segunda-feira, 28 de julho de 2014

Se precisar de alguma coisa, ligue

BILHAR GRANDE
Durante décadas, o futebol português andou em círculo fechado, sendo que a frasezinha “se precisar de alguma coisa, ligue” foi a assinatura de pequenos e miseráveis compromissos, reverências, pressões e “amabilidades”. Coisas pequeninas num Portugal pequenino controlaram, assim, este nosso futebol de trazer por casa sem que tivesse havido quaisquer consequências para os mais relevantes protagonistas, tendo pago as favas, como habitual neste triste país, de alguns, poucos, peões.


As escutas no Apito Dourado ainda pregaram injustificados sustos; estranho seria se alguma coisa acontecesse quando todos continuavam sentados nas cadeiras. Se tivessem perdido o poder, bom, outro galo cantaria. Como não foi o caso, avançou a procissão.


O que se alterou, seguramente, foi o uso tranquilo dos telefones, porque em tudo o resto nem as moscas mudaram: os árbitros abriram guerra ao líder; o Sporting abana-se para não ser engolido pela tempestade que o fustiga há décadas; o FC Porto vai em fuga para a frente à procura da felicidade perdida nos últimos anos; o Benfica baralha e torna a dar em ritmo tão acelerado que dá tonturas e que só os génios, que todos os dias opinam nas televisões, conseguem perceber e explicar. Explicações para eles próprios, óbvio. Os médios e pequenos clubes, cativos das verbas das transmissões televisivas, dão cambalhotas para sobreviver e sem direito a queixas, não vá o diabo tecê-las.


No topo disto tudo duas exemplares figuras; uma Liga num caos absoluto, situação tão ridícula que nem dá para acreditar. É o “porreirismo nacional” no seu melhor. E uma Federação que perdeu o pio, pois passou pelas vergonhas do Mundial e viu a equipa nacional descer para 11.º lugar sem que o presidente se dignasse dizer qualquer coisinha. Os adeptos gostariam que se dignasse.
Alberto do Rosário no jornal record

sábado, 26 de julho de 2014

E o que é bom é para se apreciar...

Obrigado Deco!!!

foi bonita a festa de ontem no dragão!...
 
Deco, foi sem dúvida um dos melhores jogadores que passou pelo FC Porto e por Portugal, espalhou 'perfume' pelos relvados portugueses e europeus de uma maneira fantástica - Obrigado Deco!!!
 
 
 

quinta-feira, 24 de julho de 2014

recordar é viver

primeiro que tudo, o meu pedido de desculpas aos leitores deste humilde 'chaminé' pelos pouquíssimos posts nos últimos dias!,...mas, infelizmente, por motivos profissionais assim teve que ser.
 
adiante,
 
nada como regressar e recordar um jogo entre Nápoles e Roma da época 1989/1990, referente ao campeonato italiano conquistado pelos napolitanos 'liderados' por Diego Armando Maradona.



sábado, 19 de julho de 2014

Alex Pinto da Costa corre para a cadeira de sonho




Conta Paulo Teixeira, amigo de Rolando:
"Muita gente perguntando o que ocorreu na sexta-feira 11 no saguão do hotel Tiara Park Atlantic, na cidade do Porto, após a notícia veiculada pelo jornal Correio da Manhã. Vou contar a minha versão dos fatos. Seguinte:
Peppino Tirri, mandatado pela AS Roma , João José (o Jota), representante de Rolando e eu, uomo-mercato desta operação, traçávamos uma deliciosa feijoada no restaurante Alto Astral, contíguo ao hotel. Na impossibilidade de encontrar o diretor-geral do FC Porto, Antero Henrique,  para lhe apresentar a proposta do clube italiano, sugeri ao Jota:
- Já que o presidente Pinto da Costa te disse que ele tomou o comando desta operação e não queria Anteros nela, liga então pra ele.
Jota saiu do restaurante e ligou pro homem.
Voltou lívido.
- Liguei e disse ao presidente que  estávamos a almoçar aqui ao lado, que tinha um clube e precisava falar com ele. Ele perguntou qual era o valor da proposta, falei 4 milhões. Ele respondeu que o Rolando só saía por 10.
Fomos para o hotel, Jota e eu sentamos no saguão. Pouco depois, Alexandre Pinto da Costa e seu fiel escudeiro (e sócio) Pedro Pinho, entram e dirigem-se à nossa mesa. Fiquei surpreso. Quem os tinha chamado? A cidade do Porto tem 371 hóteis repertoriados, como souberam que estávamos neste? 
Primeira cobrança do fiel escudeiro, dirigida a Jota:
- Porque é que o mandato do Besiktas veio em nome do Paulo Teixeira (efetivamente, no início de junho o clube turco autorizou-me a fechar o Rolando e esse mandato eu havia-o transmitido ao Alexandre).
Explicação dada, dirigi-me ao Alexandre:
- O Peppino tá descendo do quarto.
Segunda cobrança (Alexandre), desta vez dirigida ao Peppino:
- Então tu vens a Portugal e não me dizes nada?????
Resposta do italiano:
-  E tu, quando vais a Milão, ligas pra mim? Não vou com a tua cara, és muito arrogante.
A conversa prosseguiu por quase duas horas, versando sobre Antero Henrique e seus supostos negócios paralelos, seu agente de confiança Mohamed Afzal e - muito - sobre o atacante colombiano Jackson Martinez.
Alexandre:
- O Pompeo (empresário do Jackson) não foi sério. Reunimos-nos todos naquela noite (janeiro) no vosso hotel, fechamos um acordo e depois ele foi-se juntar ao Afzal. Mas fiquem a saber de uma coisa. Ele ainda vai ter que vir comer na minha mão, porque o último a assinar a saída do jogador é o meu pai.
Sobre Rolando, disse o Alexandre:
- O jogador faltou ao respeito ao meu pai. Foi-lhe dito que ia ser o capitão, que o clube contava com ele. O Porto queria renovar-lhe o contrato por mais quatro anos, imaginem a comissão.
Resposta do Jota:
- Rolando não faltou ao respeito a ninguém. Teu pai foi educadamente informado que ele não queria ficar mais, que o ciclo dele no clube estava encerrado. Pelos vistos, ninguém o quis ouvir...
Pra fazer a história curta, já em tempo de despedidas. 
Alexandre:
- Então digam lá ao Afzal que traga 10 milhões e depois vá resolver com o meu pai.
Afastou-se e voltou, repetindo a mesma coisa. Afastou-se de  novo e retornou, dedo em riste, dizendo a mesma coisa. 
O sangue subiu, meu fio cruzou, entrei em curto. E falei:
- Olha aqui, Alexandre, tu és um mentiroso do caralho. Em janeiro pediste-me que te trouxesse o agente do Jackson, que tinhas um clube na Inglaterra pra ele. Eu trouxe. Tu tinhas porra nenhuma.
Entrou na dança o fiel escudeiro, empurra pra lá, empurra pra cá. Briga é assim mesmo, se dá e se leva. Solicitei  as imagens do circuito interno de segurança, tira-teima.
Mas o pior foi na rua, pra onde os arruaceiros foram levados pela segurança do hotel. Enquanto o fiel escudeiro me chamava de 'preto' o predador intelectual urlava:
-  Na minha cidade???? Eu mando aqui quatro tipos pra acabar com ele. 
Consta lá na queixa-crime.
Entretanto, tocou o celular e o Alexandre gritava:
- Pai, não sabes com quem o Jota se meteu. Com uns  V-A-G-A-B-U-N-D-O-S!"
Este relato desata vários nós e revela várias pontas soltas. Mas sobretudo confirma a crescente influência de Alexandre Pinto da Costa, outrora sócio de José Veiga, no FC Porto criado pelo seu pai Jorge Nuno. Se há um ano a cadeira era um sonho, hoje o sonho tem uma cadeira por objetivo.
Ainda relativamente a este caso, o peixe morreu pela boca. Pinto da Costa fez questão de, no primeiro dia de trabalhos, dar uma bicado aos jornalistas a propósito das notícias que davam conta da saída em definitivo de Rolando, garantindo que só está no clube quem está de alma e coração. Não parece ser o caso, o que de alguma forma nos dá conta da erosão do líder e criador dos dragões e de um controlo que inevitavelmente lhe vai escapando das mãos e dos pés.
Post daqui

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Sensualidade...

«Foi assim que António Oliveira escolheu os eleitos para o mundial de 2002»

Ainda em seguimento do post anterior,...e (re)vendo e ouvindo António Oliveira na sic notícias falar em competência e incompetência, atacando Carlos Godinho, lembrei-me deste assunto e fui pesquisar 'num blogue amigo'.

Foi desta maneira que foi entregue a quem de direito a convocatória para o mundial 2002:







documento original, manuscrito por António Oliveira, que listava as suas 23 opcções para o 'mundial de 2002' (ponto 19., 'relatório boronha')
daqui

quarta-feira, 16 de julho de 2014

«Carlos Godinho não merecia tal tratamento»



Quando fiz este post, afirmei que haveria de tentar perceber o que se passou com a selecção nacional no mundial do brasil.
Pois bem, hoje, escrevo sobre Carlos Godinho, um excelente profissional reconhecido por praticamente todos aqueles que passaram pela FPF e com provas dadas . Já são dezenas de anos a trabalhar na FPF longe dos 'holofotes' e do protagonismo próprio do cargo que muitos gostariam de ocupar.
 
Qual não foi o meu espanto, quando em dois programas da sic notícias - play off, vídeo do segundo programa aqui, o primeiro vídeo não consegui localizar - António Oliveira 'desancou forte e feio' em Carlos Godinho, o director desportivo e  do departamento técnico!...
Como fosse este experiente dirigente o responsável da prestação menos conseguida da nossa selecção em terras de brasileiras...
Não chego a entender onde é que AO quer chegar...será um 'acerto de contas' com a incompetência do que se passou no mundial da coreia/Japão em 2002?
Não entendo tanta raiva dirigida a uma só pessoa!
Quem sabe muito sobre António Oliveira, é o administrador deste blogue.
 
Clique aqui e saiba muito mais sobre esta personalidade.

domingo, 13 de julho de 2014

Alemanha consegue o tetra

O trabalho de base feito pela Alemanha desde que ficou pelo terceiro lugar em 2006 teve o seu merecido troféu hoje, no maracanã. Não esquecer que alguns destes jogadores tinham sido campeões europeus de sub-21 em 2009.
 
Sem dúvida um excelente trabalho de Joachim Löw e da sua equipa técnica, não esquecendo todos os outros treinadores das mais variadas selecções alemãs por onde 'passaram' estes altetas germânicos.




Não gosto muito de jogos decididos nos penalties, mas a final de hoje merecia tal decisão.
A selecção argentina surpreendeu-me pela positiva durante os 90 minutos, depois, no prolongamento, houve mais frescura física dos alemães e mais 'frieza' no momento chave - o golo de Gotze assim o determinou.
 
em relação aos prémios individuais, concordo com todos menos um:





Como é possível atribuir o prémio do melhor jogador do mundial para Messi?
 
Nem da selecção argentina foi o melhor, na minha opinião Di Maria e Mascherano foram muito mais produtivos para selecção alvi-celeste.
 
A brincadeira tem limites, ou será que não?!
O prémio para James Rodriguez ou Robben teria sido bem mais justo. É a minha opinião, respeito as 'outras' mas não concordo.

«onzes e sistemas prováveis de Alemanha e Argentina»

sábado, 12 de julho de 2014

Na era da comunicação domina a desinformação



Vivemos na era da comunicação. Massiva, rápida, global.
Mas os clubes portugueses continuam a viver agarrados a velhos estereótipos e a decadentes estratégias.
Para muitos deles a comunicação é um frete.
Só mostram o que são obrigados a mostrar pois os patrocinadores não dormem e se pagam é para ter visibilidade nos media.
De resto, tudo fazem para dificultar o trabalho dos jornalistas.
Repare-se: temos aí o Tour a rolar e duas horas após cada etapa o campeão do Mundo Rui Costa disponibiliza o seu relato diário. O ciclista potencia a sua classe através desta abertura.
Por cá, num futebol que estiola, esmagado por passivos e por administrações que deixam para amanhã o que ontem já deviam estar a fazer, os jornalistas são vistos como empecilhos. Só assim se entende a realização de jogo-treino de início de época contra o Mija Na Escada FC à porta fechada! O que também constitui um desrespeito para os sócios e adeptos que, em tempo de crise, se sacrificam para ver os jogos dos seus clubes.
O aparecimento das televisões dos clubes não foi propriamente algo de animador. Antes do mais perderam-se bons jornalistas para esses "órgãos de comunicação de comunicação" social, como antes tinha acontecido em relação às assessorias de Imprensa.
 
As televisões dos clubes não informam - apenas fazem propaganda. Ora, como todos sabem, a propaganda tem um sabor azedo e só mesmo os fanáticos a comem em doses industriais sem terem vontade de expelir um vómito.
No mais, as ditas assessores desinformam mais do que informam. Usam a informação como arma de arremesso, isto é, vão atirando uns bocados de carne e assim muitas vezes contentam quem devia ter obrigação de querer muito mais.
Nem tudo é mau. Há clubes portugueses, que lutam por espaço, que fazem bem o seu trabalho. O Paços de Ferreira, por exemplo, há muito tempo que sabe usar as ferramentas que tem ao seu dispor. O Rio Ave começa agora a aproveitar esses recursos. E o Boavista reentrou na 1.ª Liga disposto também a tirar frutos deste espírito. Outros há que aqui não menciono.
O negócio futebol não vive apenas de transferências, comissões, bilhetes, direitos televisivos e merchandising. Vai muito para além disso. Não o entender é pura burrice, o que se entende pela tacanhez de dirigentes que são os únicos dinossauros vivos à face da Terra.
Acredito que tudo vai mudar um dia. Mas é apenas uma questão de fé minha, eu que quando comecei nestas lides tive a oportunidade única de sentir o cheiro dos balneários e de conhecer as histórias de vida dos protagonistas. Não vejam isto como saudosismo - vejam nisto o que devia ser feito.
daqui

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Maradona sonhava jogar uma final do mundial no Maracanã


Lá se foi a 'laranja mecânica', que de mecânica pouco teve nos últimos dois jogos, decididos nos penalties por quem teve mais qualidade técnica e sangue frio.
Primeiro, os holandeses perante os costa-riquenhos, ontem, os argentinos perante os holandeses.
 
Lá vou ter de assitir à 'minha' terceira final (com muito gosto) de um mundial entre argentinos e alemães.
Para os brasileiros, o pesadelo continua - o eterno rival (Argentina) poderá vir a ser campeão mundial em terras brasileiras.
 
O povo brasileiro amante do futebol ainda 'sofre'..., e um dos culpados é o senhor da foto em cima pelo mito que ajudou a alimentar dentro e fora de cmapo (que o diga Pelé...).
 
A final do próximo domingo no Maracanã é aquela que Maradona mais queria ter jogado, mas nunca se proporcionou...

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Brasil de Felipão entra na história




A derrota do Brasil é o acontecimento do Mundial 2014. Vai ficar nos anais.
Felipão, que foi campeão do Mundo pelo Brasil em 2002, entra também na história dos grandes (des)feitos. Também pela forma como encaixou a goleada.
Temos assistido ao espetáculo dos ressabiados que nunca gostaram deste treinador, desmontado de imediato pela sua incapacidade para perceber o que é uma basculação, um jogo entre linhas ou uma transição rápida.
Tretas. O currículo do Sargentão fala por si. Em regra por onde passou deixou a sua marca. No caso da seleção portuguesa, manteve-a sempre num nível alto, conseguindo consolidar o trabalho que tinha sido feito anteriormente por Humberto Coelho e António Oliveira.
O que aconteceu no Mineirão não foi um desastre tático do escrete - foi apenas futebol. No esplendor da sua magia.
O Brasil, relembre-se, chegou às meias-finais! Outras gloriosas seleções que dominam as transições e os ataques rápidos ficaram pelo caminho...
O fascínio do futebol é também isto de nos proporcionar gozação, catarse e descargas biliares. Vivemos todos muito bem com isso e ainda bem que é assim.
O Brasil, 1 - Alemanha, 7 não é a derrota de um homem ou de uma equipa.



É um grande hino ao futebol.

PS - A falácia que está a ser vendida é desmontada facilmente quando reparamos que os especialistas atribuem a Guardiola o sucesso de Espanha no Mundial de 2010 e ao mesmo treinador este percurso da Alemanha em 2014. Só o faz quem pensa que as batatas crescem nas árvores.   

Post daqui

terça-feira, 8 de julho de 2014

ataque de pânico




E, como explicar o que se passou hoje no mineirão com a selecção brasileira?

uma verdadeira tragédia que tem uma explicação simples, na minha opinião, claro está!
um ataque de pânico dos brasileiros a partir do segundo golo e, depois, foi o acusar a pressão de ter de ser campeão mundial em casa.
esta derrota já peca por tardia, com o Chile, já nem para os quartos de final mereciam ter-se qualificado.

ninguém pode cumprir uma estratégia de jogo quando o factor mental fica completamente alheio do jogo, por isso, é que só depois dos jogos os 'paineleiros' do costume  'vendem' muito as transicções e os espaços entrelinhas para justificar a derrota de alguém nos programas que o povo gosta.
uma equipa marca um golo e ganha um jogo porque a outra falha, por isso, é que é um jogo. alguém tem que errar em algum momento do jogo para o adversário se pôr em vantagem.
 
verdade seja dita, esta Alemanha, hoje, fez o jogo da vida deles porque alguém o deixou, mas, não me lixem!,... nem os queiram 'pôr no céu'.
 
esta selecção alemã, sem lhe tirar devido o valor, é a mesma equipa que:
 
1) ganhou a uma frágil selecção portuguesa nas condições em que todos nós sabemos;
 
2) que empatou com o Gana;
 
3) que ganhou por 1-0 aos Estados Unidos;
tudo isto, na primeira fase.
 
4) nos oitavos de final, eliminou a Argélia apenas no prolongamento;
 
5) nos quartos de final, venceu a França por 1-0 com um golo em falta;
 
6) hoje, simplesmente espectacular,...ou melhor, demolidores!
 
repito, não lhes tiro o devido valor, mas, pelo santo amor de Deus?!...querer fazer desta selecção uma 'equipa' parecida como a 'grande' Espanha, só pode ser 'brincadeira'..., é uma das potências do futebol mundial, disso, ninguém duvide, mas nem 8 nem 80 meus senhores.
e, não se esqueçam, a 'enorme' Espanha começou a 'partir' tudo em 2008 com um senhor de nome - Luís Aragonês, o pai do tiki-taka!
 
a minha aposta para vencer este mundial continua a ser a Holanda!

ela aposta nos alemães

«É o vai ou racha para o Brasil»

A Palhaçada de Oblak

mais um início de época, mais uma palhaçada de Oblak e de quem o representa...
 
 
 
 
Oblak (foto ASF)
Encarnados desconhecem paradeiro de Oblak
 
    

Fonte próxima do Benfica confirmou a A BOLA que o clube desconhece o paradeiro do guarda-redes esloveno Jan Oblak.

O jovem guarda-redes deveria estar esta segunda-feira às ordens do treinador Jorge Jesus, mas não se apresentou.

O Benfica também assegurou que não está em negociações com o Atlético Madrid, isto numa altura em que a Imprensa espanhola avança que o guardião já terá inclusive feito os testes médicos.

Na temporada passada este jogador também teve alguns problemas e não esteve presente inicialmente.
notícia daqui

sexta-feira, 4 de julho de 2014

acabou o mundial para Neymar



é sempre 'triste' quando os  melhores jogadores não podem continuar a disputar uma prova como um mundial devido a lesão.
mas a realidade é esta, infelizmente o mundial acabou para Neymar!
 
o atleta brasileiro sofreu uma fratura na terceira vértebra lombar e a paragem é de quatro a seis semanas.

A Torre de Lopetegui

 
Até ver a principal aquisição do FC Porto de Lopetegui foi a...torre.
Ao que se sabe, a torre colocada no meio dos relvados do centro de treinos de Olival/Crestuma vai servir para filmar melhor os treinos e também para o novo treinador fazer algumas observações.
Como se sabe, para os portuenses torre só há uma e é a dos Clérigos, por acaso situada junto ao antigo campo do Olival, hoje Cordoaria.
Quando me falam em torres penso logo no célebre êxito de Hollywood "A Torre do Inferno".



Confesso que pequei - não só vi o filme várias vezes como também li o livro.

Mas outras torres há. As torres gémeas, por exemplo. A de Pisa, que todavia se mantém de pé.
E a de Babel, muito popular em qualquer plantel português.
Temos ainda várias torres espalhadas por esse país, de que destaco Torre de Palma, a magnífica villa romana do norte alentejano, que até conta agora com um belíssimo hotel por perto com o mesmo nome.

No xadrez, a torre é ainda uma das peças mais valiosas.

Não esquecer também que o ponto mais alto de Portugal continental é a Torre da serra da Estrela.

Temos ainda, em Trás-os-Montes, Torre de Dona Chama, o que seria muito perigoso numa cidade com arranha-céus, mas não é o caso.

E sim, um dos símbolos da história e da arquitetura portuguesa continua a ser a Torre de Belém.

Acho que já chega sobre torres.

Quanto a Lopetegui, o que se espera dele é que utilize bem a sua e que a mesma daqui a uns tempos não esteja a ser usada apenas por ornitólogos interessados nas aves que nidificam em Crestuma.

Ah, claro, fico também à espera do dia em que Pinto da Costa vai subir à torre. À do Lopetegui, claro.
daqui

quarta-feira, 2 de julho de 2014

FC Porto dá pontapé da saída na nova época

Príncipe contra os finais de ciclo

Depois de uma época para esquecer, recuperar o título de campeão nacional é o principal objetivo do renovado FC Porto. Lopetegui foi o homem escolhido por Pinto da Costa para dizer “não” ao alegado ponto final na hegemonia dos dragões no futebol português.

O príncipe da Espanha, ex-selecionador sub-21, tem uma missão oculta que surge a reboque das suas ideias: provar que os fracassos recentes do Barcelona e da Espanha não são o fim do futebol de posse.

A FAVOR

- SAD dá sinais de confiança claros a Lopetegui: três anos de contrato e muito trabalho de bastidores para satisfazer alguns dos seus desejos ao nível dos reforços

- Conceitos de jogo, modelo tático e forma de estar do novo técnico fiéis ao que é hábito no FC Porto

- Injeção de confiança de Herrera no Mundial’2014. A substituição de Moutinho ainda está por fazer

CONTRA

- Necessidade premente de se sagrar campeão nacional. A pressão dos adeptos promete ser ainda mais intensa do que na temporada transata

- Parte importante da época joga-se logo nos primeiros jogos oficiais: playoff de acesso à Champions

- Saída de Fernando, peça vital da equipa desde 2008, e a eventual perda de Mangala e Jackson
através do jornal record

terça-feira, 1 de julho de 2014

«Quem quiser William Carvalho terá de pagar bem»

Augusto Inácio (foto ASF)
 
Augusto Inácio desconhece até que ponto William Carvalho poderá deixar o Sporting nas próximas semanas, mas deixa claro que a estrutura do futebol estará preparada para reagir à eventual saída do jovem médio.

«Se baterem a cláusula temos de deixar o jogador sair. Não é como antigamente, quando os jogadores saíam do Sporting a qualquer preço. Não estamos preocupados com William Carvalho, pois temos soluções alternativas. Quem o quiser terá de pagar bem. A cláusula de rescisão garante um excelente negócio ao Sporting», argumentou o diretor do futebol profissional dos leões, em declarações à Sporting TV.

Inácio faz um balanço amplamente positivo das incursões leoninas ao mercado.

«Estou muito satisfeito com as negociações. Não é fácil negociar jogadores, requer muita argúcia mas o Sporting tem um presidente que sabe negociar como ninguém o que é melhor para o clube», salientou, admitindo que o plantel às ordens de Marco Silva não está fechado:

«O mercado vai evoluir, tanto nas vendas como nas contratações. Não sabemos qual a procura que os nossos jogadores têm. Temos de esperar, mas estamos atentos. Temos de ter soluções para colmatar alguma saída».

e assim começa o mês de Julho...