quarta-feira, 19 de novembro de 2014

As vitórias são um bálsamo

ENTRADA EM CAMPO
Há muito de questionável na seleção de Fernando Santos. Como havia na de Paulo Bento. Mas o que é essencial no futebol mudou: os resultados. Afinal, é isso que alimenta a cabeça das pessoas. Nesta altura são poucos os que se preocupam com o facto de Portugal ter feito quatro jogos muitos fracos sob o comando do novo selecionador e de os resultados estarem claramente desajustados da realidade, se olharmos às tristes exibições na Dinamarca, ou ontem, em Manchester.

Ganhar tapa muita coisa. Nos clubes os presidentes sabem disso e no edifício federativo, mentes como Fernando Gomes ou Humberto Coelho também têm isso bem claro. Por isso hoje já ninguém se preocupa com a estranha renovação levada a cabo quando se chamam jogadores como Bosingwa, Fonte ou Tiago Gomes. Ou o sub-rendimento de Danny. Ou mesmo o facto de termos regressado claramente a uma equipa com tração atrás, o que até nos garantiu já três jogos sem golos sofridos.

É óbvio que Santos precisa de tempo. E que nem tudo está bem. Se conseguir acrescentar mais futebol a um grupo que se pretende coeso, equilibrar o meio-campo e resolver a equação Ronaldo, seremos felizes. O apuramento será favas contadas. Mas seria sempre, diga-se.

Ganhar tapa muita coisa. Mas é óbvio que Santos precisa de mais tempo

À partida de Manchester, Nani resolveu lançar uma bomba sobre o Sporting. Das duas uma, ou se retrata durante o dia de hoje e fica só a ideia que estava a viver um regresso emocionado, ou a relação com o presidente deteriorou-se mesmo com o episódio das críticas no Facebook. Nem sempre negar evidências é o melhor remédio para as maleitas. Seja como for, Nani é imprescindível para o projeto desportivo desta época e o Sporting não se pode dar ao luxo de o perder tão cedo.








Bernardo Ribeiro no jornal record

Sem comentários: