sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

"Zéeduardismo" - o cancro do Sporting

PRESSÃO ALTA


O Sporting joga hoje com o Estoril e, considerando as notícias surgidas nos últimos dias, não é absurdo que o presidente do clube possa não querer que o Sporting conquiste mais uma vitória, só por considerar que desse modo pode ficar numa situação mais confortável para correr com o treinador que ele próprio contratou como uma solução de médio prazo e futuro?
A pergunta, também ela, parece absurda, à luz da mais elementar razoabilidade e sensatez, mas, no quadro de relações que se instalou em Alvalade, passou a fazer todo o sentido. Hoje, ao final da tarde, a mole imensa de adeptos e sócios do Sporting quer que a equipa vença o Estoril para manter acesa a esperança de no próximo ano poder competir novamente na Champions, mas pode caber na cabeça de alguém que, por razões de ego, tomadas de posição precipitadas e pouco amadurecidas ou seguidismo oportunista, haja pessoas bem colocadas no universo leonino a desejar que o Estoril ganhe, colocando em causa os objectivos desportivos, só para consolar o orgulho próprio e proclamar a vitória de um estúpido e infantil braço-de-ferro?

Volto à minha tese: Bruno de Carvalho contratou Marco Silva por quatro anos. Foi apenas a boa imagem do "menino bem comportado do Estoril" e dos resultados conseguidos na Amoreira que o levaram a optar pela proposta de um contrato de longa duração? No futebol profissional, ainda se cometem "erros" destes?!...


Bruno de Carvalho explicou o projecto desportivo a Marco Silva ou limitou-se a acreditar que as suas posições públicas levassem o treinador a entender e a aceitar (tacitamente) o projecto? Se não lhe explicou o projecto, fez mal. Se o explicou e se o treinador, depois de o aceitar, não o cumpriu, então o presidente teria de escolher a melhor oportunidade para colocar os pontos nos is e, eventualmente, criar as condições necessárias para cada qual seguir o seu caminho. Mas nunca, NUNCA, repito, a meio de uma temporada. A isto chama-se imaturidade, precipitação e não ter a noção exacta de que liderar não é decretar; liderar é tomar decisões firmes, depois de se analisarem e avaliarem todas as variáveis e os efeitos que essas decisões podem determinar. Sempre a pensar no superior interesse da instituição e não de agendas pessoais, mais ou menos encarniçadas.
Tudo o que se seguiu à forma como o presidente do Sporting criticou o desempenho da equipa em Guimarães (sublinho: não está em causa o conteúdo, isto é, a afirmação da insatisfação, mas a forma escolhida para o fazer) foi um descalabro. Daria um manifesto para explicar o que NÃO SE DEVE FAZER na gestão de uma equipa de futebol.


Mais ainda neste tempo moderno em que todos publicam (o efeito das redes sociais não pode ser nem desvalorizado nem hiperbolizado), as organizações têm de perceber que o valor da "coisa privada" é inultrapassável. Ao Sporting só falta publicar a que horas o presidente vai fazer xi-xi. Há aqui, também e claramente, um problema de comunicação.
Um problema de comunicação que ganha foros de ataque ao regime quando o presidente, através dos seus conselheiros, é o primeiro a confessar-se vítima de um ataque planeado do treinador - a cabeça de um polvo que quer ver Bruno de Carvalho picadinho como a cebola num refogado patrocinado pelos "agentes do mal", entre os quais devem estar a CIA, a KGB, o BCE, o Putin, a Merkl e os Simpson.
Este "Zéeduardismo", emanado nas últimas semanas, é de um ridículo atroz. Mas alguém acredita, num estado de relativa normalidade, que o Marco Silva, vindo do Estoril com uma imagem imaculada, exemplo de equilíbrio em quase todas as suas intervenções, seja o demónio, o anjo-diabo que a propaganda "zéeduardista" agora lhe quer pegar, à espera que as "redes sociais" mudem de opinião ou de uma reacção menos branda do próprio Marco Silva e que o possam conduzir ao despedimento?


Se Marco Silva recebesse Zé Eduardo, a seguir ter-se-ia de mostrar disponível para receber o Zé Colmeia, o Pateta e o Pato Donald...


Não percebe o "Zéeduardismo", certamente confortável com aquele que julga ser o apoio do seu presidente, que está a contribuir (como um cancro) para a desintegração do Sporting? Não lhe chega "servir o Sporting", do alto da sua magnificente "independência", através de rissóis e croquetes? Quando um presidente tem como principais conselheiros um talibã da TVI e um terrorista-de-um-canal-que-ninguém-vê está tudo dito. Onde está o crédito? Onde fica o Sporting no meio dos pastéis de massa tenra? Alguma vez o treinador Marco Silva tinha de aceitar sentar-se com o Zé Eduardo para discutir o presente e o futuro do futebol do Sporting? Mas... está tudo doido?! Se o Marco Silva caísse de uma escada dessas, a seguir ao Zé Eduardo tinha de se mostrar disponível para reunir-se com o Zé Colmeia, o Pateta e o Pato Donald!... Que absurdo!
Ainda me custa a acreditar que isto se esteja a passar num clube profissional de futebol. Parece coisa de cancros animados, perdão, de desenhos animados...

JARDIM DAS ESTRELAS


Ai... Jesus!


Em entrevista (?) de Ano Novo, Luís Filipe Vieira vem dizer que "conversa com Jesus sobre renovação é no final da época". Estranho. Para quem afirmava ter tanta vontade em ver JJ mais tempo no Benfica, e sabendo-se que a partir deste mês JJ fica livre para se comprometer com qualquer clube, sem que daí o Benfica retire qualquer vantagem financeira extra, não deixa de ser estranho esta aparente despreocupação. Ou será que, não tendo mais nada para oferecer, LFV não pode fazer outra coisa senão esperar pela decisão do treinador? Hoje as coisas são mais claras: é legítimo que JJ queira experimentar outros palcos para poder testar a sua ambição. LFV diz que, em Portugal, vai ser muito difícil investir em jogadores que custem mais de 6 a 8 M€. Certamente que JJ, como treinador de topo, quer treinar os melhores jogadores. E isso não é possível em Portugal. Só a ausência (improvável) de convites vai "agarrar" Jesus ao Benfica. Ele já fez tudo o que tinha a fazer no Benfica, e por maioria de razão se reconquistar o título de campeão nacional.


O CACTO


Iniciado Inácio


Com a revelação de José Eduardo que havia sido mandatado para falar com Marco Silva, em que posição fica Inácio no meio de todo este imbróglio? Na posição de... iniciado? Ou no papel de gestor de carreiras?!...
Rui Santos no jornal record

1 comentário:

Mário Guilherme disse...

O verdadeiro cancro é claramente o senhor Rui Santos e o Record que virou um jornal de muito baixo nivel... Nao vou sequer fazer comentários as suas palermices, deixo apenas o seguinte comentario para o deixar a pensar: o futebol é hoje um jogo de interesses e desonestidade dentro do qual o senhor é so mais um peão sem caracter! Pergunte por favor a alguem na rua se levam a serio alguma coisa do que voce diz ou se o acham minimamente credivel... Eu não conheço ninguem! Faça-se um homem serio e arranje um trabalho digno por favor!