segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Recordando os primeiros dias de Carlo Ancelotti na Baviera



Antes do leitor começar a ler este post, não se esqueça dos vídeos em baixo, onde se inclui um dos primeiros treinos do Bayern, na integra.

Adiante,

todos nós temos os nosso treinadores preferidos, eu tenho alguns, mas este humilde italiano é o 'number one'. Respeito o gosto/preferência de todos vós, mas o 'meu' é este.

Perguntam-me vocês, e porquê?

Por várias razões, mas destaco estas:

1) Não entra em mind games, não é provocador, respeita a classe;

2) Não inventa, veja-se os casos dos actuais defesas laterais do Bayern (Lahm e Alaba), jogam mesmo lá, a defesas laterais. Reconheceu o bom trabalho do antecessor, deu-lhe um cunho mais vertical. O futebol do Bayern, neste momento, é mais vertical, ou se preferirem, mais objectivo. Se queres ganhar um jogo, tens de marcar mais golos, por isso, é necessário chegar mais vezes a zonas de finalização. Só assim, criando oportunidades, se pode concretizar, ou não! Mas deste modo ficas mais perto.

3) Máxima liberdade, máxima responsabilidade;

4) Todos os que trabalharam com ele, só dizem bem, não me lembro de um a criticá-lo.
Razões?!
o balneário, esse 'templo do futebol' onde Carlo Ancelotti se sente em casa e faz com que os jogadores sintam o mesmo. Há quem diga que lá dentro ele é o maior. Ele dá para receber, ele respeita para ser respeitado.
Vejam como ele 'apagou o fogo' no balneário do Real Madrid e  'limpou' a champions logo no primeiro ano.


Sem comentários: