa encarnada. Dificuldades de construção na 1.ª parte, demasiado desacerto defensivo que só a grande exibição de Ederson salvou e depois gritante incapacidade de transformar em golo as muitas oportunidades criadas. Numa semana em que lançava os vitais compromissos com Nápoles e Sporting, tudo indesejado. Mas nada está perdido, pelo contrário. A formação orientada por Vitória já mostrou qualidade quando as opções rareavam, não há razão agora para que os problemas se avolumem quando o panorama vai melhorando. Não perder a cabeça com o desaire é a primeira lição a retirar.
O Sporting fez uma grande 1.ª parte frente ao V. Setúbal e concordo com Jesus quando diz que ficaram golos por validar. Mas importante para os leões é chegarem a esta altura e saberem que vão à Luz discutir a liderança. Parecia impossível ainda há pouco tempo. A equipa acertou agulhas, está focada e inicia bem a semana. O regresso do capitão Adrien tem feito toda a diferença. JJ devia ter uma redoma para ele.
No Dragão os impressionantes festejos após o golo de Rui Pedro dizem tudo sobre a vitória portista. Impressionante como o estigma do zero estava a afetar. André Silva falhou um penálti, foram poucos os jogadores que não tiveram uma chance para fazer o gosto ao pé e quando parecia chegar novo empate, eis que surge o herói improvável. O Benfica está a 4 pontos. Temos liga!
Bernardo Ribeiro no Jornal Record