quarta-feira, 15 de junho de 2016

O MAIS IMPORTANTE? O PRÓXIMO JOGO!



A estreia da nossa Seleção neste Europeu não foi a que todos estávamos à espera. Portugal conseguiu adiantar-se no marcador por volta dos 30 minutos com todo o mérito. Assumiu as despesas do jogo, assumiu ser favorito, teve muito mais posse de bola e criou oportunidades para ir com um resultado mais confortável para o intervalo. Não conseguiu concretizar em golos as oportunidades que teve e no futebol, como todos sabemos, quem não marca sofre. Portugal entrou mal na segunda parte e numa das raras vezes que a Islândia chegou à nossa baliza fez o empate. 


A seleção da Islândia não praticou um futebol atrativo futebolisticamente falando, mas acima de tudo seguiu a sua filosofia e lutou com as armas que tem à disposição. Futebol muito físico, jogadores fortes no jogo aéreo, cientes da menor qualidade em relação à nossa Seleção, mas com um objetivo muito claro durante todo o jogo. Estavam à procura de não sofrer golos e tentar num ou outro lance criar perigo junto da nossa baliza. Conseguiram empatar o jogo e depois fecharam-se e lutaram até ao fim para segurar um ponto. Foram felizes nesse aspeto e Portugal não conseguiu desbloquear essa situação, apesar dos nossos jogadores terem tentado de tudo, embora nem sempre da melhor maneira, para que o resultado fosse outro.
Em suma, Portugal fez uma boa primeira parte mas não conseguiu concretizar em mais golos essa supremacia, e fez uma segunda parte aquém das expectativas. Uma Islândia fria e pragmática acaba por ser premiada com um ponto.
Portugal só tem de pensar naquilo que correu menos bem nesta estreia e começar a preparar o próximo jogo. Numa competição deste nível todos os momentos são importantes e cada vez mais os jogos são decididos por detalhes. Há que corrigir rapidamente aquilo que correu menos bem e pensar no próximo jogo, que é sempre o mais importante. FORÇA PORTUGAL!


POSITIVO
A primeira parte da Seleção deixou indicações positivas em relação ao real valor da equipa. Portugal mandou no jogo em grande parte dos 45’ iniciais, teve muito mais posse de bola e criou oportunidades para ir para o intervalo com um resultado mais dilatado. Se o tem conseguido, provavelmente o desfecho seria diferente.



NEGATIVO
Os primeiros dez minutos da segunda parte. Portugal regressou mal do balneário e daí resultou o golo da Islândia.

Nuno Gomes no Jornal Record

Sem comentários: