quarta-feira, 30 de março de 2016

SETE 'LEÕES'



Depois da grande vitória de Portugal sobre a Bélgica, conseguida muito à custa de uma primeira parte de alto nível, outro facto saltou à vista de todos: a Seleção entrou em campo com sete jogadores formados na escola do Sporting. Calculo que estas escolhas de Fernando Santos tenham feito bem ao ego dos sportinguistas, mas o selecionador, acredito, nem por um momento pensou nisso. Porque para Santos a única coisa que pode contar é esta: que jogadores me garantem a equipa mais competitiva?

Aos mais desatentos lembro que já no Euro’2012 a Seleção tinha na sua base cinco jogadores da escola verde e branca. E em quatro dos cinco desafios chegaram a coincidir no relvado seis ‘leões’. O mesmo se passou no Mundial’2014, ou seja, esta ‘verdização’ da Seleção não aconteceu ontem em Leiria por acaso. E é até bastante crível que no França’2016 o panorama não seja muito diferente. Rui Patrício, Ronaldo, Nani e João Mário têm, na minha opinião, lugar ‘garantido’ no onze. A estes há a acrescentar João Moutinho ou Adrien. Depois, haverá ainda a discussão entre Danilo e William. Cinco ou seis ‘leões’ no onze, em junho, será qualquer coisa de normal.

A Seleção não deve discutir-se em função do número de jogadores que tem de cada clube. Nem sequer a partir da ideia de ter de incluir os 11 melhores em cada uma das posições. Porque o ‘melhor’ é nas mais das vezes subjetivo. Depois, ser o ‘melhor’ num clube é bem diferente de o ser, igualmente, no espaço Portugal.
José Ribeiro no Jornal Record

terça-feira, 29 de março de 2016

Cada uma mais bonita que a outra

O Maestro faz hoje 44 anos...


Parabéns Rui Costa! 
Rui Costa foi um dos médios que mais me 'encheu as medidas', tal como Figo.

segunda-feira, 28 de março de 2016

Deixem a selecção trabalhar...



Confesso que é de muito mau gosto o que se passa em alguns programas desportivos (ok, nas redes sociais também 'está nojento') com comentários sobre o último jogo da selecção.

Pensava que quem 'andava por dentro do futebol' há já alguns anos, tivessse maior discernimento para analisar futebol, mas não!

Esta gente parece que ainda não percebeu que os jogos particulares servem para melhorar aspectos que nem sempre estão bem consolidados.

A selecção perdeu com a Bulgária e parece que a casa veio a baixo, aliás, o fanatismo chega ao ponto de criticarem a própria selecção em virtude de futuras lesões de jogadores do seu clube nos jogos e treinos da selecção...

Enfim...não há pachorra!
Carrega Portugal, hoje e sempre!!!

terça-feira, 22 de março de 2016

Reportv - À minha maneira (Quinito)

Para quem não teve oportunidade de assistir ao excelente programa Reportv sobre Quinito, aqui fica o vídeo em baixo. Mais um excelente trabalho do Jaime Cravo.

* Peço desculpa, o vídeo ficou indisponível. Mal consiga ultrapassar este incomodo, volto a 'postar'.
(23/03/2016 - o administrador)






vídeo, daqui

Força Quinito!

O homem que nunca se queixa



Desde que a temporada começou, e já lá vão oito meses, Rui Vitória nunca se queixou publicamente sobre o que quer que fosse. Teve várias razões para isso, a começar desde logo pela promessa que Luís Filipe Vieira fez e acabou por não cumprir, quando em junho garantiu que o treinador dos encarnados iria ter as mesmas armas de que beneficiou o seu antecessor. Essas armas - leia-se reforços - nunca chegaram. Vieira será hoje o primeiro a reconhecer que Rui Vitória não teve, nem de longe nem de perto, um plantel ao nível das últimas temporadas. A verdade é que há momentos e circunstâncias difíceis de repetir. Não deve ser possível voltar a reunir futebolistas do 'primeiro mundo' como David Luiz, Di María, Ramires, Javi García e Aimar ou mesmo Witsel, Matic, Garay e Enzo Pérez. É verdade que ainda há jogadores de alto nível na Luz, mas já não é a mesma coisa.
O treinador das águias dizia há dias que para "analisar a questão das lesões teria de entrar na área da psiquiatria". Passe o exagero, a realidade é que também aí tem tido pouca sorte. No jogo do Bessa, por exemplo, o Benfica não teve disponíveis Júlio César, Luisão, Jardel, Fejsa, Gaitán e Mitroglou. Nuns casos por problemas físicos, noutros por suspensão, o treinador não pôde contar com 5 ou 6 titulares indiscutíveis. No caso do capitão a ausência já dura há vários meses. E de Gaitán é fácil reconhecer que está a fazer a temporada mais irregular - e 'ausente' - desde que chegou à Luz, em 2010.
Ter visto partir para o batismo das seleções os 'meninos' Renato Sanches e Lindelöf, como antes já tinha acontecido com Nélson Semedo e Guedes, é mais uma vitória para o técnico das águias. E até no regresso de Jonas à canarinha é preciso reconhecer o dedo do homem que nunca se queixa.
Nuno Farinha no Jornal Record

sábado, 12 de março de 2016

Favor não menosprezar este FC Porto



O FC Porto também já cumpriu o seu papel nesta jornada, ou seja, somou os três pontos!

Após esta jornada, ainda falta aos candidatos ao título 24 pontos em disputa, é favor não menosprezar os azuis e brancos, é certo que Peseiro ainda não conseguiu pôr a equipa à maneira dele, mas ainda pode acontecer e, sendo este campeonato um dos mais entusiasmantes dos últimos anos, tudo é possível.

Caso o Benfica conquiste os três pontos com o Tondela, o FC Porto fica a 6 do líder e a 4 do segundo.

Quem disse que o FC Porto termina este campeonato em 3º lugar?! Pode ficar em 2º ou até ser campeão!!!

Não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe.

Terminada esta época e aconteça o que acontecer, o FC Porto terá de fazer o mesmo que Artur Jorge fez em 1989/1990 (vídeo em baixo).

Eu como treinador de bancada, deste plantel só ficava com os seguintes jogadores:

Casillas, José Sá, Maxi Pereira, Layún, Danilo Pereira, Rúben Neves, André André, Sérgio Oliveira, Brahimi, André Silva, Suk e Aboubakar.


O Sporting ainda treme...

...mas continua na luta!




Hoje, no António Coimbra da Mota, frente ao Estoril, os leões somaram três pontos importantes para continuar a sonhar com o título e, se não for este ano, não é desgraça nenhuma.
Esta equipa continuando a crescer, na próxima época o título será uma evidência.


Mas, há que ter em atenção que esta equipa não anda só a 'tremer' na finalização, foi evidente neste jogo que o sector defensivo não esteve bem. Há uma explicação para isso que muita boa gente não quer ver:
a defesa que jogou hoje de início chegou toda em Janeiro a este campeonato - Schelotto, Coates, Rúben Semedo e Zeegelaar.


As rotinas não se conseguem assim tão depressa, uma coisa é um ou dois jogos a correr bem, outra coisa mais importante, é a regularidade durante alguns meses seguidos.
Deixem Jorge Jesus trabalhar, façam menos ruído e chegarão ao patamar desejado.
Com ruído o balneário leonino não acalma, não se solta e não tem discernimento dentro de campo para ter a cabeça limpa.
Com a cabecinha limpa, as oportunidades desperdiçadas em Guimarães, com o Vitória local e em Alvalade com o Benfica, teriam chegado para duas vitórias sem espinhas que não aconteceram.
Em cinco dias, o Sporting perdeu 5 pontos...e assim não dá!!!

sexta-feira, 11 de março de 2016

FC PORTO TEM DE PENSAR TUDO OUTRA VEZ



Muito pela guerra estúpida e excessiva entre Benfica e Sporting a péssima época realizada pelo FC Porto vai muitas vezes passando entre os pingos da chuva.
Os dragões são quem mais investe, de longe o clube com maiores gastos de pessoal e a final da Taça de Portugal é, até agora, a única garantia dada a adeptos que estavam habituados a três títulos em cada cinco anos.
Da construção do plantel e respetivos desequilíbrios à escolha errática de treinadores, o FC Porto está obrigado a pensar tudo outra vez. Se vai manter a política desportiva tão intimamente ligada à estranha empresa que é a Doyen, se continuará a investir tantos milhões que um dia alguém terá de pagar, mais simples, se José Peseiro poderá ser o homem para uma vida nova e um projeto desportivo fresco e ganhador.
É injusto imputar a Peseiro os erros cometidos esta época. O português poderá ser acusado apenas de não ter conseguido dar a volta. Mas, reconheça-se, não era fácil. Ainda que salte à vista que até ao momento o FC Porto nada ganhou com a saída do espanhol.
O problema de Peseiro e SAD prende-se, contudo, com o clima em que terminará a temporada. Lopetegui parecia condenado ao fracasso após o final da época passada e ainda assim Pinto da Costa decidiu manter o espanhol. Revelou-se um erro grave. Admitindo que os dragões já não chegarão ao título, será a conquista da Taça de Portugal suficiente para convencer os adeptos que este é o homem certo? E caso seja derrotado pelo Sp. Braga, como poderá a tripla Pinto da Costa, Antero, Peseiro acreditar que estão reunidas condições para avançar para 2016/17 com um técnico que está longe de ter a fama de ganhador?
O FC Porto já foi um clube onde a perspicácia de Pinto da Costa parecia capaz de resolver todos os males. Nova fórmula precisa-se. Urgentemente.
Bernardo Ribeiro no Jornal Record

quarta-feira, 9 de março de 2016

Parabéns ao Benfica e ao futebol português!



Parabéns ao Benfica e ao futebol português pela passagem dos encarnados aos 1/4 final da Champions League!

Esta vitória do Benfica, hoje, na Rússia, permite que o 2º classificado do campeonato nacional da próxima época, tenha entrada directa na fase de grupos da edição da Champions League 2017/2018,... e por consequência, alguns milhões de euros na sua conta bancária.

quarta-feira, 2 de março de 2016

AS OVELHAS TRESMALHADAS

O CANTO DO MORAIS



Com a sua habitual verve, o presidente do Sporting, em recentes declarações, nas quais se insurgia - legitimamente - contra a campanha que o Benfica estava a urdir contra o clube, resolveu associar a essa desfeita ex-dirigentes que tinham almoços e outros que comentavam, apelidando-os de ovelhas tresmalhadas.
O presidente do Sporting, em matéria de repasto, censurava Dias da Cunha e Menezes Rodrigues, que recentemente foram vistos a almoçar com Luís Filipe Vieira, João Gabriel e outros convivas, o que acontece, segundo dizem, regularmente.
Quanto aos ex-dirigentes que comentam, não especifica quem são, mas abrange necessariamente todos aqueles que participam em programas de TV, nomeadamente Rogério Alves, Eduardo Barroso, Rui Oliveira e Costa e Paulo Andrade, todos eles com responsabilidades passadas no Sporting.
Acho este desabafo de péssimo gosto. Conheço bem Dias da Cunha e Menezes Rodrigues e são tão sportinguistas como o presidente do clube, ou como outros que por ele sofrem; duvidar disto é um ato que releva da mais pura ingratidão, relativamente a quem fez sempre o melhor que pôde pelo Sporting, ou no caso de Menezes Rodrigues ainda faz, nos Leões de Portugal.
Conheço também os comentadores e, embora nem sempre veja os programas em que aparecem, o seu registo é normalmente sereno e sóbrio, muitas vezes contrastando com a postura dos restantes participantes. O Rogério Alves então, brilha a grande altura...
Era o que mais faltava, que as pessoas em questão não pudessem almoçar com quem bem entendessem, ou não pudessem exprimir livremente o seu comentário, sem ser suspeitos de heresia ou carimbados com o estigma do desviacionismo.
Sempre entendi o Sporting como um clube livre, de homens e mulheres livres, e custa-me a perceber esta mentalidade obsessiva de denegrir o pretérito, como forma de exaltar o presente.
Um grande dirigente é aquele que une onde há divisão, mas essa união tem de ser fruto da persuasão e do mérito, e não, obviamente, da intimidação, como acontece noutros clubes. Respeito a vontade do presidente do Sporting, de querer ficar na história do clube; espera-se é que seja pelas melhores razões.
Carlos Barbosa da Cruz no Jornal Record

terça-feira, 1 de março de 2016

Ela já pensa no derby de sábado

HAVERÁ LIGA PARA ALÉM DO DÉRBI




ENTRADA EM CAMPO
Aconteça o que acontecer no sábado à noite, em Alvalade, a única certeza é a de que o campeonato não vai ficar 'fechado'. A possibilidade de termos já a Liga (praticamente) resolvida passava pela dupla vitória do Sporting frente a V. Guimarães e Benfica, mas com o empate dos leões no Minho dá-se este curioso paradoxo: o bicampeão nacional chegará ao dérbi com menos um ponto, mas num quadro motivacional mais interessante. Não garante nada, mas é nesse 'clima' que o Sporting-Benfica vai começar. Mesmo que isso pouco ou nada represente.
O FC Porto foi outro dos vencedores da jornada: está a 4 pontos do 1.º lugar e caso vença em Braga, na jornada que se segue, então será ainda mais candidato do que já é hoje. Fica até a ideia de que, com este empate do líder em Guimarães, terá nascido ontem um novo campeonato. A corrida, que era a dois, passou a três. Questão importante: o Benfica ainda terá de pensar na Champions e na meia-final da Taça da Liga; enquanto o FC Porto 'carimba' amanhã a qualificação para a final da Taça de Portugal e ficará, depois, com largas semanas para gerir o jogo do Jamor. O Sporting, por seu lado, tem unicamente o campeonato em mente. Poderá o calendário ter influência nesta reta final? E, nesse caso, o que será mais importante - o menor desgaste físico a que os leões estarão expostos ou o reforço anímico que Benfica e FC Porto podem vir a ter pela possibilidade de conquistarem títulos, mesmo que secundários? De outra forma: é melhor competir apenas numa prova ou em duas ou três? Há alguma dúvida?
Dois heróis nos jogos de ontem. Na Luz, Jonas. O brasileiro, que lidera a Bota de Ouro, nunca jogou a um nível tão alto. E esse mérito cabe a Rui Vitória. Em Guimarães, o jovem Miguel Silva (20 anos) foi brilhante: defendeu tudo. O futuro é dele.
Crónica de Nuno Farinha no Jornal Record