sábado, 30 de junho de 2012

Belen Rodriguez

Pedro Proença

acho que não há muitas dúvidas em considerar Pedro Proença como o melhor árbitro português da actualidade e um dos melhores da europa neste momento, mas há aspectos que não entendo:

como foi possível Pedro Proença ter sido considerado o melhor árbitro da última época em Portugal?
e depois o "chefe" diz que é tudo "limpinho" nesta classe, que já não estamos no tempo dos quinhentinhos?!..., dá para desconfiar!

não vou entrar pela coincidência de nos jogos do Benfica com os seus rivais directos, os encarnados nunca terem ganho com ele a dirigir, mas que é estranho, é!

na última época e, assim de repente, lembro-me de vários jogos em que ele esteve mal:
Sporting-Marítimo, Feirense-Rio Ave, Nacional-Sporting (taça de Portugal), Benfica-Porto (aqui mais por culpa do auxiliar Ricardo Santos, que viu um off-side no terceiro golo portista e não quis marcar, não tenho dúvidas!) e também  no Porto-Sporting!

se conseguiu o primeiro lugar da classificação, os colegas devem ter tido uma prestação abaixo de péssimo, algo que não me lembro, apenas Bruno Paixão o pode apanhar.

há muito a mudar nas prestações deste senhor cá dentro, lá fora as coisas até que lhe correm razoavelmente bem, prova disso foi a designação para a final da champions e amanhã para a final do europeu.
que tudo lhe corra bem, amanhã e daí por diante, cá dentro também, entenda-se...

para os menos esclarecidos

para quem não sabe, aqui fica um esclarecimento sobre as faixas elásticas que os atletas usam, uns nas pernas, outros como é o caso da foto no dorso.
chamam-se faixas elásticas - "elastotaping" - que são utilizadas para o tratamento de distúrbios musculares e ortopédicos.
Funcionam de acordo com um princípio bio-mecânico que estimula o processo de auto-regeneração dos tecidos...
e....sem recorrer a substâncias farmacêuticas.
in relvado.

Portugal no Euro 2012: o balanço de A a Z

A O jogo com a Alemanha serviu de lição. É difícil defender um castelo sem adoptar uma defesa ativa. Ou seja, sem ferir o inimigo.

B Não sendo um comunicador por natureza, Paulo Bento aguentou-se bem na bronca. Apenas descambou um bocadinho mas saiu com saldo positivo e vai ser ele a preparar a qualificação mundialista. Feijão com arroz é um prato corrente no Brasil, não é?

C O nosso CR7 teve momentos de magia mas esteve uns furos abaixo do que vale nos jogos com a Alemanha, a Dinamarca e Espanha. Não passou a bola e a equipa sentiu-se obrigada a passar-lhe sempre a bola quando havia melhores opções.

D Carlos Daniel teve uma performance impressionante no programa do Euro 2012 da RTP. Como não costuma viajar no charter da seleção, teve espírito crítico e apresentou um saber enciclopédico ao nível do João Querido Manha.

E Diz-nos a história que um dos nossos poucos empates de Portugal com Espanha, ocorrido na batalha de Toro, com D. Afonso V, rapidamente passou a ser lido como uma derrota. Não serviu de aviso.

F O presidente da FPF, Fernando Gomes, começou com o pé direito: 15 milhões nos cofres, embora 8 sejam da responsabilidade de Madaíl.

G O Governo português passou a bola a Cavaco e só Relvas se assumiu. Ninguém viu o secretário de Estado do Desporto. Ou ninguém o ouviu...

H Às vezes fiquei com a sensação de que o Humberto Coelho é que foi o treinador.

I Vai ser o melhor jogador do Euro: Iniesta.

J Não há bom nem mau jornalismo. Mas insulta-se a estupidez quando se diz que Paulo Bento foi o melhor seleccionador português de sempre.

L Não esteve lá mas muito se falou nele: Leonel Messi.

M Cansou só de olhar. João Moutinho mostrou a sua raça. E arrasou.

N Mais um bocadinho e Nelson Oliveira tinha saído queimado da fogueira para onde o atiraram.

O Desta vez a culpa da desestabilização não foi do Octávio Machado.

P Tem nome de espanhol, nasceu no Brasil mas já é um dos nossos: Pepe.

R Ai que saudades, ai, ai das grandes crónicas de e sobre futebol. Rogério Azevedo, n' A BOLA, esteve à altura dos mestres.

S O bom senso é um bem raro, aqui e no Irão.

T No jogo com a Espanha não acertamos um tiro enquadrado com a baliza e quando acertamos foi mesmo na baliza ou no Casillas.

U Até ao lavar do cesto é vindima mas as balizas não são feitas de vime.

V Dizem que lhe pesa o c*** mas desta vez Miguel Veloso quase cortou orelha e rabo.


X  Desta vez ninguém mijou fora do penico e Pinto da Costa não tem de se deslocar ao tribunal de Óbidos.

Z É sempre a letra mais difícil. Desta vez não. Não houve muitas bandeiras nas janelas mas o Zé Povinho portou-se bem e apoiou a equipa de todos nós.

post de Eugénio Queirós, aqui

sexta-feira, 29 de junho de 2012

"grande" Paulo!

Os famosos críticos não ficaram sem resposta por parte de Paulo Bento. Numa entrevista à RTP, Paulo Bento criticou a postura de Carlos Queiroz e Manuel José, frisando que os companheiros de profissão tiveram um comportamento pouco ético.

"[Manuel José e Carlos Queiroz]
Foram duas pessoas que, aproveitando alguma situação que poderiam pensar de maior debilidade, não tiveram o comportamento que deveriam ter tido. Acusaram-me duas vezes de ser o responsável pelo mau planeamento, mas não o disseram porquê.
Não conheciam rigorosamente nada do nosso planeamento", começou por dizer o selecionador nacional, acrescentando que, enquanto esteve por fora, nunca atacou nenhum colega.

"A opiniao é livre mas deve ser responsável. Sem informações tiraram conclusões.
Não sei se foram iguais ou apanharam boleia um do outro.
Terão de lhes perguntar", referiu, colocando as críticas de Figo e Rui Costa num registo diferente: "São questões diferentes.
Vamos fazer uma distinção dos factos.
Eles foram jogadores, melhores do que eu, e por isso há que ter sensibilidade."

Blackout
Sobre a decisão dos jogadores em não falar à imprensa após a vitória sobre a Holanda, Paulo Bento explicou que entendeu a decisão dos seus pupilos.
"Os jogadores tinham um compromisso assumido e decidiram não falar no final do jogo. Eu estive solidário e acho que tem direito a fazê-lo.
notícia daqui

gostei da entrevista de Paulo Bento, sem rodeios, directo e esclarecido como não poderia deixar de ser.
graças a Deus temos seleccionador por muito mais tempo, o apuramento para o mundial no Brasil está mesmo aí ao virar da esquina. força Portugal!!!

Portugal acima do esperado e a prometer

Contra as vitórias morais, a favor da exigência para 2014. É repetir a progressão dos últimos dois anos

Os balanços, nestas coisas dos grandes campeonatos, fazem-se no final, sempre que o mês de Junho se extingue e de preferência quando os grandes clubes ainda não tomaram conta da agenda mediática.
O avião da seleção aterrou e nele vinha uma equipa que suplantou o que dela se esperava, que fica a dever a detalhes o não ter ido mais longe e que deixa muito boas perspetivas para o próximo biénio.
Começo a olhar para trás. Faz precisamente hoje dois anos que esta equipa se despediu do Mundial’2010, nos oitavos-de-final.
O carrasco foi o mesmo, o resultado foi pouco diferente: na África do Sul, os espanhóis venceram por 1-0, ainda que tenham visto Eduardo negar-lhes pelo menos mais dois golos feitos; anteontem precisaram de ir a penaltis, depois de nem eles nem os portugueses terem sido capazes de desbloquear o 0-0 com que o desafio começara.

Essa era, contudo, uma equipa em processo de desagregação, onde jogadores e treinador já não falavam a mesma língua, e que bateu no fundo em Setembro de 2010: há 22 meses, esta seleção empatou em casa com Chipre (4-4) e perdeu na Noruega (0-1), colocando em dúvida o apuramento para o Europeu.

Analisada à luz destes acontecimentos, a chegada à meia-final de Donetsk, a participação na fase final com um onze consolidado que aproveitou apenas quatro jogadores dos titulares daquele arranque de campanha, só podem ser consideradas positivas e orgulhar os que gostam de futebol.

Não falo em vitórias morais, nem em chicanas bacocas feitas de suspeição “a priori”, de alusões cobardes, quase sempre “off the record” e a contar com uma comunicação social excessivamente prestimosa, aos poderosos que não nos queriam mais além. Isso tudo somado vale zero vírgula zero.
Digo apenas que Portugal fez um bom Europeu, que fez um Europeu além do que se esperava. Podia ter feito melhor?
Claro que sim.
Bastaria que a bola de Bruno Alves batesse no poste e entrasse e a de Fabregas batesse no poste e saísse. Ou que o passe de Meireles para Cristiano Ronaldo, a finalizar um contra-ataque brilhante, ao minuto 90, tivesse saído um metro para a frente do CR7 em vez de sair um metro para trás, prejudicando o equilíbrio e a potência muscular que este pôs na finalização. Ou que Del Bosque tivesse persistido no erro de abordagem ao jogo e não tivesse dado largura à equipa com as entradas de Navas e Pedrito. Ou, em alternativa, que Portugal tivesse o banco da Espanha, permitindo que Paulo Bento se sentisse encorajado a mexer mais cedo num onze que colocara problemas iniciais à Espanha mas que já estava a ser dominado pelo menos desde que começara o prolongamento.
O que se fez foi um terceiro lugar ex-aequo. Foi bom e é uma base de trabalho muito melhor para se encarar o Mundial de 2014 do que a que se tinha há dois anos com o Euro’2012 à vista. Porque desta vez a equipa saiu da prova a falar a uma só voz. Porque se vê que há uma ideia de jogo consolidada em torno da verticalidade e da velocidade de transição e se abandonou a ideia de que os portugueses têm de ser “os brasileiros da Europa” (quando na verdade já não temos jogadores para isso há oito anos).

Porque dos 23 homens que estiveram na Polónia e na Ucrânia só Bruno Alves e os não utilizados Beto e Ricardo Costa passaram já a barreira dos 30 anos, levando a crer que quase todos poderão estar no Brasil em 2014.

Com a certeza de que se até lá a equipa repetir a margem de progressão dos últimos dois anos pode fazer um Mundial muito bom.

António Tadeia, no Diário de Notícias, 29/6/2012

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Pedro Proença vai arbitrar a final Espanha-Itália

Juiz lisboeta leva a melhor sobre o inglês Howard Webb e o italiano Nicola Rizzoli.
Pedro Proença tornar-se-á domingo no primeiro árbitro português a dirigir a final de uma grande competição de seleções.
O juiz de Lisboa, de 41 anos, foi o escolhido pela UEFA para dirigir o jogo decisivo do Campeonato da Europa de 2012, entre a Espanha e a Itália, a ter lugar em Kiev (Ucrânia).

Esta será a segunda vez que Pedro Proença dirigirá uma final num curto espaço de um mês e meio, depois de a 19 de maio já ter apitado a da Liga dos Campeões, entre o Chelsea e o Bayern de Munique.
daqui

que ganhe a Itália

a Itália apurou-se hoje para as meias-finais do euro 2012, derrotando os alemães por 2-1.
eu que nunca fui um adepto especial do futebol italiano, confesso que esta selecção joga muito, aliás, um futebol muito diferente do que o que marcou a história dos italianos

há espectáculo, trocas de bola em terrenos mais adiantados do que era costume, oportunidades de golo, enfim,...um verdadeiro espectáculo, em especial ver Pirlo jogar e Balotelli com juízo.

interessante saber se Cesare Prandelli volta na final do euro ao mesmo sistema táctico de 3-5-2 com que empatou na primeira jornada do euro com os mesmos espanhóis.
parabéns Itália e que levantem o "caneco"!!!

onze e sistema oficial de Itália e Alemanha

ela ontem voltou a ficar por cima

ontem não foi a primeira vez que a espanha ficou por cima de Portugal, de qualquer maneira a rapariga deve-se ter ficado a rir no final do jogo de ontem.


ah!, antes que me esqueça, alguém sabe onde vai jogar o Quinaz na próxima época?!...

« o pilhas duracel está feliz com o regresso a casa »

Formado no Barcelona, Jordi Alba rejubila com o regresso ao clube de onde saiu em 2005, ainda júnior.

«Estou feliz por voltar a casa. Sabia que as negociações estavam adiantadas», diz o lateral-esquerdo, de 23 anos, em declarações ao Mundo Deportivo.

«Foi uma dupla satisfação: apurei-me para a final [do Euro-2012] e tive a confirmação da transferência para o Barça», congratula-se.
O Barcelona oficializou esta quinta-feira a contratação de Jorbi Alba para as próximas cinco épocas, tendo pago ao Valência 14 milhões de euros pelo internacional espanhol.
daqui
título da minha responsabilidade

quem é o outro ?

Espanha já lá está!, quem será o outro finalista?
eu aposto (e também apostei uns trocos na bwin, quando a odd estava a 14,00 que os italianos venciam o torneio) que a Itália vai levantar o caneco. bem sei que é difícil, mas não é impossível.
aqui vos deixo os prováveis sistemas de ambas as selecções para hoje.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

parabéns rapazida...

...foram enormes perante o poderio espanhol que justificou (em especial a partir dos 65 minutos e prolongamento) o porquê de serem campeões da europa e do mundo...e quererem voltar a sê-lo.

esta selecção comandada por Paulo Bento fez um excelente europeu, gente dedicada, esforçada e que muito lutou..., mereceu ficar entre as quatro melhores selecções da europa sem dúvida alguma.
parabéns também aos espanhóis e, boa sorte para a final.


melhores dias virão para esta nação valente e imortal! Força Portugal!!!

o onze e sistema oficial de Portugal e Espanha


« o onze e sistema provável de Portugal e Espanha»

poucos acreditariam que a nossa selecção nesta altura do campeonato estivesse nas meias-finais, eu acreditei e escrevi isso mesmo, aqui, a 26 de Maio.
hoje, contra a poderosa Espanha só nos resta jogar o que sabemos e tentar chegar novamente a uma final de um europeu,...oito anos depois.
aqui vos deixo os sistemas provaveis de ambas as selecções para hoje, pressintindo que os espanhóis vão arriscar com Torres em vez de Fabregas de início. será que acerto?!...

há que acreditar no que é nosso, força Portugal!!!

momentos divertidos...

...até Trapattoni virou de pernas ao ar..., ainda bem que não se aleijou.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Oliveirinha, parte II

conforme prometi na entrada anterior e, para quem ainda não teve oportunidade de ler, aqui fica o celébre 'relatório Boronha', onde se pode apreciar mais algumas peripécias de Tó Oliveirinha, desta vez quando foi seleccionador nacional pela segunda vez, estágio para/e mundial 2002 na Coreia/Japão.

'Relatório Boronha'

1. António Oliveira, Seleccionador Nacional mudou. Passou a ser uma pessoa diferente a partir do final da fase de qualificação para o Campeonato do Mundo de 2002.

2. Na fase de quaIificação, apoiou-se numa estrutura técnica que integrava José Romão e Rui Caçador, sendo o primeiro a estabelecer toda a programação de treino e preparação de jogos, executando os dois um plano pré- programado.

3. António Oliveira apoiou-se nesta fase numa estrutura logística e administrativa conduzida pelo Director do DDT, Carlos Godinho.

4. Os dois treinadores nacionais, juntamente com Carlos Godinho encontravam no Vice-Presidente Desportivo um pólo aglutinador que em conjunto com o Seleccionador Nacional numa primeira linha e com o Presidente da Direcção, Gilberto Madaíl, sancionavam o programa.

NOTA 1 - Até Dezembro de 2001, pese embora o facto que António Oliveira sempre seguiu a lógica conhecida, “que quando sente vontade de trabalhar reflecte e descansa”, o trabalho de rectaguarda assegurou sempre as condições mínimas que possibilitaram o êxito sem esquecer a conhecida e não negada “intuição” de António Oliveira para e gestão, ao minuto, dos respectivos jogos de qualificação.


5. A partir do amigável com a Espanha, em Barcelona, a 13 de Fevereiro António Oliveira mudou: Concretamente: com a entrada do Dr. José Soares (ou talvez não), José Romão e Rui Caçador deixaram de ser os suportes técnicos de António Oliveira.

6. Veja-se a entrevista à revista “Pública” de 28 de Maio, onde passo a citar: “Alguém dizia: se quiseres que uma coisa não resulte, forma uma equipa técnica”.

7. Nessa mesma altura, em 13 de Março de 2002, numa reunião preparatória do Campeonato do Mundo, com o Vice-Presidente e o Presidente da FPF, introduziu a primeira conflitualidade com o Director do DDT, Carlos Godinho. Contestou a sugestão para treinador observador de jogos que indicava Agostinho Oliveira e Silveira Ramos, treinadores da FPF com capacidades para exercerem o cargo. Disse na altura que a decisão lhe competia, tendo posteriormente convidado o treinador Manuel Gomes (Neca) para o cargo pondo perante o facto consumado o Presidente da FPF, que telefonou ao Vice-Presidente para o informar do mesmo.

8. Posteriormente assisti a um degradar de relações pessoais entre António Oliveira e Carlos Godinho, sempre por iniciativa do primeiro, que culminou numa reunião em 03 de Abril de 2002, numa sequência de acusações infundadas do primeiro ao segundo, testemunhadas por mim e pelo Presidente da FPF, que se limitou a dizer ao Director do DDT que “deixasse de falar ao telefone com os jogadores da Selecçao Nacional”. Tive, na altura, uma intervenção defendendo a dignidade e o profissionalismo do Director do DDT perante as afirmações que na altura foram proferidas pelo Sr. António Oliveira. Lamentavelmente essa reunião concluiu-se por um pedido formulado pelo Presidente da FPF, aos presentes, para que fizessem o jogo do faz de conta (que estava tudo bem).

9. Cumpriram o Vice-Presidente e o Director do DDT, as regras sugeridas pelo Presidente da FPF, que segundo o mesmo, eram ditadas pelos interesses da participação da Selecção Nacional no Mundial de 2002.

10. Nessa altura foi sugerida pelo director do DDT, Carlos Godinho, na presença dos médicos Nuno Campos e Henrique Jones e do fisiologista José Soares uma reunião preparatória da campanha do Mundial da Coreia e do Japão com a participação do Vice-Presidente e com a presença de todos os elementos da Comitiva Nacional, à excepção dos jogadores com o intuito de informar os mesmos das condições que iriam encontrar quer em Macau, quer na Coreia e/ou no Japão, situações essas estranhas e diferentes do nosso quotidiano, no sentido de atenuar eventuais choques e de ajudar todos os elementos e cada um na sua acção específica, a melhor enquadrarem os jogadores para uma realidade social, cultural e geográfica completamente diferente. Tal sugestão não teve seguimento por parte do Seleccionador Nacional.

11. Não cumpriu o Seleccionador Nacional essas regras.

12. Não elaborou, como era da sua competência, a programação da Selecção Nacional. A mesma foi feita pelo Director do DDT, que o informou via faxe, tendo o Seleccionador Nacional concordado com o seu conteúdo.

13. Informei, na altura, o Sr. Presidente da FPF de todos estes problemas, acrescentando que as coisas não estavam a correr conforme as regras “que ele tinha proposto” (o faz de conta), antes, segundo estados de espírito e interesses momentâneos de terceiros (novos gurus) que nada de bom auguravam.

14. Entretanto, o Seleccionador Nacional anunciou que se iria casar no dia 11 de Maio de 2002.

NOTA 2 - A partir do jogo com a Espanha esteve muitas mais dias presente no Departamento Desportivo e Técnico da FPF o Vice-Presidente, que exerce um cargo eleito e não remunerado do que a responsável directo pela preparação da Selecção Nacional para a Campeonato do Mundo, Seleccionador Nacional, António Oliveira.


15. Na semana que antecedeu o dia 11 de Maio, o Seleccionador Nacional mandou o seu advogado, Dr. Dias Ferreira, entregar ao Presidente da FPF um documento onde exigia, entre outras coisas, a alteração do seu regime contratual e, simultaneamente, a redução dos poderes do Director do DDT, Carlos Godinho.

16. Foi-me dito informalmente pelo Sr. Presidente, na aItura com um misto de indignação e repúdio que lhe respondera que essas questões só seriam discutidas após o Mundial.

17. Entretanto, a comunicação social publicou, em data anterior à convocatória, fotografias elucidativas mostrando alguns jogadores (Fernando Couto, Nuno Gomes e Petit) equipados com a camisola do Boavista a fazer trabalho específico sobre a orientação do fisiologista José Soares.

18. No dia 12 de Maio de 2002, véspera da divulgação da convocatória da Selecção Nacional para o Campeonato do Mundo, esteve o Director do DDT, Carlos Godinho -- conforme tinha combinado com o Seleccionador Nacional – à espera desde as 21 até às 24 horas que o mesmo o informasse da lista de jogadores.

Nota 3 - Compreende-se que a norma, senão regulamentar; pelo menos, ética, que os clubes que dipensam jogadores às Selecções Nacionais deverão ser informados em primeira mão, não foi aplicada. Tal não foi possível fazer porque:


19. O Seleccionador Nacional, depois de várias peripécias menores, só informou o Vice-Presidente e o Director do DDT no dia 13 de Maio de 2002, pelas 12h36, através de um papel manuscrito e rascunhado dos 23 nomes a seleccionar. Mais:

20. Pediu nesse momento, ao Vice-Presidente que autorizasse a convocatória de um vigésimo quarto jogador – Ricardo Quaresma, que pudesse eventualmente colmatar deficiências físicas da lista dos 23 nomeados.

21. Foi-lhe na altura recordado pelo Vice-Presidente – o que ele parecia desconhecer – que a lista definitiva a submeter à FIFA tinha como prazo limite o dia 21 de Maio. Pelo que, as reservas que introduzia não eram aceitáveis e ridicularizariam a convocatória portuguesa perante os outros 31 participantes que tinham anunciado ou iriam anunciar 23 jogadores.

22. Foi a convocatória na altura divulgada à Comunicação Social, redigida no hotel onde se iria realizar a conferência de imprensa numa folha de papel avulsa, com o timbre da FPF, facultada pelo Vice-Presidente ao Assessor de imprensa, José Carlos Freitas.

23. Salvou-se, momentaneamente, a honra do convento.

24. Dia 13 de Maio, às 23h00 iniciou-se a convocatória para o Mundial.

25. Nessa noite, o Seleccionador Nacional informou o Director do DDT que tinha uma leitura diferente sobre a concentração e que para ele a mesma só começava a 16 de Maio, tendo-se ausentado e dormido fora do hotel.

26. Ainda nessa noite, comunicou o Vice-Presidente a todos os integrantes da Comitiva Oficial, excluindo os jogadores que já o sabiam anteriormente, o esquema de prémios de presença pela sua participação no Campeonato do Mundo.

27. O prémio do Seleccionador Nacional, António Oliveira, seria de acordo com o Presidente da FPF, tratado entre ambos.

28. Da totalidade dos restantes elementos, registei e informei o Sr. Presidente da FPF e posteriormente o Seleccionador Nacional, da recusa em assinar a carta informativa subscrita pelo Dr. Gilberto Madaíl por parte do treinador de guarda-redes Silvino Louro, que na presença do Director do DDT me disse: “Só assino a carta se não pagar impostos”; “Assino a carta, mas vocês têm que aturar a minha azia durante o Mundial”.

29. Disse na altura que não aceitava os termos da resposta, por a considerar nada educada quanto à primeira reacção. Quanto à segunda reacção informei que a azia dele, no extremo Oriente, duraria somente 24 horas, porque seria metido no primeiro avião para Lisboa.

NOTA 4 - Tenho neste momento em meu poder todas as cartas assinadas, à excepção do treinador Silvino Louro, que posteriormente, já em Macau, quis assinar e não permiti; e a do Sr. Seleccionador Nacional que até ao momento desconheço todo e qualquer seguimento sobre o assunto.


30. No dia 14 de Maio de 2002, com início às 7 da manhã, procedeu-se à despistagem de substâncias dopantes a 22 convocados (com excepção do Luís Figo, que se preparava para disputar a final da Liga dos Campeões, feita por uma equipa liderada pelo Dr. Luís Horta, Director do Centro de Medicina Desportiva, que para o efeito se deslocou ao local do estágio, conforme pedido subscrito pelo signatário e pelos médicos Nuno Campos e Henrique Jones em 17 de Abril de 2002

ESTÁGIO EM MACAU

31. Começámos mal.

32. Chegados a Macau, cerca do meio dia (hora local), o signatário na primeira refeição que todo o grupo teve pelas 13 horas, viu o lugar de Chefe de Delegação que exercia de facto, por ausência do Sr. Presidente da FPF em Lisboa, ocupado pelo Seleccionador Nacional. O Vice-Presidente tentando usar a sua diplomacia e bom senso pediu ao Assessor do Presidente da FPF, Cmdt. António Sequeira e ao Director do DDT, que ao jantar informassem o Seleccionador Nacional do lapso.

33. Respondeu o mesmo que aquela cadeira sendo a número 4, era o seu número da sorte, pelo que não cederia o lugar a ninguém.

NOTA 5 - Ironia do destino. O número 4, sempre que possíveI, é omitido na escrita chinesa. Significa: "morte".


34. Dentro do bom senso, foi acrescentada uma mesa a fim de permitir que o Chefe da Delegação efectivo ou em exercício ocupasse o lugar central.

35. Para abreviar enumeração de questões menores, passemos, de imediato, ao caso Kenedy.

36. Factual: o Seleccionador Nacional foi informado cerca da 1h00 (18h00 em Lisboa), imediatamente após o signatário ter acordado com o Presidente da FPF o regresso do jogador a Portugal, que existia um caso de doping positivo, pelo que solicitava que me indicasse o 23º jogador que substituísse o referido Kenedy.

37. Depois de curtas considerações, sugeriu a “irresponsabilidade” da FPF de ter feito a despistagem antidoping no LNAD. O Seleccionador Nacional retirou-se para o seu quarto, pese embora lhe tenha sido por mim solicitado que ficasse connosco e que me acompanhasse na informação ao jogador da lamentável ocorrência.

38. Disse o Seleccionador Nacional, na altura, ao Director do DDT para convocar o jogador Hugo Viana.

39. Pelas 6h08 do dia 22 de Maio. (23h08 do dia anterior em Lisboa), acompanhado do Director do DDT, dos médicos Nuno Campos e Henrique Jones, mais o treinador Rui Caçador, informei o jogador Daniel Kenedy do controlo positivo.

40. Pelas 7h00 da manhã colocámos no site da FPF um lacónico comunicado informando da decisão.

41. Pelas 7h30 (locais), o Dr. Nuno Campos, Chefe da Equipa Médica manifestou-me a sua disponibilidade para regressar de imediato a Lisboa.

42. Pedi-lhe que continuássemos todos no mesmo barco.

NOTA 6 - Como responsável directo pelo jogador, o Seleccionador Nacional manifestou durante todo este processo uma total desconsideração pelo homem Daniel Kenedy seu jogador, pelas questões do doping e uma total falta de solidariedade pessoal e institucional para com os médicos da Selecção Nacional.


43. Pelas 10 horas da manhã (locais), com absoluto desconhecimento do Chefe da Delegação em funções, o Seleccionador Nacional promoveu um plenário com toda a equipa médica, técnica e jogadores, onde durante 2 horas crucificou, promovendo um autêntico julgamento popular dos médicos Nuno Campos e Henrique Jones, e indirectamente da FPF, por terem promovido uma despistagem de substâncias dopantes junto do LNAC e não em qualquer outro laboratório semiclandestino, localizado algures na Europa e onde os resultados fossem confidenciais.

44. Jogámos contra a China e ganhámos por 2-0.

45. No dia 28 de Maio de 2002, no regresso do treino matinal, os jogadores sugeriram ao Seleccionador Nacional que no dia 29 lhes fosse concedida a tarde livre para fazerem compras e conhecerem melhor a cidade.

46. O Seleccionador Nacional respondeu de imediato no autocarro que “vocês têm é que treinar, nem pensem no assunto”.

47. No dia 29 de Maio, foi o signatário posto perante a sugestão por parte do Seleccionador Nacional da anulação do treino da tarde, promovendo em alternativa um passeio a Zuhai, na República Popular da China, a todo o grupo.

48. Encetadas pelo signatário as démarches necessárias para o efeito, foi o mesmo confrontado com um rotundo não por parte das autoridades policiais da RAEM por razões de segurança. Informado desta decisão, o Seleccionador Nacional pediu-me que continuasse a tentar, ao que eu lhe sugeri a alternativa de um passeio/compras a Macau.

49. Disse-me “tudo bem”, desde que funcionássemos em grupo e, como tal, fossemos todos.

50. Mesmo com as dificuldades de um pedido de última hora, foram as autoridades do IDM solícitas a responder ao nosso pedido, tendo disponibilizado dois autocarros às 15 horas em frente ao hotel.

51. Curiosamente, o “irmos todos” transformou-se em quase todos. O Seleccionador Nacional não só não participou na visita a Macau como, sem dar conhecimento ao Chefe da Delegação em exercício, se deslocou sozinho à cidade de Zuhai (vide documento nº 3).

52. Nessa noite de 29 de Maio, aliás já dia 30, dia da partida para o Campeonato do Mundo, pela 01h10 da manhã, saiu acompanhado pelos treinadores Manuel Gomes (Neca) e Silvino Louro, os três vestidos com roupa própria, diferente daquela que toda a comitiva usava na altura, sem dar qualquer satisfação ao Chefe da Delegação em exercício que os viu passar porque estava nessa altura no lobby do hotel acompanhado de três elementos da Delegação Oficial e do Eng. Bruno Alves e Arq. Gisela Assis, funcionários do IDM, que tinham ido apresentar despedidas e formular votos de felicidades à Selecção Nacional para o Campeonato do Mundo.

NOTA 7 - A mentira tem perna curta. Vide entrevista dada pelo Seleccionador Nacional à revista "Pública” no dia 26 de Maio na página 14: “Na Selecção há coisa que nunca faço: Sair do hotel. A pretexto de nada”.


53. Esperei até às 3h40 pelo regresso dos três elementos, tendo sido informado duas horas depois que os mesmos tinham chegado ao hotel, de carro, depois das 4h00 da manhã.

54. Atendendo a que me tinha sido pedido pelo Presidente da FPF que não exercesse autoridade específica sobre o Seleccionador Nacional, chamei às 7h30 da manhã os dois treinadores-adjuntos, separadamente ao gabinete da direcção instalado no hotel, a quem disse o seguinte na presença do Director do DDT, Carlos Godinho.

55. “Os senhores faltaram-me ao respeito e à FPF, não ao António Boronha, ao saírem do hotel sem um pedido de autorização ou qualquer explicação. Mais grave, faltaram ao respeito a 47 colegas vossos que cumprem as regras que os senhores (equipa técnica) definiram. Mas muito mais grave, com o vosso comportamento, os senhores estão a faltar ao respeito a milhões de portugueses que depositaram inúmeras esperanças no vosso trabalho”.

56. Pediram-me desculpas, mais o Prof. Neca do que o Silvino Louro, não tendo eu na altura aceite qualquer tentativa de explicação, pelo contrário:

57. Informei-os que – pensava eu – seriam de imediato metidos num avião para Portugal.

58. Nessa manhã, informei por telefone o Sr. Presidente da FPF, Dr. Gilberto Madaíl, que se encontrava em Seul num Congresso da FIFA, do ocorrido, e a quem pedi imediatamente que após a chegada da Comitiva Nacional à Coreia do Sul, ratificasse a minha posição.

59. Foi-me na altura dito que subscrevia inteiramente a minha posição e confirmou-me que não estaríamos (FPF) disponíveis para pactuar com situações semelhantes.

60. Disse-lhe ainda que atendendo à sua competência disciplinar directa sobre o Seleccionador Nacional, que o mesmo deveria falar com o Sr. António OIiveira sobre o assunto.

61. Curiosamente, ou talvez não, a partir do almoço do dia 30 de Maio, dia da partida para a Coreia, o Seleccionador Nacional nunca mais me dirigiu a palavra.

COREIA DO SUL

Abstendo-me de quaisquer outras considerações de ordem técnico/táctica sobre a participação da Selecção Nacional no Campeonato do Mundo, limitando-me a juntar três relatórios técnicos sobre os jogos que Portugal disputou produzidos pela Infordesporto, empresa que a FPF contratou em sessão pública e que o Seleccionador nunca utilizou, devo ainda acrescentar o seguinte:

62. Após a derrota com os Estados Unidos por 3-2, onde foi publicamente e unanimemente reconhecida a inabilidade táctica do Seleccionador Nacional (a famosa questão dos dois trincos), o mesmo promoveu no treino da manhã, de 6 Junho, a noticiada reunião que durou 52 minutos, para falar do quê?

63. Não das razões da derrota. Não da eventual falta de preparação do jogo. Não do desconhecimento da equipa adversária.

64. Mas da atitude desestabilizadora do Vice-Presidente António Boronha.

65. Eis a minha primeira grande falha: perdi o jogo com os Estados Unidos.

Ainda somente mais uma questão. A última, mas não a menos importante:

66. Foi-me dito no jogo, Portugal-Coreia do Sul, aos 8 minutos, quando informava a equipa técnica do segundo golo da Polónia - o que numa qualificação em poule, não é despiciendo – que o Seleccionador Nacional não pretendia ser informado do resultado do jogo. Cada um que tire as suas concIusões, mesmo que algumas delas sejam bem estúpidas.

PRESIDENTE DA FPF

67. Do Presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Dr. Gilberto Madaíl, é com mágoa que tenho de dizer o seguinte: por razões que compreendo e que se prendem muito, a meu ver, com o próximo acto eleitoral da FPF, tentou sempre a postura da rolha – à tona de água, a qualquer custo.

68. Não apoiou institucional nem pessoalmente o Vice-Presidente Desportivo nem o Departamento Desportivo e Técnico nesta campanha.

Sublinhado 1 - Sabia de tudo desde a primeira hora e nunca interveio;


Sublinhado 2 - Cedeu sempre e continua a ceder à “chantagem” do Seleccionador Nacional, António Oliveira, no que respeita à posição de um Homem sério, capaz, responsável e solidário, o Director do Departamento Desportivo e Técnico, Carlos Godinho;


Sublinhado 3 - Foi titubeante, sinuoso, pouco frontal e faltou-lhe solidariedade com o Vice-Presidente Desportivo aquando do controlo positivo do jogador Daniel Kenedy;


Sublinhado 4 - Não actuou disciplinarmente nem sequer admoestou o Seleccionador Nacional e os treinadores Manuel Gomes (Neca) e Silvino Louro aquando da gravíssima quebra de disciplina e de espírito de grupo na sequência do “passeio” da madrugada de 30 de Maio. Mais: aceitou uma “estória” perfeitamente descabelada que os mesmos lhe impingiram dois dias depois.


Sublinhado 5 - Decidiu, contra a opinião expressa do Vice-Presidente Desportivo na reunião de Direcção de 10 de Maio autorizar a celebração de um contrato por parte do Departamento de Marketing, Comunicação e imagem da FPF, que viola os direitos individuais de imagem dos jogadores da Selecção Nacional, tendo tal facto tido repercussões graves na estabilidade desejada para o grupo de jogadores enfrentar a campanha do Mundial.

ANTÓNIO BORONHA

69. Só aceito uma - muito grande - acreditei, quase até ao fim, em pessoas que provaram à saciedade que não servem. Com a minha ingenuidade contribuí para a frustração de milhões de portugueses. Esta minha posição de hoje só tem um objectivo: contribuir, modestamente, para que antes do Euro'2004 o que está mal seja rectificado, quem esteve mal saia de cena e não mais se atravesse nos caminhos da Selecção Nacional para que, de novo, os adeptos portugueses possam ter as alegrias que este ano lhes foram frustradas.

Oliveirinha

confesso que em tempos fui admirador de António Oliveira, primeiro como jogador, depois como técnico - não quando esteve no FC Porto, por razões óbvias...
ultimamente o homem tem ditos umas verdades, mas aqui, já todos nós percebemos porquê..., como diz o outro:
zangam-se as comadres e descobrem-se as verdades!
hoje deixo aqui algumas estórias desta personalidade do futebol português, vista por quem com ele privou, começando com uma entrevista de Octávio Machado dada em tempos ao jornal i.

preparem-se para mais umas gargalhadas no próximo post.

"E como é que a selecção não foi a nenhum Mundial ou Europeu com aquela geração fantástica de jogadores: os mais veteranos (Eusébio, Torres e Jaime Graça), os mais novos (Octávio, Nené, Humberto Coelho, Peres e Toni) e os emergentes (Vítor Baptista, João Alves, Bento, Manuel Fernandes e Oliveira)?



Ainda tive a felicidade de jogar com Eusébio, Peres, Jaime Graça e Torres. Mas a selecção era frágil, em termo de espírito de grupo. Havia cisões clubísticas, não havia calor humano e a determinada altura a selecção nacional era local para descanso. Sem esquecer que as grandes vedetas, que não estas que referi agora, nunca estavam presentes. Aqueles que podiam fazer a diferença, fragilizavam--se na hora de decidir.

Está a falar de quem?

Dois grandes jogadores. Um é o Vítor Baptista [V. Setúbal e Benfica], que, certa vez, apareceu no estágio vestido de uma forma descabida. Mas isso até nem foi o mais preocupante. Quando fizemos o primeiro treino, ali perto do hotel, o plantel corria para um lado e ele corria para o outro. Na volta seguinte, andávamos desencontrados outra vez. Foi recambiado para casa, naturalmente. Íamos jogar com Chipre, na qualificação para o Mundial-78. O outro é o António Oliveira [FC Porto, Bétis, Penafiel, Sporting e Marítimo], que foi um grande jogador mas podia ter sido um génio. Mas não foi homem na hora da verdade. Faltou--lhe a componente humana. Por isso, Eusébio e Figo são melhores que ele.


Já percebi que não vai à bola com Oliveira. Foi sempre assim?

Sempre, foi sempre assim. Quando o FC Porto foi campeão nacional em 1978, ao fim de 19 anos de seca, eu e ele jogávamos juntos. Você nem imagina o que ouvi da boca dele! No jogo do título, com o Benfica, a três jornadas do fim, eles marcaram primeiro, num autogolo de Simões, logo aos três minutos, e o Oliveira disse--me que aquilo tudo ia dar para o torto, que havia um cemitério debaixo do Estádio das Antas, que teríamos um azar eterno. Mas empatámos aos 83', por Ademir, e sagrámo-nos campeões na última jornada [4-0 ao Braga, com golos de Oliveira, Octávio e Gomes, 2]. O Oliveira sempre foi assim, um complexado, com a mania do outro mundo. E nem lhe conto o que ele fez para festejar o título.

Vá lá, conte lá...

Enquanto os jogadores esforçados, batalhadores e guerreiros do FC Porto festejavam o título nacional de 1978 em suas casas e junto das suas famílias, porque na altura não havia cá autocarro de dois andares nem passagem pela câmara municipal, o Oliveira exibia-se na Avenida dos Aliados, com o seu descapotável. Ao seu lado, Fernando Gomes, o bibota, e Quinito, uma jovem promessa em quem Pedroto sempre depositou enorme esperança, sem os devidos resultados. E eles os três a curtir o título num descapotável. Eu e o Oliveira sempre tivemos filosofias de vida e desportivas completamente incompatíveis.


Então como se entendiam quando ele era o seleccionador nacional e o Octávio o treinador do Sporting?

Ah, isso é simples. Não nos entendíamos. Mas a culpa é dele; evitava-me. Certa vez, mandou um adjunto dele chamado Joaquim Teixeira, que até é meu amigo, ao Sporting e ele lá apareceu a perguntar por mim, na 10-A [a mítica porta por onde entravam e saíam os jogadores do Sporting, antes e depois de cada treino e jogo]. E eu disse ao porteiro que devia ser engano. Se era o adjunto da selecção nacional, devia querer falar com o adjunto do Sporting e não comigo. Por isso indiquei o meu adjunto Vítor Damas para falar com ele. Então o seleccionador nacional não quer falar comigo sobre os jogadores do Sporting e manda o adjunto? Ó Miguel, isto é só rir."

isto é só rir...



O Sporting emitiu esta terça-feira um comunicado, no site oficial, onde refere que o inquérito instaurado pelo emblema leonino não permitiu "confirmar ou infirmar” o envolvimento de Paulo Pereira Cristóvão, antigo vice-presidente, na alegada cilada ao árbitro assistente José Cardinal.

Num comunicado assinado pela Direção e o Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting, os organismos referem que vão ficar a "aguardar a conclusão da acima referida investigação criminal em curso, para então se poder aprofundar o conhecimento dos factos que se encontram em segredo de justiça e apreciar a sua eventual relevância disciplinar”.

No final do comunicado, é destacado a postura "tranquila e serena" que os leões face aos acontecimentos

Leia o comunicado na íntegra:

"Por despacho de 17 de Abril de 2012, o Conselho Directivo solicitou ao Conselho Fiscal e Disciplinar que, nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 58, nº 1, al. h), dos Estatutos do Clube, fosse instaurado um procedimento prévio de inquérito tendo em vista o apuramento da natureza e extensão dos factos que vieram a público, envolvendo o vice-presidente do Sporting Clube de Portugal, Paulo Pereira Cristóvão, na sequência das buscas e apreensões efectuadas pela Polícia Judiciária, a mando da Senhora Procuradora Adjunta do Departamento de Investigação e Acção Penal, no passado dia 12 de Abril de 2012, às instalações do Sporting Clube de Portugal, no âmbito de uma investigação criminal por denúncia caluniosa.

A comissão de inquérito, constituída nesse mesmo dia no seio do Conselho Fiscal e Disciplinar, deu início ao procedimento prévio de inquérito, no âmbito do qual promoveu um conjunto de diligências processuais, em resultado das quais, formulou as seguintes conclusões:

1. No que diz respeito à eventual participação daquele vice-presidente nos actos que consubstanciaram a referida denúncia caluniosa os limitados poderes investigatórios da comissão de inquérito, em virtude do processo se encontrar em segredo de justiça, impedem-na de confirmar ou infirmar a realidade desses factos;

2. Contudo, foi possível concluir que não se detectou o envolvimento de quaisquer membros do Conselho Directivo, Directores do Clube ou Administradores de sociedades participadas pelo mesmo em factos que possam indiciar a sua participação ou conhecimento das irregularidades que são apontadas pela Comunicação Social ao vice-presidente Paulo Pereira Cristóvão;

3. Posteriormente ao início do procedimento de inquérito do Conselho Fiscal e Disciplinar foram divulgadas um conjunto de outras notícias envolvendo aquele vice-presidente na alegada prática de novos crimes que extravasavam a mencionada investigação criminal por denúncia caluniosa;

4. O Conselho Fiscal e Disciplinar propõe que o procedimento de inquérito fique a aguardar a conclusão da acima referida investigação criminal em curso, para então se poder aprofundar o conhecimento dos factos que se encontram em segredo de justiça e apreciar a sua eventual relevância disciplinar;

5. O Sporting permanece tranquilo em relação ao desenrolar destes acontecimentos aguardando serenamente que a investigação siga o seu curso e que seja possível, finda a mesma, esclarecer cabalmente toda a questão.

Lisboa, 26 de Junho de 2012

O Conselho Directivo
O Conselho Fiscal e Disciplinar "

notícia e imagem daqui
título da minha responsabilidade

ou muito me engano ou já fomos...

A nomeação do árbitro turco Cuneyt Çakir para dirigir o Portugal-Espanha, das meias-finais do Euro 2012, está a dar que falar e a levantar suspeições no seio da comitiva lusa.
O jornal A Bola destaca mesmo que se trata de uma "armadilha no caminho de Portugal".

Em causa está particularmente o facto de o Comité de Arbitragem da UEFA ser presidido pelo presidente da Real Federação Espanhola de Futebol, Angel Villar, e de ter como vice-presidente o turco Senes Erzik.
Razões que levam o referido desportivo a considerar que a nomeação é "no mínimo imprudente".


excertos e imagem daqui

já não bastava ter de enfrentar a poderosa selecção espanhola como nos calhou na rifa esta jarra de porcelana.
ou muito me engano ou já fomos..., é muita coincidência junta!!!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

carrega rapaziada!!!

muitas vezes não damos valor nenhum...

Miki Roqué, futebolista do Bétis de Sevilha, morreu neste domingo. O jogador catalão, de 23 anos, sofria de um cancro na zona pélvica.Miki Roqué formou-se no Lleida, tendo sido posteriormente recrutado pelo Liverpool, em cuja equipa principal debutou com apenas 17 anos num jogo da Liga dos Campeões.

Posteriormente jogou no Oldham Athletic, no Xerez e no Cartagena, tendo em 2009 assinado pelo Bétis de Sevilha. Em Outubro de 2010, o treinador Pepe Mel colocou-o ao serviço da equipa principal.

Poucos meses depois, a 11 de Março de 2011, foi anunciada a sua retirada do mundo do futebol devido a um tumor maligno na pélvis, doença que acabou por não conseguir superar apesar da intervenção cirúrgica a que foi sujeito, em Maio do ano passado.

Miki Roqué acabou por morrer este domingo, por volta das 19h, na Clínica Dexeus de Barcelona.

Mal foi anunciada a sua morte, as redes sociais encheram-se de mensagens de condolência. “Um abraço muito grande à família de Miki Roqué. Conheci-o quando ele jogava no Liverpool e eu no United. Descansa em paz, amigo”, escreveu o jogador Piqué.

Roqué tornou-se bastante próximo de Piqué e também de Puyol. Ambos os jogadores ajudaram-no a encontrar um médico em Barcelona que o ajudasse a lutar contra o tumor, conta o El País.

Também a partir da Polónia, a selecção espanhola - que na quarta-feira joga contra Portugal a contar para o apuramento para a final do Euro 2012 - enviou as suas condolências à família de Roqué.
daqui

infelizmente nos dias de hoje essa maldita doença não nos larga, muitas vezes não damos valor nenhum ao que nos rodeia.
guerrinhas e mais guerrinhas de que nada servem...
que descanse Paz!

domingo, 24 de junho de 2012

Italianos mereceram!

a Itália apurou-se hoje para as meias-finais do euro 2012 ao vencer a Inglaterra nas grandes penalidades por 4-2.
aliás, com todo o merecimento, foi sempre a única equipa que quis ganhar o jogo.

os ingleses parece que ainda não aprenderam a lição dos penalties, perdem quase sempre, por isso, era de esperar mais algum atrevimento durante o prolongamento.
má condição física? talvez, mas não justifica tudo...
uma palavra para Pirlo: na minha opinião, o melhor médio "defensivo" deste europeu.
hoje, mais uma vez, conduziu os italianos à vitória.

um verdadeiro senhor do futebol

Toni Grande, treinador adjunto de Vicente del Bosque na seleção da Espanha, admite que as preocupações acrescidas por defrontar Cristiano Ronaldo nas meias-finais não vão implicar mudanças no estilo de jogo da “roja”.

«Alterações? Não creio. O nosso estilo vai manter-se.
Vamos insistir na nossa forma de jogar mas, sem dúvida, enfrentar Ronaldo é uma preocupação evidente.
É forte fisicamente, um goleador, mas vamos conservar o nosso estilo, oxalá, por mais um jogo», disse citado pelo jornal AS.
daqui

são declarações destas que faz com que o futebol seja um autêntico espectáculo..., não há necessidade de mentiras ou de rodeios, fala-se apenas e só do essencial .

sábado, 23 de junho de 2012

a entrevista do treinador do Benfica

confesso que sou hoje vou ler e analisar a entrevista que Jorge Jesus deu ao jornal record.
convém recordar que a entrevista foi dividida em duas edições, na edição do passado domingo e na edição de segunda-feira.
já vi um excerto que não gostei mesmo nada, diz Jorge Jesus:
não sou muito apologista do 4-3-3. No União de Leiria era o sistema que usava, mas não é um sistema de equipa grande.


bom, não sei se hei-de rir ou se hei-de chorar...
caro Jorge Jesus, vexa por acaso sabe em que sistema joga o Barcelona?
pois então eu dou uma ajuda, é em 4-3-3!, pelos vistos o Barcelona não é uma equipa grande para o técnico encarnado!

que assim seja então...

bom, Portugal vai ter de enfrentar os espanhóis no jogo que vai decidir quem segue para a final deste europeu!, a Espanha venceu hoje por 2-0 a França e segue também para as meias-finais.
a outra meia-final será entre a Alemanha e o vencedor do Inglaterra - Itália de amanhã.
jogo muito difícil para nós, mas com uma vantagem, os favoritos são os campeões europeus e mundiais em título.
difícil? sim!
impossível?... não!

onze e sistema oficial de Espanha e França


aconteceu o que estava previsto...

depois de Portugal, na quinta-feira, ontem foi a vez da Alemanha seguir para as meias finais do euro 2012, enfim, eram os favoritos para este jogo e não só...
tive pena por Fernando Santos, mas contra factos não há argumentos, o poderio destes alemães é enorme.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

um meio campo de garra e determinação

Miguel Veloso está a surpreender muita boa gente com a sua prestação em campo, além de João Moutinho tem sido o mais valioso no meio campo da selecção nacional neste europeu.
uma palavra para Raúl Meireles, tem se esforçado imenso mas está a sofrer fisicamente a excelente época que fez no Chelsea.
só a motivação o pode ajudar daqui em diante tapando as debilidades físicas.
enfim...um trio de luxo!

Até na dedicatória de Ronaldo "viram" Messi

À semelhança do que já tinha feito no encontro com a Holanda, Ronaldo dedicou o golo marcado à Rep. checa ao filho. O capitão da Seleção Nacional dirigiu-se para as câmaras e disse: "Para ti".

Na Catalunha, as palavras de Ronaldo deram origem a nova polémica. O "Sport" potencia o debate "criado nas redes sociais" sobre a quem destinava a dedicatória, questionando se seria para Messi.
excerto daqui

a especulação continua, mas uma coisa é certa: Ronaldo põem-se a jeito muita das vezes, não neste caso do golo de ontem...mas noutros. há que passar uma borracha e seguir em frente...

quinta-feira, 21 de junho de 2012

eu bem me parecia que assim seria

hoje recupero um excerto de um post que escrevi aqui no dia 26 de Maio sobre a nossa participação no europeu, principalmente devido ao resultado desta noite.

nota para memória futura:
acredito que pelo menos até às meias-finais esta selecção chega...
a partir daí...qualquer uma das 4 semi-finalistas pode chegar ao título. Força Portugal!!!



e agora um desabafo: será que ainda existe algum parvalhão que diga mal desta selecção, de Paulo Bento ou de Ronaldo? tenham juízo pá?!...Portugal hoje e sempre!!!

« o onze e sistema oficial de Portugal para hoje »

Paulo Bento mantém o mesmo onze e...acho muito bem!

viagem para Varsóvia

« o onze e sistema provável de Portugal para hoje »

não vou arriscar no provável onze dos checos, há muita intriga, mentira e algum bluff em torno de quem vai subir ao relvado.
portanto, aqui fica apenas e só o de Portugal, o que mais garantias tem dado a Paulo Bento.

factos são factos

quando Paulo Bento chegou ao cargo de seleccionador nacional foi-lhe pedido o apuramento para o europeu, a selecção estava em cacos e à beira de não participar neste europeu. Ele conseguiu!


depois, foi-lhe pedido o apuramento para os quartos de final do mesmo europeu. Ele conseguiu!


agora meus amigos, não digam que o balanço não é positivo.
aconteça o que acontecer, o trabalho desenvolvido tem sido excelente, os resultados estão aí para o comprovar.
claro que quem chega a este ponto, tendo pela frente esta selecção checa, pode sempre chegar mais longe: as meias-finais estão mesmo aí ao virar da esquina.
parabéns Paulo Bento!, contra as aves agoirentas conseguiste levar a nau a bom porto.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Para quê? Paraguaia...


ver mais aqui

selecção nacional já está em Varsóvia

A Seleção Nacional já fez viagem até Varsóvia, onde amanhã mede forças com a República Checa por um lugar na meia-final do Euro-2012.

Paulo Bento abdicou do habitual treino de adaptação ao relvado, mas está confirmada a presença do treinador e de João Moutinho, às 18.15 horas, para analisarem a partida frente à República Checa.

terça-feira, 19 de junho de 2012

um ambiente excelente que muitos gostavam de ver destruído

Bruxo de Fafe avisa Benfica (de novo)...



Mais um SMS do meu amigo Fernando Nogueira, mais conhecido por Bruxo de Fafe:

"Vem no Record uma grande entrevista de Jorge Jesus onde ele diz que vai ser campeão. Sou eu que lhe garanto que o Benfica não é campeão na próxima época. Nunca! Enquanto a dita mulher não for parada e destruída, continuará a fazer magia negra de destruição do Benfica. Quer acreditem ou não, esta é verdade".

post daqui

é difícil mas não é impossível...

O exemplo do Chelsea, que não era favorito na última edição da Liga do Campeões e conquistou o troféu, aplicado à caminhada da Seleção Nacional no Euro'2012 seria um sonho, admitiu Raul Meireles esta terça-feira, em conferência de imprensa em Opalenica (Polónia).
"Fui campeão europeu e ninguém dava favoritismo ao Chelsea. Também aqui ninguém dava favoritismo a Portugal, num grupo com Alemanha e Holanda... É um sonho que todos os portugueses têm, mas é muito difícil de concretizar.
Se conseguirmos o mesmo seria um feito enorme", disse o médio.
excerto daqui

subscrevo estas palavras de Raúl Meireles, é um muito difícil de concretizar, para mais sabendo-se como continua (infelizmente) a funcionar os esquemas com as arbitragens em mais este europeu.
caso Portugal consiga as meias finais já fico feliz, daí por diante tudo pode acontecer aos quatro semi-finalistas.

Cristiano Ronaldo no programa alta definição

para quem não teve oportunidade de assistir a esta entrevista, aqui fica:

segunda-feira, 18 de junho de 2012

arbitragens manhosas



depois do apuramento de Portugal e Alemanha, ontem, Itália e Espanha também se apuraram hoje para os quartos de final deste europeu.
a Espanha passou por um mau bocado e não sei se com uma arbitragem mais justa não estava a esta hora fazendo as malas de regresso - um penalty por assinalar a 4 minutos do fim.

já ontem a Dinamarca também foi prejudicada com um penalty por assinalar,...mas enfim...bem sei que nem todos os penalties assinalados resultam em golo, mas o que é justo tem de ser dito.
ah! o árbitro do jogo de ontem, Dinamarca-Alemanha, foi o mesmo que entalou os gregos na primeira jornada, o espanhol Velasco Carballo (na imagem).
Deus nos livre de semelhante criatura num jogo nosso.

Dá-lhes Paulo Bento que eles não merecem outra coisa!

tirando a parte dos cachecóis checos, subscrevo inteiramente Paulo Bento, há muita besta a falar sem saber o que diz.

domingo, 17 de junho de 2012

Que chupem e que sigam chupando"...

ahahahahhaha!...agora digam mal da selecção e de Cristiano Ronaldo.
aos que diziam mal da selecção, aqui vai: "QUE CHUPEM e QUE SIGAM CHUPANDO"

o onze e sistema oficial de Portugal e Holanda



« onze e sistema provável de Portugal e Holanda »



as conta da nossa selecção

Portugal qualifica-se para os quartos de final se:

A) vencer a Holanda e a Alemanha empatar ou ganhar à Dinamarca;

B) vencer a Holanda e a Dinamarca bater por 2 ou mais a Alemanha, ou 1-0, ou 2-1 (se a Dinamarca vencer 3-2 ou 4-3 passam Dinamarca e Alemanha);

C) empatar com a Holanda e a Alemanha vencer ou empatar com a Dinamarca;

D) perder com a Holanda por 1 golo de diferença, desde que a Alemanha vença a Dinamarca.

sábado, 16 de junho de 2012

sangue, suor e lágrimas...

parabéns à Grécia e a Fernando Santos!, contra arbitragens manhosas conseguiram deixar para trás os russos de "Platini e sua corja"...estão nos quartos de final com todo o mérito e vão enfrentar o primeiro classificado do grupo de Portugal.

apetece dizer: foda-se, o Carlos Daniel da RTP não acerta uma.
o homem até que sabe muito de futebol, nomes de jogadores, roupeiros, historial de equipas em grandes provas etc...
mas quando toca a falar de futebol propriamente dito o homem acerta pouco!
de certeza que Bruno Prata (outro de fugir à carreira) vai aconselhar um psicólogo como queria para o Cristiano Ronaldo.


ah!, o Luís Freitas Lobo viu mais uma baliza a mexer no euro..., chiça penico?!...
muito vale Joaquim Rita, Ribeiro Cristovão, João Gobern e Pedro Henriques...também podem errar, mas ao pé destes fulanos tem muita para ensinar.

é já amanhã e eu acredito na nossa selecção !


mas que grande bronca?!

Paulo Pereira Cristóvão foi apanhado pela PJ com uma lista de dados pessoais de árbitros e também com outra lista de dados pessoais de todos os jogadores do Sporting.
A posse destes dados foi considerada pelo juiz de instrução criminal como crime de devassa da vida privada por via informática.

No caso dos árbitros, trata-se da lista tornada pública em março passado na Internet e que continha moradas, números de telefone, de contribuinte fiscal, de cartão de cidadão e ainda números de identificação bancária.
notícia através da lusa

sexta-feira, 15 de junho de 2012

por favor, não tenham memória curta

quando ouço e leio tanta crítica à selecção nacional, tento ignorar mas nem sempre consigo...
não me esqueço que sou de uma geração que cresceu a ver a selecção portuguesa fora das grandes provas - europeus e mundiais -, talvez por isso, dou mais valor ao esforço destes atletas.
anda por aí muita gente esquecida que somos um País de 10 milhões (o Figo diz que são onze) de habitantes à beira mar plantado e a viver um período menos bom a nível económico e social...
talvez por isso, há que respeitar ainda mais a opinião de cada um, mas não de sacanas sem lei que estão bem na vida à custa do futebol e só falam para incendiar.
esses não merecem respeito, há que ignorar e seguir em frente!, carrega Portugal!!!

Van Marwijk esconde o jogo

A seleção da Holanda cumpriu esta manhã, em Cracóvia, um treino de preparação para o jogo com Portugal, no domingo, referente à última jornada do Grupo B do Euro-2012.

Face à contestação crescente – a Holanda perdeu os dois primeiros jogos com a Dinamarca (0-1) e a Alemanha (1-2) -, o selecionador Bert van Marwijk optou por realizar uma sessão à porta fechada, vedando o acesso aos jornalistas ao treino que decorreu no Estádio Municipal de Cracóvia.

Van Marwijk terá, em principio, todos os jogadores à disposição para o duelo com a equipa das quinas, agendado para domingo em Kharkiv, na Ucrânia.
daqui

«Portugal depende apenas de si mesmo» - Mourinho

O treinador José Mourinho considera que a Seleção Nacional é uma das melhores do Europeu e que tem boas possibilidades de vencer se conseguir apurar-se para os quartos de final.

«Portugal não depende de outras equipas, depende apenas de si mesmo. Se fizer o seu trabalho frente à Holanda, estará nos quartos-de-final», disse o técnico do Real Madrid, em declarações prestadas em Singapura.

Caso a Seleção Nacional consiga a passagem aos quartos de final, Mourinho acredita que, a partir daí, tudo será possível:
«Penso que Portugal seja uma das duas ou três melhores equipas da competição, mas estas são provas pequenas, a eliminar - em 90 minutos, no tempo extra ou penalties, tudo fica decidido. Se Portugal chegar aos quartos-de-final tudo pode acontecer.»
daqui

quinta-feira, 14 de junho de 2012

«Manuel José continua de pé quente»

a troca de mimos entre Gilberto Madaíl e Manuel José atingiram proporções inimagináveis , como estas declarações de Manuel José ao site zerozero:

Manuel José não poupou nas críticas a e endureceu a troca de palavras com Gilberto Madaíl.
O antigo presidente da Federação Portuguesa de Futebol tinha dito, sobre Queiroz e Manuel José que «um já morreu e o outro está para morrer». Manuel José não gostou do que ouviu e diz que Madaíl fala «escocês depois do almoço».

«Ele é que tem de se cuidar, que a saúde dele não é boa. Vivi oito anos num hotel no Cairo.
A sede da Confederação Africana de Futebol é no Cairo, e sempre que havia sorteios, os dirigentes vinham sempre dizer-me que de manhã o presidente da Federação falava português e depois do almoço falava escocês», atacou Manuel José, em declarações à Renascença.

Manuel José prometeu que o «país inteiro ficará a saber quem é este senhor [Madaíl].

«Se ele quiser ser deselegante comigo, como foi, eu tenho de ser deselegante com ele. Guardo o resto para a resposta que ele me der. Depois, o país inteiro ficará a saber quem é este senhor».

Em causa estão as críticas sobre a Seleção nacional e as atividades públicas dos 23 convocados para o Euro 2012.

um pequeno desvio passando por Alvalade

vou fazer um pequeno desvio do europeu para deixar um excelente post de Eugénio Queirós, jornalista do record, que nem sempre lhe acho graça..., mas que desta vez concordo a cem por cento.
tenho de admitir que ele tem toda a razão em cada palavra deste post.

Sporting passa a ser vítima no caso Cristóvão
Enquanto escrevo isto, o Rui Oliveira e Costa louva o sportinguismo de Paulo Pereira Cristóvão a propósito da sua demissão.

Não sei o que é mais incrível: se o Sporting ter permitido que nos últimos dois meses PPC continuasse em funções, se o facto de o Sporting ser "defendido" por bimbos deste calibre.

Mas vamos ao caso PPC.

Embora Costa tenha dito que nos últimos dois meses nada aconteceu, a verdade é que aconteceu alguma coisa.
Ou seja, a informação recolhida foi tratada e as suspeitas fundamentadas.

Ao que tudo indica, o Sporting é a grande vítima das três empresas de espionagem de PPC.
Porque nada sabia sobre a metodologia usada, que visava inclusivamente o próprio presidente do Sporting.

Custa um bocado a acreditar neste desconhecimento da direção leonina das movimentações de um dos seus membros.
Vamos ver agora como é que PPC se comporta. Se continua na defesa ou se decide passar ao ataque e põe cá fora os tais ficheiros secretos.

A tensão está de novo do lado do Sporting. Sair bem deste filme vai ser muito complicado, especialmente quando do outro lado está uma espécie de especialista em "terrorismo".

Não queria estar, sinceramente, no lugar de Godinho Lopes.
daqui

onze e sistema oficial de Itália e Croácia

para quem tem a memória curta

a todos aqueles que tem a memória curta, aqui fica o jogo que nos deu a qualificação para este europeu, basta apreciar quem marcou os golos.
mesmo assim vão continuar a criticar, eu sei, faz parte da nossa cultura,...não há nada a fazer.

ainda vai calar a boca a muito cheira cus

aqui vos deixo um excelente post de Domingos Amaral.
Tiro a Ronaldo

Já me está a chatear esta onda nacional anti-Cristiano Ronaldo, que se gerou com fúria por ele ter falhado duas oportunidades de golo no Portugal-Dinamarca. Não há português que não ache o Ronaldo "uma besta", que não diga que ele não joga nada pela Seleção, que não tenha a certeza absoluta que ele joga muito mais no Real Madrid, e que, ó meu Deus, nem sequer merece ser o capitão da equipa! Porque é que nós tratamos tão mal quem tanto se esforça por nós? Ele pode não ter sido feliz naquelas duas jogadas mas, caramba, se há jogador que corre, que luta, que remata e que trabalha pela seleção, é ele! Só neste jogo rematou 7 vezes à baliza, quase metade dos remates de Portugal foram dele. E se falha, é porque estava lá. Naqueles dois momentos, não vi lá o Postiga, o Nani ou o Meireles, vi-o a ele, Ronaldo, a correr para a baliza para tentar marcar. Não conseguiu? E então, que mal tem falhar? Ele falha golos quase todas as semanas pelo Real, mas como marca muitos ninguém se interessa. Aliás, estes dois falhanços lembram-me outros dois que ele teve esta época, em pleno Bernabéu, contra o Barcelona. Os espanhóis caíram-lhe em cima, insultaram-no, disseram que ele fora o culpado da derrota madrilena por 1-3. E como respondeu ele? Pois bem, foi a Nou Camp na segunda volta e marcou um golaço que deu o título ao Real! É um perfeito disparate esta raiva nacional contra Ronaldo e o que eu gostava mesmo era que ele espetasse dois golaços à Holanda para calar esta cambada de mal-agradecidos!